PESQUISE NO SITE
Fale Conosco

Coral Palestrina, referência de músicas litúrgicas, completa 50 anos

Data de publicação: 07/02/2020

Coral Palestrina na contracapa do LP "A vida ressurgiu" de 1995

Um ano jubilar para o Coral Palestrina! Neste mês de fevereiro, são 50 anos do grupo tão presente na vida da Igreja no Brasil, destacando-se como referência na música litúrgica do Brasil após o Concílio Vaticano II.

Esse grande evento da história da Igreja possibilitou a renovação das celebrações, deixando-as mais próximas do povo e da cultura local. Um contexto em que esteve amplamente presente o Coral Palestrina, sendo o coro aquele com o maior número de álbuns lançados em todo o Brasil, independentemente do gênero musical. 

Diversos integrantes do Palestrina se tornaram músicos de renome: regentes de grandes corais e alguns outros já cantaram ao papa e autoridades. Já os fãs do coral, carinhosamente chamados “palestrinandos”, estão por toda a parte, em grandes ou pequenas cidades, e cantam nas igrejas e fora delas, mas sempre com o “jeito palestrina de ser”.

Coral Palestrina em maio de 1976. (Foto: arquivo de Irene Candido Boveto)
Coral Palestrina em maio de 1976. (Foto: arquivo de Irene Candido Boveto)

A história do coral se confunde com a história da maestrina Ir. Custódia Maria Cardoso, religiosa da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição. A religiosa fundou o Coral Palestrina em 07 de fevereiro de 1970 na cidade de Apucarana, no Paraná. O nome “Palestrina” foi dado em homenagem ao compositor italiano da Renascença, Giovanni Pierluigi da Palestrina, que revolucionou a música sacra da Igreja Católica do século XVI. 


Repertório musical do Coral Palestrina

O primeiro álbum lançado pelo coro foi “Hino de Apucarana - Hino do Paraná”, no ano de 1980, composto por um dos coralistas, Antonio Ivo Lenartovicz. Em seguida, nas décadas de 80 e 90, o coral deu início à gravação do Hinário Litúrgico da CNBB, lançando os seguintes álbuns, todos pela Paulinas-COMEP e folheto O Domingo:

1989: Celebração da Misericórdia
1989: Somos Chamados
1990: Missa do Advento do Hinário Litúrgico
1990: Missa da Ressurreição do Hinário Litúrgico
1991: Vem e Segue-me (Missa Vocacional)
1991: Confirmados na Fé
1992: Natal - Evangelização dos Povos
1993: Tua Palavra Permanece
1994: O Chamado
1995: A Vida Ressurgiu
1995: Mestre Onde Estás?

Em 1995, a fundadora foi transferida para Curitiba, onde deu continuidade ao coral, contando com a presença de componentes de Apucarana e de novos integrantes, moradores da capital paranaense.
Também pela Paulinas-COMEP, o Coral Palestrina em Curitiba lançou os seguintes álbuns:

1995: Madre Paulina - Toda de Deus, Toda dos Irmãos
1996: Cantos da Semana Santa
1996: Natal de Jesus   

Cantos da Semana SantaCoral Palestrina
Coral Palestrina no CD "Cantos da Semana Santa" de 1996.

Ao longo desses 50 anos, o grupo gravou 48 álbuns de música litúrgica. Uma vasta obra que, desde a época dos LPs, compactos e CDs, contempla os mais diversos temas: celebrações litúrgicas, Bíblia, casamento, meditação, vocação e missão, salmos. Já na última década, o Coral Palestrina voltou a ter sua sede em Apucarana e lançou mais seis novos álbuns.
 
O Coral Palestrina também está nas plataformas digitais. Inscreva-se no canal do YouTube. E ainda no Spotify e na Deezer os s álbuns do coral.



A protagonista desta história

Desde jovem, Ir. Custódia sempre foi um nome de relevo a partir de sua obra, arte, música, liturgia e comunicação. Catarinense, a religiosa é formada em Música pela USC de Bauru (SP) e em Comunicação, pela PUC-SP e USP. Uma musicista muito estimada entre os clérigos e leigos.

Atualmente, a maestrina reside em Aparecida (SP), faz parte da liturgia do Santuário Nacional, no serviço de regência do Coral dos Peregrinos e como cantora de salmos. A religiosa, que é cidadã honorária de Apucarana, continua sendo a regente oficial do Coral Palestrina, mesmo não morando no Paraná. Além disso, continua a desempenhar sua missão ministrando cursos de música em várias regiões do Brasil.

Ir. Custódia deixou a marca da leveza na interpretação do Coral Palestrina e, além de valorizar imensamente a música sacra e litúrgica, tornou conhecidos compositores de várias partes do Brasil. Ou seja, uma boa semeadora, pois a semente que plantou produziu bons frutos. Diversas pessoas foram e continuam sendo influenciadas pelos trabalhos da religiosa e veem o seu trabalho como principal referência. Além da música, liturgia e arte teve também a comunicação como campo de missão e grande “arma”.

Em 1975, a maestrina fundou ainda um coral infantil, os “Pequenos Cantores”, que interpretava músicas religiosas com bonitas coreografias. Ainda na década de 70, a religiosa produziu uma das primeiras Missas televisionadas no país, dentro do projeto “O Onze vai à Missa”, que recebeu vários prêmios.

Outras atuações de Ir. Custódia foi a participação em inúmeros programas de rádio e contribuições na criação de informativos da Diocese de Apucarana. Foi também criadora do ‘Clube do Menor Trabalhador’ em Apucarana, com o apoio do juiz da comarca local.
 

Por Lucas Cassaro
Assessoria de Imprensa do Coral Palestrina

Fonte: Paulinas-COMEP
Postado por: Comep



Compartilhe este conteúdo:

Comentários

Veja Também

LAVE AS MÃOS - Não dê carona ao “Corona” é o novo clipe e single da Bellinha a Ovelhinha

Com uma música educativa e divertida, Bellinha a Ovelhinha recorda as crianças sobre a importância de lavar bem as mãos e outras formas de evitar o contágio do COVID-19.

Com Nossa Senhora do Rosário de Fátima, descubramos o verdadeiro segredo

Neste 13 de maio, celebremos este título mariano cuja devoção se espalhou pelo mundo. Confira um pouco da história das aparições e canções de louvor à Mãe do Céu.

Cantando com Nossa Senhora: série de lives com artistas da gravadora Paulinas-COMEP

Os artistas da gravadora iniciam, neste 11 de maio, lives pelo Instagram. Sempre em duplas, os músicos se encontrarão, às 20h, em seus perfis pessoais na rede social ou de seu ministério.

Do vinil ao digital na Paulinas-COMEP: as possibilidades que surgiram com as novas formas de ouvir música

Em 2020, a gravadora Paulinas-COMEP completa 60 anos de história, num contexto de evangelização pelo campo digital. Um trabalho em expansão na gravadora religiosa mais antiga do Brasil.

No Dia do Sertanejo (03/05), uma homenagem à música cristã sertaneja

A música sertaneja faz grande sucesso no Brasil. Neste dia de comemoração, recordamos especialmente os músicos cristãos desse gênero musical.

Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Próximo Final

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados