Programas para crianças e adolescentes, mundo do trabalho e arte

Data de publicação: 09/11/2018

O Centro de Promoção Humana Irmã Tecla Merlo desenvolve atividades com crianças, adolescentes, jovens, idosos e para toda a família.

Os programas desenvolvidos pelo Centro de Promoção Hu­mana Irmã Tecla Merlo perpassam todas as faixas etárias, da infância até a chamada melhor idade. A estrutura pedagógica dessas ativi­dades possui uma continuidade que acompanha o ritmo de desen­volvimento das pessoas atendidas, valoriza os âmbitos educacionais, culturais, desenvolvimento motor, capacitação profissional, artística, estimulando conceitos de cidada­nia, sociabilidade e solidariedade.

Para crianças e adolescentes

O Programa Brincar de Aprender, destinado a crianças de 5 a 6 anos, visa complementar e potencializar a aprendizagem na escola. Por isso, a estrutura dos programas favorece um ambiente mais informal e sem a rigidez da sala de aula. “Valorizamos o lúdico, contando histórias com fantoches ou de livros, estimulando a expressão corporal, artes, pintu­ras”, explica a orientadora pedagógica Taise de Melo Ferreira. Já o Programa Valorizando a Infância, que abrange a faixa etária entre 7 e 8 anos, favorece o desenvolvimento integral da infância. Destinado a crianças de 9 a 10 anos, o Programa Sempre Criança visa a apoiá-las no seu processo de alfabetização, ampliando os conhecimentos trazidos da convivência familiar e do Ensino Fundamental, oferecendo um espaço físico adequado para que tenham oportu­nidades de desenvolver o seu po­tencial humano em todas as suas dimensões. Por isso, prima pelo respeito à criança na sua liber­dade, valorizando-a como sujeito da sociedade, para o exercício da cidadania.  As crianças com idade de 11 a 12 anos participam do Programa Cri­ança Certeza, que introduz o aluno no processo de aprendizagem de uma língua estrangeira (inglês), enriquece seu currículo com a for­mação musical, trabalhando sua sensibilidade, sua capacidade de concentração, o gosto e interesse pela música, o desenvolvimento pessoal através das artes plásticas, arte capoeira, eventos e momentos celebrativos. Também para as crianças há o Programa Brinquedoteca, que as estimula a exercitarem o ato de brincar, em vista de despertar novas alegrias, novas emoções e o encon­tro de novos amigos, visando ao seu desenvolvimento. Além das atividades lúdico-pedagógicas, há programas que ajudam no desenvolvimento de outros aspectos das pessoas atendidas, como o Programa Alimentar, que oferece de segunda a sexta-feira refeições com cardápios variados; e o Pro­grama Humano-Social, que atende crianças e adolescentes no intuito de fortalecer os vínculos familiares e ampliar a capacidade relacional com os grupos sociais. Esse programa oferece dinâmicas de grupos, debates e atividades fonoaudiológicas para o desenvolvimento da linguagem.

 

Mundo do trabalho

Em vista de preparar os adoles­centes para enfrentarem o mercado de trabalho, o Centro Irmã Tecla Merlo oferece programas que auxiliam na capacitação profissional de seus atendidos. O Programa Adolescer para Crescer, destinado ao público de 13 a 17 anos, oferece condições para o desenvolvimento do potencial dos jovens no universo da informática, além de dar apoio socioeducativo, valorizando-os como pessoa hu­mana em fase de desenvolvimento e garantindo uma formação técnico-profissional. Para os jovens de 18 a 20 anos, o Programa Minha Juventude, Minha Cidadania proporciona um espaço de profissionalização na linha do conhecimento de noções básicas de hardware e software, montagem e funcionamento de microcomputa­dores, utilizando recursos avançados de informática. Os adolescentes também passam por um processo de orientação voca­cional, que se inicia com o reconhecimento até o conhecimento de suas habilidades e potencialidades para o mercado de trabalho. “Ado­lescentes que aqui entram com 13 anos saem da orientação com 17 anos, tendo passado por todo esse processo de se reconhecer, e per­cepção de áreas profissionais de maior interesse”, explica uma das orientadoras, Karen Fiori. “Alguns adolescentes chegam sem nenhuma noção de qual profissão seguir, pois não conhecem suas ha­bilidades. Outros até sonham com alguma carreira, mas conhecem muito pouco das aptidões necessárias para desempenhá-las. A partir dos frequentes testes vocacionais, ajudamos na identificação dessas habilidades”, relata a orientadora Ana Paula da Cruz.. Para ajudar nesse discernimento, uma das etapas da orientação acontece por meio de palestras ministradas por profissionais de diver­sas áreas. “Ouvir os profissionais ajuda muito na escolha da carreira. Geralmente após essa etapa das palestras, os adolescentes já estão mais decididos sobre o caminho a seguir”, garante Ana Paula. Os orientadores vocacionais também procuram mostrar aos jovens que, além de dar um retorno financeiro para o futuro, é importante desem­penhar uma profissão com gosto. “Não adianta ter uma carreira para ser desempenhada sem vontade, isso fará da pessoa um mal profis­sional e infeliz”, salienta Karen.

Arte

O Centro Tecla Merlo também valoriza a arte em suas diferentes manifestações. Os adolescentes trabalham bastante com pintura, fazendo releituras de artistas famosos, conhecendo os diferentes estilos e a evolução da história da arte. “Quan­do apresentamos determinada obra para um adolescente, também estamos inserindo-o no contexto em que foi criada a obra”, explica a arte edu­cadora Luciana Gomes Nunes. O Programa Teatrando na Vida propõe as artes cênicas como um es­paço de desenvolvimento, que ajuda na desenvoltura dos adolescentes, principalmente os mais tímidos. Isso reflete de maneira positiva em outras dimensões do aprendizado. Sem contar que a atividade os ajuda a falar em público, apresentar trabalhos escolares e enfrentar o mercado de trabalho.  A música também é um meio de integração social das crianças e adolescentes da entidade. No Programa Musical Tecla Merlo, as crianças e adolescentes expressam suas emoções através da musicalidade. Além do coral, também há um grupo instrumental em formação, com a orientação do colaborador Benilcio Dutra Veloso. Com o apoio da irmã Verônica Firmino, o coral já participou de diversos CDs da gravadora Paulinas-Comep e chegou a lançar um CD com o título Vamos animar e cel­ebrar, com músicas de autoria da própria irmã Verônica. No coral há seis anos, Natália Amorim, de 14 anos, afirma: “Desde pequena eu gosto de cantar. A música é tudo na minha vida”.

Fonte: Fernando Geronazzo/fotos Sonia Mele
Postado por: Administrador



Compartilhe este conteúdo:




Veja Também

Paulinas promove cursos sobre o MROSC - Lei 13.019/2014
Paulinas promove cursos sobre o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, MROSC Lei 13.019/2014.
Paulinas promove formação sobre Apadrinhamento Afetivo
Paulinas promove formação sobre o Apadrinhamento Afetivo na Cidade de São Paulo.
VIII Leitura Continuada da Palavra de Deus
Paulinas participa da VIII Leitura Continuada da Palavra, Projeto do Arsenal da Esperança.
Espiritualidade Bíblica
Participe da Leitura Orante da Palavra na Paulinas!
Atividade Físicas
Atividades Físicas na Paulinas. Participe!



Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Próximo Final
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados