A paz na escola é tarefa interdisciplinar

Data de publicação: 24/03/2014

Suzana dos Santos Gomes*

A pessoa humana procura respostas para suas indagações, nas relações consigo,com o diferente, com o mundo e com o sagrado. Na faixa etária do ensino fundamental, a criança vive o tempo da formação da própria identidade e da descoberta do Transcendente.

Cabe ao Ensino Religioso contribuir para que, na dinâmica da educação integral, se estabeleça a base para a formação e o exercício da cidadania e se criem situações propícias para o engajamento na construção da paz. Todas as disciplinas podem contribuir para o processo de humanização da criança e de compreensão mais profunda da vida. O conhecimento dos conteúdos, aliado às atividades significativas, interdisciplinares, artísticas, lúdicas e que propiciem a imaginação e a criatividade, possibilita o despertar para aspectos fundamentais da existência humana.

As atividades sugeridas a seguir podem ser selecionadas considerando a idade dos alunos e, com adaptações, ser desenvolvidas com adolescentes e jovens.

Projeto interdisciplinar:

Ensino Religioso, Estudos Sociais, Educação Artística, Português e outras
Tema: Dignidade humana e paz
Faixa etária: séries iniciais

Objetivos

• Educar para a paz, a justiça, a solidariedade, por meio de atividades adequadas à faixa etária.
• Atingir os objetivos metodológicos enfatizados nos parâmetros curriculares nacionais, através dos princípios da contextualização e da interdisciplinaridade.
• Desencadear um processo de aprendizagem significativa.

Música – A paz em canção

• Pedir aos alunos que selecionem músicas que costumam cantar em suas comunidades de fé, nas quais apareça a palavra paz.
• Deixar que os alunos pertencentes a diferentes Igrejas, ou outros grupos religiosos, apresentem suas músicas.
• Sugerir que expliquem em que momentos determinada música é usada, em suas comunidades de fé.
• Sugerir a produção de textos, poesias e poemas, a partir das músicas.
• Montar pequenas peças de teatro que desenvolvam algum tema sugerido nas músicas.
• Registrar ideias, palavras, desenhos, colagens, mostrando como podemos viver nas relações diárias a paz que as músicas sugerem.

Dinâmica: Onde está a paz?

• Espalhar no chão recortes de revista com gravuras diversas sobre a atualidade.
• Pedir às crianças que organizem o material avaliando o que é sinal de presença da paz ou de ausência da paz.
• Sugerir que narrem as impressões e os sentimentos que surgiram.
• Pedir que lembrem sinais visíveis de paz na escola e na comunidade.
• Pedir que escrevam textos individuais ou coletivos sobre o trabalho realizado.
• Sugerir o uso dos recortes e dos textos produzidos para a montagem de um jornal mural, escolher um título como “Nós acolhemos a paz” (ou outro).
• Sugerir que destaquem notícias “O que Deus gostaria de ler”, no mural.

Dinâmica: Lobos e cordeiros

• Organizar a classe: três lobos, seis cordeiros e os demais serão pastores.
• Os lobos tentarão caçar os cordeiros.
• Os pastores deverão impedir.
• Após alguns minutos de brincadeira, trocar os papéis (lobo, cordeiro e pastor), até que todos passem pelos três papéis.
• Deixar que os alunos relacionem a dinâmica com a vida cotidiana e com a construção da paz.

Passeata

Divulgar o tema da paz por meio de uma passeata das crianças pela escola e suas proximidades.

Texto: Manifesto

• Elaborar um manifesto de compromissos da classe com a paz.
• Organizar grupos para que  produzam uma frase de compromisso com a paz.
• Organizar as frases uma após a outra, de modo que o texto tenha estilo de um manifesto.
• Convidar os adultos da escola e das famílias a assinar o manifesto elaborado pelos alunos, na defesa da paz e da não violência.
Pode ser acessado, para servir como inspiração, o manifesto da Unesco site: http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/

Dinâmica: o ônibus da inclusão

• Fixar na sala alguns “pontos de ônibus”.
• Pedir a um aluno que dê voltas pela sala imitando um condutor de ônibus.
• A cada parada, sugerir quem pode tomar o ônibus:
quem tem roupa de determinada cor,
quem usa tênis,
quem tem algum enfeite no cabelo,
quem tem pasta de rodinhas,
quem usa óculos,
quem tem mochila etc.
• Cada grupo chamado integra o ônibus e as voltas continuam, até que todos do grupo tenham embarcado.
• Após a brincadeira, pedir que as crianças relacionem a dinâmica com as situações de inclusão e exclusão que existem na sociedade.



Direitos do coração






21 filmes de animação, com belíssimas imagens e músicas, sem falas, interpretam os Direitos Universais da Criança e do Adolescente elaborados pela ONU para estudantes de qualquer idade.
Código: 171468 – Paulinas Multimídia.



Fonte: Diálogo 41 - Fev/2006
Postado por: Diálogo




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Currículo, um rio em movimento
O currículo de Ensino Religioso é como um grande rio que condensa águas de inúmeros afluentes formados por uma infinidade de nascentes
Lei Nº 9475, de 22 de julho de 1997
Dá nova redação ao Art. 33 da Lei Nº 9394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.
Onde nos chamam
Uma escola estadual com 3.800 alunos, da periferia de uma cidade da Grande São Paulo (SP), sofria depredações e tinha os professores intimidados por um grupo de jovens que se intitulavam Turma do Poder.
Início Anterior 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados