PESQUISE NO SITE
Fale Conosco

“Quão grande és tu”: uma singela poesia sobre gratidão na voz de Antonio Cardoso

Data de publicação: 25/11/2020




Então minh'alma canta a ti, Senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu
Então minh'alma canta a ti, Senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu!

A letra e melodia desse refrão já estão nos lábios há várias décadas! No Dia de Ação de Graças, em 26 de novembro, Antonio Cardoso apresenta sua versão de "Quão grande és tu", este belo hino de louvor e gratidão a Deus.

Como ele descreve, trata-se de uma “singela poesia para expressar o significado de gratidão”. Com certeza, uma poesia em canção nesta bela versão com presença marcante do backing vocal, piano e violino.

Apesar de um ano de 2020 cheio de desafios para todo o mundo, o coração humano pode conservar a gratidão e a esperança. São muitos os motivos para agradecer:

1. Pelo dom da vida, pelo ar que respiramos, pela água, pelo alimento, por toda beleza da criação divina.
Senhor meu Deus, quando eu maravilhado
Fico a pensar nas obras de tuas mãos
No céu azul de estrelas pontilhado
O teu poder mostrando a criação

2. Pelo poder de Deus que tudo vence e também prevalecerá sobre a pandemia.
Quando a vagar nas matas e florestas
O passaredo alegre ouço a cantar
Cruzando os montes, vales e florestas
O teu poder mostrando a criação

3. Por todos os profissionais de saúde, bombeiros, cientistas e tantos outros profissionais que, como Cristo, têm doado suas vidas e talentos em favor da saúde e da vida das pessoas.
Quando eu medito em teu amor tão grande
Teu filho dando ao mundo pra salvar
Na cruz vertendo o seu precioso sangue
Minh'alma pode assim purificar

4. Por todas as graças a nós concedidas e, sobretudo, pela grande “ação de graças” que é a Eucaristia. “Ela é pão que parte e se reparte, é gesto concreto de solidariedade, é sacramento do mistério da cruz. A Igreja, ao repeti-lo, o faz lembrando de todos os sofridos, especialmente dos enfermos e dos mais pobres”, como explica Antonio Cardoso.
Quando enfim, Jesus vier em glória
E ao lar celeste então me transportar
Te adorarei, prostrado e para sempre
Quão grande és tu, meu Deus hei de cantar


:: Clique aqui para fazer o pre-save e ouça "Quão grande és tu" nas plataformas digitais a partir de 26/11

Antonio Cardoso
Antonio Cardoso lança a sua versão de "Quão grande és tu"

O ecumenismo em canção

“Quão grande és tu” é uma música de tradição evangélica e muito conhecida na Igreja Católica. Lançar esta nova versão, nas vésperas do Dia de Ação de Graças, também é um sinal de unidade.

O “Thanksgiving Day” é um importante feriado nacional nos Estados Unidos, sempre celebrado na quinta-feira da quarta semana de novembro. Sua origem remonta a 1621 quando os primeiros colonos e religiosos em terras norte-americanas agradeciam a Deus pela boa colheita daquele ano. Há narrativas que descrevem que esses colonos, em um determinado dia daquele ano, convidaram os indígenas para partilhar a refeição e comemorar ainda o modo correto do plantio ensinado pelos nativos.

Uma festa de matriz protestante, assim como “Quão grande és tu”. O hino é uma melodia tradicional sueca, cuja letra foi traduzida do sueco para o inglês por Stuart Wesley Keene Hine (1899-1989).

A composição de Carl Boberg foi inspirada a partir de uma experiência de perdão. Tocado pela atmosfera e a beleza da paisagem ao seu redor, Boberg encontrou sentimentos, palavras e expressões para escrever este famoso hino.
Para Antônio Cardoso, lançar esta versão de “Quão grande és tu” é dar espaço à gratidão e suas memórias. O seu primeiro contato com o hino foi ao ler o título da canção na placa da casa de uma amiga em Rui Barbosa-BA: “Fiquei um bom tempo meditando sobre aquela frase em meio àquelas flores e a vista da cidade do alto da Serra do Orobó. Sempre que eu ouvia esta canção, me lembrava da Marlene, uma senhora que sempre estava à frente de minhas idas à Rui Barbosa, onde cantava na praça”.

Como um hino de louvor, Cardoso pretende ainda despertar nos corações a expectativa de superação de todas as consequências da pandemia da Covid-19. “Não preciso entrar em detalhes. O detalhe é o quanto uma canção pode encher de esperança nestes momentos de dor. Esta é a razão que levou-me a cantar essa canção porque gratidão é o jeito mais forte e restaurador de se viver”, afirma.

Por Gracielle Reis
 

Fonte: Paulinas-COMEP
Postado por: Comep



Compartilhe este conteúdo:

Comentários

Veja Também

Quaresma 2022: inicia-se o tempo forte na Igreja de oração, jejum e penitência

Em especial, para a celebração de 2022, o Papa Francisco convidou crentes e não-crentes a uma jornada de jejum pela paz entre Rússia e Ucrânia.

Por que existe a devoção a Nossa Senhora aos sábados?

Saiba de onde vem esse costume, que está relacionado ao Tríduo Pascal. Maria teria sido a única pessoa que permaneceu firme, esperando a ressurreição de Jesus.

O que é o Tempo Comum no calendário litúrgico?

Subdividido em duas partes, um “tempo ordinário”, mas não menos importante e que pode ser vivido com a música para os momentos de oração e escolha dos cantos para as Missas.

Cantando os Evangelhos: canções para o Tempo Comum C

Músicas inspiradas no Evangelho de Lucas, cujos textos regem o Ano C. A composição e música são assinadas por Frei Luiz Turra.

7 músicas para o Domingo da Palavra

Para o dia 23 de janeiro, uma indicação de canções para ressaltar o valor da Palavra de Deus.

Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Próximo Final

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados