PESQUISE NO SITE
Fale Conosco

Pe. Zezinho, scj: 78 anos em canção

Data de publicação: 06/06/2019

Década de 40 e o mundo presenciava as tensões da Segunda Guerra Mundial e um contexto de incertezas. No Brasil, eram os anos da ditadura Vargas e seu declínio em 1945. O país estava em uma fase de grandes transformações, reflexos da guerra na economia, consolidação de leis trabalhistas, crescimento da população.

Padre Zezinho, scj
Pe. Zezinho, scj: da infância a juventude (Foto: arquivo pessoal)


Mas no dia 8 de junho de 1941, nasce aquele que, anos mais tarde, seria um dos grandes expoentes da música católica brasileira, com letras catequéticas, de espiritualidade, evangelizadoras e também comprometidas com a sua época.

José Fernandes de Oliveira ficaria mais conhecido como “Padre Zezinho”. Um apelido carinhoso para o pequeno menino de Machado (MG) que se tornaria um “gigante” a partir de suas composições e livros.

Padre Zezinho, scj
Pe. Zezinho, scj: grande comunicador (Foto: arquivo Paulinas-COMEP)

Nasceu em anos de ditadura e, tempos depois, durante a ditadura militar, chegou a sofrer com a censura a algumas de suas letras. Começou a compor em 1964 e seu projeto inicial era o de fazer apenas algumas canções para a sua paróquia. O Senhor, com certeza, o levaria a águas mais profundas! Um missão, pode-se dizer, expressa na canção:

“(...) De repente me envolve uma luz
E eu entrego o meu leme a Jesus
É preciso pescar diferente
Que o povo já sente que o tempo chegou
E partimos pra onde ele quis
Tenho cruzes mas vivo feliz
Há um barco esquecido na praia
Um barco esquecido na praia
Um barco esquecido na praia”

(Há um barco esquecido na praia - Padre Zezinho, scj)

Outra curiosidade de sua trajetória está relacionada à famosa canção "Um certo Galileu": ela ganhou a quinta estrofe em 2009 e, em 1975, foi a composição original. Um acréscimo para destacar a Ressurreição de Cristo e Sua segunda vinda gloriosa.

Quinta estrofe de Um Certo Galileu - Pe. Zezinho, scj
Original da 5ª estrofe de Um certo Galileu entregue pelo Pe. Zezinho, scj em maio de 2009 a gravadora Paulinas-COMEP

“Das muitas coisas
Do meu tempo de criança
Guardo vivo na lembrança
O aconchego de meu lar (...)”

(Utopia - Pe. Zezinho, scj)

Entre essas tantas coisas, entre as muitas lembranças, estão no “aconchego do lar” e do coração de gerações as músicas tão marcantes e singulares do sacerdote dehoniano. Dos 78 de vida, mais de 50 são dedicados à evangelização por meio da música.

Para celebrar o aniversário de Padre Zezinho,scj, 78 canções que narram essa história. Vamos parabenizá-lo com nossas orações e apreciando os seus cantos.


Escute também no Spotify e na Deezer.


Por Gracielle Reis

Fonte: Paulinas-COMEP
Postado por: Comep



Compartilhe este conteúdo:

Comentários

Veja Também

“Eu me cuido”: nova música de Bellinha, a Ovelhinha, ensina crianças a se protegerem de abusos

A ovelhinha tão querida lança a canção neste 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Paulinas-COMEP tem indicação para Troféu Louvemos o Senhor com música sobre São José

O título da canção é “Sagrado coração de José” e os resultados serão conhecidos na noite de premiação, em 22 de junho.

Vamos rezar em família com o “Terço da Família - Rezando com a Sagrada Família

A 15 de maio, é celebrado o Dia Internacional da Família. Uma ocasião de reflexão e oração pelas famílias do mundo inteiro.

Com Maria sou mais feliz: confira a campanha de maio das Paulinas e porque este é um mês mariano

Conheça ainda a relação do mês com a primavera no hemisfério norte e canções de uma playlist especial.

Em tempo de pandemia e isolamento, Andréia Zanardi compõe single “À espera”

A integrante do grupo Cantores de Deus traz uma canção com a profundidade da esperança pois “tudo vai passar” e com o lindo símbolo do girassol.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados