Diálogo 92, Outubro/Dezembro de 2018

Data de publicação: 31/10/2018



Coisa pública, bem de todos e para todos!

Quem se apropria de bens públicos não entendeu a finalidade coletiva dos bens, que, por serem públicos, são para todos como coletividade. Aprender a conviver exige das pessoas compromissos éticos que repercutam nos fluxos sociais e orientem o fazer humano em prol da espécie como um todo. Os processos educativos nos permitem aprofundar um aprendizado, em valores, que garanta esta convivência.
A ética derivada da experiência com uma espiritualidade, e aqui entra o papel do Ensino Religioso na Educação, sempre inclui a construção de uma civilização marcada pelos valores que emanam do encontro com o Transcendente e, consequentemente, do encontro com o outro. As experiências religiosas marcam todo o ser e fazer da pessoa e da comunidade.
Assim, espiritualidade e solidariedade tornam-se necessárias para um aprendizado que exige constante abertura, doação e uma atuação permanente na construção de projetos coletivos.
A constituição do ser humano não resulta de atitudes apenas individuais, mas sim das relações que se expressam de diferentes formas. Muitas vezes é na transcendência que o ser humano encontra explicações para sua realização e organização da vida com sentido.
A luta e a defesa dos bens públicos como condição de mantermos atendidas as necessidades básicas para todos, em nossa sociedade, devem ser, de alguma forma, resgatadas. A escola, especialmente a de Educação Básica, tem uma oportunidade e uma grande responsabilidade neste aprendizado.
Que os bens públicos sejam percebidos e cuidados como de todos! Que as organizações de Estado não sejam manipuladas para atender aos interesses de poucos. Que nossa cidadania permanente nos obrigue a zelar para que tenhamos uma verdadeira democracia, com justiça e respeito a todos e a cada um.


Cultura


8 BRASIL – Festival folclórico de Parintins







12 ARTIGO – Tatuagem: Imagem da alma e corpo-vitrine







18 FÁBULA – O sonho dos ratos







21 ARTIGO – A mentira corrói os valores da sociedade







23 ARTIGO – Declaração Universal dos Direitos da Criança


Religiões



24 ARTIGO – A Solidariedade e a espiritualidade são necessárias ao ser humano







30 ARTIGO – Natal – Nascimento do Menino-Deus







36 ARTIGO – Oração das férias



Atualidade

37 ARTIGO – Juventude e violência: se faz urgente um caminho de paz







40 ARTIGO – Sobre as coisas públicas!







46 ARTIGO – Luzes e sombras do momento atual



Educação

52 ARTIGO – Quando as palavras cantam – Formação humana com música







61 ARTIGO – Dia Mundial dos Animais







63 RESENHA – O Desenvolvimento Moral dos Adolescentes







64 VOCÊ SABIA – Diretrizes Curriculares Nacionais para as Licenciaturas em
                             Ciência(s) da(s) Religião(ões): mais uma conquista do Fonaper

Fonte: Diálogo 92 Outubro/Dezembro de 2018
Postado por: Diálogo




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Sumário - Edição 76
O lema de vida do Mestre inspira a Campanha da Fraternidade de 2015. Com o tema Fraternidade: Igreja e Sociedade
Sumário - Edição 75
O Plano Nacional de Educação (PNE), traça metas e estratégias para que os estudantes protagonizem o processo de ensino-aprendizagem.
Sumário - Edição 74
A fé entra em todos os campos da convivência humana. Desde o futebol até as manifestações dos ethos perenes de cada povo.
Sumário - Edição 73
A transposição didática da área acadêmica de Ciência da Religião para o Ensino Religioso pode ser comparada a uma plataforma.
Sumário - Edição 72
Toda pessoa nasce livre, diz a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ninguém, portanto, precisaria comprar liberdade. Três faculdades conferem dignidade ao ser humano: inteligência, sentimento e liberdade.
Início Anterior 1 2 3 4 5 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados