PESQUISE NO SITE
Fale Conosco

Holywins: a santidade que vence. Saiba como viver as celebrações de Todos os Santos e Finados

Data de publicação: 01/11/2019

 



“Vi uma multidão imensa,
que ninguém podia contar,
de todas as nações, tribos, povos e línguas.
Estavam de pé, diante do trono e na presença do Cordeiro,
vestidos com túnicas brancas e de palmas na mão.
E clamavam em alta voz:
‘A salvação ao nosso Deus, que está sentado no trono,
e ao Cordeiro’” (Ap 7,9-10)

   
Esse trecho da primeira leitura da Solenidade de Todos os Santos, com imagens fortes e marcantes, destaca o “Holywins”, ou seja, que a santidade vence, sobretudo a salvação trazida por Cristo. Nesta data litúrgica, a Igreja peregrina venera a memória daqueles que levaram uma vida de santidade e já contemplam Deus face a face para que, assim, nos estimule com seu testemunho e intercessão junto a Jesus.
Uma celebração interligada à Comemoração dos Fiéis Defuntos - mais popularmente conhecida como Dia de Finados - já que, em 1º novembro, olhamos para aqueles que já vivem as alegrias eternas e, no dia 2 de novembro, voltamos nossas orações pelas almas do purgatório e todos os entes queridos. Dia de lembranças com saudade, mas não com tristeza!
A seguir, dicas simples e práticas de como bem vivenciar essas celebrações junto à comunidade cristã e também receber indulgências:

1 - Todos os Santos: compreender que a santidade não exclui ninguém
Como apontou o Papa Francisco na Exortação Apostólica, Gaudete et Exsultate, homens e mulheres; crianças, jovens e idosos: todos são chamados a uma vida santa, em meio ao seu cotidiano. O que não significa não ter pecados, mas sim a disposição de superá-los. “Para ser santo, não é necessário ser bispo, sacerdote, religiosa ou religioso. Muitas vezes somos tentados a pensar que a santidade esteja reservada apenas àqueles que têm possibilidade de se afastar das ocupações comuns, para dedicar muito tempo à oração. Não é assim. Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra” (nº14).

2 - Entender a continuação lógica entre as duas celebrações
A Igreja peregrina sobre a terra não poderia, ao celebrar a Igreja triunfante, esquecer a Igreja que se purifica no purgatório. Sendo assim, o dia dos Fiéis Defuntos não é dia de luto e tristeza, mas dia de esperança e de alegre expectativa de quando todos ressurgirão em Cristo para uma vida nova. É, sobretudo, dia de oração, que se revestirá da maior eficácia, se a unirmos ao sacrifício de reconciliação e banquete eucarístico.

3 - Como receber indulgências
De acordo com a Indulgentiarum Doctrina, “pode-se ganhar a indulgência de 2 de novembro, que só pode ser aplicada aos defuntos, em todas as igrejas, oratórios públicos ou semi-públicos ― para os que legitimamente usam desses últimos”. E ainda ao visitar o cemitério e rezar pelos falecidos.

4 - Condições para se receber uma indulgência plenária
São necessários seguir três passos: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do papa, sempre no espírito de rejeição ao pecado, mesmo o venial, e com o coração aberto à caridade.

5 - Celebrar a santidade como dom de Deus e recordações do que se foram com músicas de esperança
Nesta playlist, canções que alimentam a nossa esperança: agradecer ao Senhor que nos dá tudo conforme a disposição da Sua graça e que nos modela na santidade. Tudo é por graça e não por nossos méritos; sentir saudade e não tristeza, pois, um dia, estaremos todos reunidos na glória dos céus.



Por Gracielle Reis

Fonte: Paulinas-COMEP
Postado por: Comep



Compartilhe este conteúdo:

Comentários

Veja Também

Tempo de Advento: um caminho de preparação ao Senhor, que pode ser acompanhado com a música

Aproxima-se o Natal e a preparação para a vinda de Cristo. Confira uma seleção especial de canções para cada domingo do Advento.

Frei Luiz Turra comemora 50 anos de sacerdócio

O franciscano capuchinho é um grande parceiro da Paulinas-COMEP, tendo gravado inúmeros álbuns com a gravadora desde 1972.

Importa que eu seja santo: a nova música de Ricardo Sá que convida à santidade

O lançamento acontece no dia 1º de dezembro, quando a Igreja já vive o Tempo do Advento. Momento propício de preparação ao Natal do Senhor

Por que Santa Cecília é considerada Padroeira dos Músicos?

Santa Cecília tinha um amor incondicional por Jesus e tinha sempre, em seus lábios e coração, os louvores a Deus. Daí o fato de ser padroeira dos músicos.

“José de Nazaré": o novo álbum com “conversas” entre José, Maria e Jesus

Na produção, músicas que mostram a vida de José e representam diálogos entre os membros da Sagrada Família, com o anjo e outros personagens bíblicos.

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados