Mel puro

Data de publicação: 05/09/2018

Mel puro

O raro privilégio de saborear o mel diretamente do favo é algo como viajar no tempo. O mel, como a mais primordial substância adoçante, deu sabor e nobreza a ritos sagrados e a alimentos de seres humanos e de deuses, nas mais remotas culturas, regiões e épocas da Terra.
Professores de Ensino Religioso são como sábios apicultores que se preparam, vencem dificuldades, usam os instrumentos apropriados e extraem o alimento fortificante e saboroso diretamente dos favos. É assim a professora Silvana Maria de Lara, da Escola Municipal Irmã Dulce, de São José dos Pinhais (PR). Graduada em Pedagogia e pós-graduada em Ensino das Artes Visuais, ela fez vários cursos presenciais e virtuais na área do Ensino Religioso e ministra palestras e minicursos sobre essa área de conhecimento. Tudo adoçado pela apicultura diária do Ensino Religioso na sala de aula.
Extrair mel dos favos é ir às fontes do conhecimento, como fez a professora Silvana ao convidar líderes religiosos para um diálogo aberto com alunos na sala de aula. A experiência deixou um sabor de doçura e um pedido bem típico das crianças: “Queremos mais”. É o que ela narra no texto a seguir.

Projeto Diálogos
Em homenagem à DIÁLOGO – REVISTA DE ENSINO RELIGIOSO, que tanto contribui na formação dos professores, eu escolhi para o meu projeto o nome de Diálogos. Nessa vivência, os alunos de duas turmas do 5º ano do Ensino Fundamental I, puderam perguntar, aprender e falar sobre várias questões referentes às religiões, diretamente com os líderes de duas denominações religiosas, o pastor da Igreja Batista Reginaldo Aparecido de Oliveira e a pregadora da Igreja Ecumênica da Religião de Deus Regina Santos.
Em um primeiro momento, entrei em contato com líderes religiosos de ambientes diversos, que eu conhecia, mas por vários motivos, apenas dois deles puderam atender ao convite. Combinamos um roteiro de trabalho: eles deveriam falar sobre sua missão como líderes religiosos e sobre os princípios básicos de suas tradições religiosas, sem proselitismo, visando o conhecimento e respeitando a diversidade presente na sala de aula.
Depois de tudo combinado com os dois visitantes, chegou o momento de conversar com os alunos.  Expliquei que iríamos receber visitas importantes para o nosso aprendizado e que deveriam aproveitar ao máximo, pois as pessoas iriam dedicar seu tempo a eles, preparando a exposição e comparecendo na escola. Os alunos retribuíram com muitos questionamentos e com o entusiasmo e a curiosidade que os caracterizam. Corresponderam ao estímulo para aproveitar bem a presença de pessoas que poderiam esclarecer a fundo as dúvidas deles sobre as referidas religiões. 
No dia combinado, o pastor Reginaldo participou da aula de Ensino Religioso, explicou as bases da Igreja Batista e mostrou fotos do templo, da comunidade e dos ritos de batismo e de casamento. Contou fatos de sua trajetória pessoal, projetou fotos da família e da ordenação como pastor e explicou os compromissos assumidos. Um pastor preside os cultos na Igreja, visita os doentes, acompanha os grupos de estudos, a evangelização infantil e de adultos e aconselha os fiéis em particular, entre outras atribuições.
Depois de esclarecidas as várias perguntas levantadas pelos alunos, o pastor sugeriu uma vivência por meio de uma música cristã tocada por ele ao violão e cantada pelas crianças que fizeram questão de acompanhar. Foi um momento descontraído e de muito aprendizado.
A visita seguinte foi a da pregadora ecumênica Regina Santos, que narrou as origens e os fundamentos da Religião de Deus. Houve a exposição de um documentário sobre o templo da Legião da Boa Vontade, situado em Brasília (DF), que despertou muito interesse nos alunos, tanto pela arquitetura como pelo mural de retratos de pessoas influentes nas religiões, nas artes e nas ciências, que contribuíram para o avanço da humanidade.
Os alunos acharam fascinante uma religião que não pergunta a crença da pessoa, mas a recebe de braços abertos e, inclusive, reverencia personalidades importantes de outras religiões e abre suas portas para que todos possam rezar à sua maneira. Por esse motivo, o templo já é o ponto turístico mais visitado da capital brasileira. Houve muitas perguntas e no fim do diálogo a pregadora propôs uma dinâmica que fez os alunos, perceberem a importância de sermos unidos e de respeitarmos a nós mesmos e ao próximo. Depois, ouvimos uma música que é destinada às crianças da Religião de Deus, e os alunos aderiram ao convite para cantar juntos. 
Nas semanas seguintes, eu conversei com as turmas sobre as duas visitas, e os alunos confirmaram que foram momentos maravilhosos, de muito aprendizado e de amizade, pois já estão pedindo que os líderes religiosos voltem. Eu também fiquei muito feliz por poder oferecer esses momentos de aprendizagem, que eu, enquanto estudante, não tive, mas que agora posso proporcionar aos meus alunos e também aproveitar para aprender muito.
Registro nas páginas da revista, um abraço especial à Regina e ao Reginaldo e o meu desejo de que o Transcendente continue iluminando seus caminhos missionários. Também agradeço aos meus alunos, que sempre me motivam na busca dessas atividades diferenciadas, mesmo com todas as dificuldades que uma proposta assim acarreta para se concretizar, pois sei que terá um excelente resultado, com muitas perguntas a  responder e muitos comentários para ouvir e refletir.
O depoimento da professora Silvana leva a concluir que a apicultura foi realizada e o mel puro, distribuído aos estudantes. Farto e saboroso, ele continuará nutrindo a educação integral que conduz não apenas à convivência com a diversidade religiosa, mas também ao conhecimento, ao entusiasmo e à amizade, que claramente foram despertados neste lindo projeto.
Projeto Diálogos
Tema: diversidade religiosa.
Atividade:  visita e depoimento de líderes religiosos sobre suas respectivas tradições.
Tempo previsto: duas aulas.
Turmas: 5° Ano do Ensino Fundamental I
Objetivos:
Conhecer uma possibilidade de contato com o Transcendente através da vida religiosa.
Aprender sobre uma tradição diretamente com o seu líder religioso.
Promover o respeito à diversidade religiosa.

Referências
BESEN, José Artulino, HEERDT, Mauri Luiz; DE COPPI, Paulo. O Universo religioso: as grandes religiões e tendências  religiosas atuais. São Paulo: Editora Mundo e Missão, 2008.
BIACA, Et alli. O sagrado  no Ensino Religioso – Caderno Pedagógico de Ensino Religioso. Curitiba: Secretaria de Estado da Educação (SEEED) do Paraná, 2006.
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Currículo para as unidades da Rede Municipal de Ensino – Ensino Religioso. São José dos Pinhais: SME, 2008.

Fonte: Dialogo 77, Fevereiro/Abril de 20145
Postado por: Diálogo




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Fronteiras, diálogo e paz
Acolher a vida de pessoas imersas em culturas diferentes das nossas, começamos a resgatar a nossa humanidade
Ensino Médio em foco
Projetos que deem aos estudantes a chance de serem sujeitos da aprendizagem garantem que vale a pena assumir o desafio.
Transposição didática
O Conselho Nacional de Educação reconheceu nas Diretrizes para o Ensino Fundamental
Religião como problema
A pergunta pelo objeto da Ciência da Religião está no centro do seu estudo, como nas demais ciências
A arte do olhar interdisciplinar
O Ensino Religioso é constituinte curricular da Educação Básica na área de conhecimento das Ciências Humanas
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados