Viva a vida após os 60

Data de publicação: 16/05/2013

Por Cleusa Tewes*



“Assim como o sol recolhe seus raios para iluminar a si mesmo, também a pessoa idosa deve ir para dentro de si mesma, voltar-se para seu eu e descobrir a riqueza de seu  próprio íntimo” (Anselm Grün)

Romeus e Suzanas, amem e vivam! Esta história pode ser a sua…

Romeu, 63 anos

Pai de família e advogado bem-sucedido. Começou a trabalhar aos 15 anos.  Já nesta idade objetivou conquistar estabilidade para uma vida tranquila.  Motivado em seus propósitos,  estudou, trabalhou e adquiriu merecido   patrimônio. Concedeu à família um padrão de vida confortável. Patrocinou os estudos dos filhos, oportunizando-lhes conquistas profissionais.

Muito trabalhou Romeu. Atingiu a estabilidade. Mas o tempo, esse implacável devorador dos séculos, não parou. Os minutos viraram horas, as horas; dias; e a soma destes, anos. Os cabelos brancos, o andar devagar,  o rosto  maduro revelaram-lhe que sua vida havia percorrido anos. Então se percebeu pensando:  “Tenho  63 anos, preciso desacelerar o ritmo profissional, já adquiri  o que queria. Mas fazer o que, onde e como? Meus amigos, aposentados, deprimiram-se.

“Temo a depressão, o vazio. Sinto-me cego, perdido. Como continuar vivo, feliz e produtivo?”.

A virada da idade o assustou, a crise existencial o balançou. Seu coração contemplou sofrimento, dúvidas e perdas.

Suzana, 64 anos

Professora aposentada. Habilidosa no inglês e na escrita. Viajou pelo mundo. Hoje, sente-se cansada, desmotivada, não persistente, descomprometida,  deixando tarefas inconcluídas: livros  iniciados  e engavetados, telas pintadas pela metade, seu grupo de dança, abandonou-o…

Ela se questiona: – Valerá a pena concluir alguma coisa?

Sente-se improdutiva, desanimada, preguiçosa, sem foco. Por quê? Falta de aceitação da velhice; despreparação para viver a terceira idade.

Projeto de vida atualizado 

Aos 60 anos inicia-se  o caminho do entardecer. No ocaso, o sol se põe, recolhe-se, adormecendo para um novo amanhecer.

Romeu e Suzana continuarão nascendo, a cada manhã, se descobrirem sua potencialidade e se acolherem, no ocaso, suas fragilidades. Reciclar a vida é refazer o projeto da continuidade, escolhendo  viver cada vez mais com qualidade, cuidando do lado físico, emocional, mental e espiritual.

Passear, estudar, ouvir  música, tocar um instrumento musical, conversar, ler e silenciar. Exercitar a memória. Realizar agora o que antes não deu tempo. A vida inicia aos 60. Faça deste tempo um tempo de alegria. Desafie o desconhecido, liberte-se da repetição. Inove!

Aprenda a contar histórias. Há crianças esperando você. ”Olhai como crescem os  os lírios do campo. Não trabalham, nem fiam” ( Mt 6,28). “Olhai os pássaros do céu: não semeiam, não colhem e nem guardam em celeiros” (Mt 6,26).

Anselm Grun, monge beneditino, alerta de que não adianta só tratar as pessoas com remédios, sendo também necessário auxiliá-las a reencontrar o sentido da vida. Falar de saúde da alma na sociedade consumista afronta as fileiras do ter, onde existências humanas se esvaziam da significância do ser.

A saúde da alma

O que é a saúde da alma? É um bem estar interior; é sentir no espírito a sonoridade e a veracidade das Bem-Aventuranças: ”Felizes os puros  de coração, porque verão a Deus. Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,8-9).

São saudáveis as pessoas que pautam suas vidas na fé, na esperança e no amor. Acolhem o sofrimento, choram, tornam-se discípulos de situações adversas e olham a vida como  sua mestra : “Felizes os que choram, porque serão consolados” (Mt 5,4).

Romeu, Suzana e você, leitor ou leitora, ouçam o toque de recolher do Mestre Jesus: Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai que está no escondido” (Mt 6,6), eis o local sagrado da alma ali encontrarão conforto e a luz para a escuridão do ocaso.

Romeu tem medo do ocaso e sofre; Suzana parou no ocaso e está deprimida; ambos precisam pedir nova  aurora para suas vidas: “Pedi e vos será dado” ( Mt 7,7). A terceira idade é a montanha do sábio. O  que é ser sábio?  Sábio vem de saber, e saber, por sua vez, tem a ver com olhar em profundidade. Assim, podemos dizer que sábio é quem tem conhecimento profundo.

Romeus e Suzanas, amem e vivam!

Tornem-nos felizes, Mãe e Pai da Alegria. Amém!

* Cleusa Thewes é terapeuta familiar e especialista em orientação familiar.




Fonte: Família Cristã 919 - Jul/2012
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Casal sem depressão
Para superar a depressão pós-parto, mulheres devem contar com o apoio e compreensão dos companheiros
Casamento que não aconteceu
Documento do papa sobre as novas regras da nulidade matrimonial, ainda gera dúvidas entre os fiéis
Voltei pra você
Muitos divorciados gostariam de uma segunda chance para retomar o casamento.
Juntos, mas separados
O ideal é que a vida a dois seja com o casal junto, mas compromissos profissionais podem afastar
Namorados para sempre
Cuidados diários, diálogo e partilha da vida são passos preciosos para um “felizes para sempre”
1 2 3 4 5 6 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados