Edição 88

Data de publicação: 16/10/2017

Aprender, reaprender, refletir, avaliar

Numa época em que se exacerbam os fundamentalismos e se aplaudem a liberdade de expressão através das tecnologias democráticas das redes sociais, parece-nos primordial pensar a educação como consciência crítica.
Popularmente, a palavra crítica pode ser entendida como algo negativo, que destrói, quebra o seu oposto. Mas, na política educacional, a educação crítica é entendida como uma práxis que gera o debate com os alunos e provoca a capacidade interpretativa dos fatos.
Pensar a educação a partir de uma perspectiva crítica vem a ser, neste momento histórico social, uma necessidade. Formar cidadãos desenvolvendo a criticidade com tolerância e diálogo é educar para a cidadania, com vistas à democracia, dentro de um processo pedagógico transformador.
Como não poderia ser diferente, nesta edição a revista Diálogo – Religião e Cultura aborda o conceito de consciência crítica entendida a partir das ideias de Paulo Freire, que considera o processo educativo um facilitador de mudança e desenvolvimento de uma consciência que ele chama de “consciência ingênua para outro tipo de pensamento”, ou “consciência crítica”. Essa mudança na maneira de pensar ocorre a partir da mediação do professor, quando ele trabalha incentivando, problematizando, auxiliando o aluno a refletir sobre sua realidade. A este processo de transformação de consciência ingênua para consciência crítica ele chama de conscientização. Nesse sentido, o papel do educador seria de alguém que provoca a reflexão crítica a partir dos conflitos que emergem do seu cotidiano.
Socializar o conhecimento entre educador e educando produz uma reflexão que fará com que o educando desenvolva a consciência de que ele pode intervir com a capacidade de conectar o conhecimento ao poder e à habilidade de tomar atitudes construtivas.
 


 

Cultura

 


 
Brasil

20 de novembro - Dia da consciência de todos nós

Artigo

Sempre Diva!

Religiões

Artigo

Crise de comunicação ou de escolhas?

Atualidade

 

Artigo

Internauta compulsivo

 

Crônica

Por trás da pele

Você Sabia

Síndrome do pânico. O que fazer?

Educação

 

     

Artigo

Política, religião e futebol não se discutem?

 

     

Artigo

Há esperança! Socialização de experiências positivas

     

Homenagem ao professor

https://www.paulinas.org.br/pub/Dialogo/nesta_edicao/2017/Outubro%20-%20Dezembro%20N88/HOMENAGEM.jpg

     

Artigo

Consciência ingênua e consciência crítica no pensamento de Paulo Freire

     

Personalidade

20 anos sem Paulo Freire - Reflexões e transformações

     

Sua Página

Um país de mil caras: O reconhecimento da cultura afrodescendente na escola

     

Resenha

Cartas Pedagógicas - Processos de ensinar a quem enxerga sem o sentido da visão

 

 

 

 

Fonte: Edição Nº88 Out/Dez 2017
Postado por: Diálogo




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Edição 87, Julho/Setembro
Diálogo edição 87, Julho/Setembro, 2017 500 ANOS DA REFORMA LUTERANA
Edição 86, Abril/Junho de 2017
Revista Diálogo edição 86 destaca o papel do líder
EDIÇÃO 85
Pertencemos a uma mesma casa comum. O impacto dessa concentração populacional sobre o meio ambiente produz dilemas que põem em risco as riquezas naturais. De forma simples, vamos aborda cada um de nossos biomas,características e problemas fundamentais.
EDIÇÃO 84
Taj Mahal- O amor imortalizado em um monumento-túmulo. Desde os seus primódios, os seres humanos – em todos os tempos e lugares – expressam de alguma forma um instintivo respeito aos mortos
EDIÇÃO 83
Ensinar a amar. A Misericórdia, o perdão e ao compaixão existem no coração de cada ser humano.
1 2 3 4 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados