Viva a vida após os 60

Data de publicação: 16/05/2013

Por Cleusa Tewes*



“Assim como o sol recolhe seus raios para iluminar a si mesmo, também a pessoa idosa deve ir para dentro de si mesma, voltar-se para seu eu e descobrir a riqueza de seu  próprio íntimo” (Anselm Grün)

Romeus e Suzanas, amem e vivam! Esta história pode ser a sua…

Romeu, 63 anos

Pai de família e advogado bem-sucedido. Começou a trabalhar aos 15 anos.  Já nesta idade objetivou conquistar estabilidade para uma vida tranquila.  Motivado em seus propósitos,  estudou, trabalhou e adquiriu merecido   patrimônio. Concedeu à família um padrão de vida confortável. Patrocinou os estudos dos filhos, oportunizando-lhes conquistas profissionais.

Muito trabalhou Romeu. Atingiu a estabilidade. Mas o tempo, esse implacável devorador dos séculos, não parou. Os minutos viraram horas, as horas; dias; e a soma destes, anos. Os cabelos brancos, o andar devagar,  o rosto  maduro revelaram-lhe que sua vida havia percorrido anos. Então se percebeu pensando:  “Tenho  63 anos, preciso desacelerar o ritmo profissional, já adquiri  o que queria. Mas fazer o que, onde e como? Meus amigos, aposentados, deprimiram-se.

“Temo a depressão, o vazio. Sinto-me cego, perdido. Como continuar vivo, feliz e produtivo?”.

A virada da idade o assustou, a crise existencial o balançou. Seu coração contemplou sofrimento, dúvidas e perdas.

Suzana, 64 anos

Professora aposentada. Habilidosa no inglês e na escrita. Viajou pelo mundo. Hoje, sente-se cansada, desmotivada, não persistente, descomprometida,  deixando tarefas inconcluídas: livros  iniciados  e engavetados, telas pintadas pela metade, seu grupo de dança, abandonou-o…

Ela se questiona: – Valerá a pena concluir alguma coisa?

Sente-se improdutiva, desanimada, preguiçosa, sem foco. Por quê? Falta de aceitação da velhice; despreparação para viver a terceira idade.

Projeto de vida atualizado 

Aos 60 anos inicia-se  o caminho do entardecer. No ocaso, o sol se põe, recolhe-se, adormecendo para um novo amanhecer.

Romeu e Suzana continuarão nascendo, a cada manhã, se descobrirem sua potencialidade e se acolherem, no ocaso, suas fragilidades. Reciclar a vida é refazer o projeto da continuidade, escolhendo  viver cada vez mais com qualidade, cuidando do lado físico, emocional, mental e espiritual.

Passear, estudar, ouvir  música, tocar um instrumento musical, conversar, ler e silenciar. Exercitar a memória. Realizar agora o que antes não deu tempo. A vida inicia aos 60. Faça deste tempo um tempo de alegria. Desafie o desconhecido, liberte-se da repetição. Inove!

Aprenda a contar histórias. Há crianças esperando você. ”Olhai como crescem os  os lírios do campo. Não trabalham, nem fiam” ( Mt 6,28). “Olhai os pássaros do céu: não semeiam, não colhem e nem guardam em celeiros” (Mt 6,26).

Anselm Grun, monge beneditino, alerta de que não adianta só tratar as pessoas com remédios, sendo também necessário auxiliá-las a reencontrar o sentido da vida. Falar de saúde da alma na sociedade consumista afronta as fileiras do ter, onde existências humanas se esvaziam da significância do ser.

A saúde da alma

O que é a saúde da alma? É um bem estar interior; é sentir no espírito a sonoridade e a veracidade das Bem-Aventuranças: ”Felizes os puros  de coração, porque verão a Deus. Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,8-9).

São saudáveis as pessoas que pautam suas vidas na fé, na esperança e no amor. Acolhem o sofrimento, choram, tornam-se discípulos de situações adversas e olham a vida como  sua mestra : “Felizes os que choram, porque serão consolados” (Mt 5,4).

Romeu, Suzana e você, leitor ou leitora, ouçam o toque de recolher do Mestre Jesus: Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai que está no escondido” (Mt 6,6), eis o local sagrado da alma ali encontrarão conforto e a luz para a escuridão do ocaso.

Romeu tem medo do ocaso e sofre; Suzana parou no ocaso e está deprimida; ambos precisam pedir nova  aurora para suas vidas: “Pedi e vos será dado” ( Mt 7,7). A terceira idade é a montanha do sábio. O  que é ser sábio?  Sábio vem de saber, e saber, por sua vez, tem a ver com olhar em profundidade. Assim, podemos dizer que sábio é quem tem conhecimento profundo.

Romeus e Suzanas, amem e vivam!

Tornem-nos felizes, Mãe e Pai da Alegria. Amém!

* Cleusa Thewes é terapeuta familiar e especialista em orientação familiar.

Fonte: Família Cristã 919 - Jul/2012
Inserido por: Família Cristã




Compartilhe este conteúdo:
Enviar para Amigo


Veja Também

A família pede socorro
Adélia Prado ressalta a importância de se olhar para cada indivíduo
Expectativas e diferenças
Famílias com exagerado padrão de expectativas correm o risco
ABC no campo
Uma das principais lutas da juventude rural é a manutenção de um sistema educacional
Sete vidas e um coração
Em Joinville casal e seus filhos especiais quebram preconceitos, exercitam a tolerância
À espera de um renascer
Quanto mais elevada a idade da população, maior a incidência de Parkinson. Mas há exceções
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados