A paz na escola é tarefa interdisciplinar

Data de publicação: 24/03/2014

Suzana dos Santos Gomes*

A pessoa humana procura respostas para suas indagações, nas relações consigo,com o diferente, com o mundo e com o sagrado. Na faixa etária do ensino fundamental, a criança vive o tempo da formação da própria identidade e da descoberta do Transcendente.

Cabe ao Ensino Religioso contribuir para que, na dinâmica da educação integral, se estabeleça a base para a formação e o exercício da cidadania e se criem situações propícias para o engajamento na construção da paz. Todas as disciplinas podem contribuir para o processo de humanização da criança e de compreensão mais profunda da vida. O conhecimento dos conteúdos, aliado às atividades significativas, interdisciplinares, artísticas, lúdicas e que propiciem a imaginação e a criatividade, possibilita o despertar para aspectos fundamentais da existência humana.

As atividades sugeridas a seguir podem ser selecionadas considerando a idade dos alunos e, com adaptações, ser desenvolvidas com adolescentes e jovens.

Projeto interdisciplinar:

Ensino Religioso, Estudos Sociais, Educação Artística, Português e outras
Tema: Dignidade humana e paz
Faixa etária: séries iniciais

Objetivos

• Educar para a paz, a justiça, a solidariedade, por meio de atividades adequadas à faixa etária.
• Atingir os objetivos metodológicos enfatizados nos parâmetros curriculares nacionais, através dos princípios da contextualização e da interdisciplinaridade.
• Desencadear um processo de aprendizagem significativa.

Música – A paz em canção

• Pedir aos alunos que selecionem músicas que costumam cantar em suas comunidades de fé, nas quais apareça a palavra paz.
• Deixar que os alunos pertencentes a diferentes Igrejas, ou outros grupos religiosos, apresentem suas músicas.
• Sugerir que expliquem em que momentos determinada música é usada, em suas comunidades de fé.
• Sugerir a produção de textos, poesias e poemas, a partir das músicas.
• Montar pequenas peças de teatro que desenvolvam algum tema sugerido nas músicas.
• Registrar ideias, palavras, desenhos, colagens, mostrando como podemos viver nas relações diárias a paz que as músicas sugerem.

Dinâmica: Onde está a paz?

• Espalhar no chão recortes de revista com gravuras diversas sobre a atualidade.
• Pedir às crianças que organizem o material avaliando o que é sinal de presença da paz ou de ausência da paz.
• Sugerir que narrem as impressões e os sentimentos que surgiram.
• Pedir que lembrem sinais visíveis de paz na escola e na comunidade.
• Pedir que escrevam textos individuais ou coletivos sobre o trabalho realizado.
• Sugerir o uso dos recortes e dos textos produzidos para a montagem de um jornal mural, escolher um título como “Nós acolhemos a paz” (ou outro).
• Sugerir que destaquem notícias “O que Deus gostaria de ler”, no mural.

Dinâmica: Lobos e cordeiros

• Organizar a classe: três lobos, seis cordeiros e os demais serão pastores.
• Os lobos tentarão caçar os cordeiros.
• Os pastores deverão impedir.
• Após alguns minutos de brincadeira, trocar os papéis (lobo, cordeiro e pastor), até que todos passem pelos três papéis.
• Deixar que os alunos relacionem a dinâmica com a vida cotidiana e com a construção da paz.

Passeata

Divulgar o tema da paz por meio de uma passeata das crianças pela escola e suas proximidades.

Texto: Manifesto

• Elaborar um manifesto de compromissos da classe com a paz.
• Organizar grupos para que  produzam uma frase de compromisso com a paz.
• Organizar as frases uma após a outra, de modo que o texto tenha estilo de um manifesto.
• Convidar os adultos da escola e das famílias a assinar o manifesto elaborado pelos alunos, na defesa da paz e da não violência.
Pode ser acessado, para servir como inspiração, o manifesto da Unesco site: http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/

Dinâmica: o ônibus da inclusão

• Fixar na sala alguns “pontos de ônibus”.
• Pedir a um aluno que dê voltas pela sala imitando um condutor de ônibus.
• A cada parada, sugerir quem pode tomar o ônibus:
quem tem roupa de determinada cor,
quem usa tênis,
quem tem algum enfeite no cabelo,
quem tem pasta de rodinhas,
quem usa óculos,
quem tem mochila etc.
• Cada grupo chamado integra o ônibus e as voltas continuam, até que todos do grupo tenham embarcado.
• Após a brincadeira, pedir que as crianças relacionem a dinâmica com as situações de inclusão e exclusão que existem na sociedade.



Direitos do coração






21 filmes de animação, com belíssimas imagens e músicas, sem falas, interpretam os Direitos Universais da Criança e do Adolescente elaborados pela ONU para estudantes de qualquer idade.
Código: 171468 – Paulinas Multimídia.



Fonte: Diálogo 41 - Fev/2006
Postado por: Diálogo




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Religião como problema
A pergunta pelo objeto da Ciência da Religião está no centro do seu estudo, como nas demais ciências
A arte do olhar interdisciplinar
O Ensino Religioso é constituinte curricular da Educação Básica na área de conhecimento das Ciências Humanas
Enfrentamento ao tráfico de seres humanos na escola
A educação, direito de todos e dever do Estado e da família
Valores morais e éticos no Ensino Religioso
A formação dos professores de Ensino Religioso (ER), na perspectiva das Ciências da Religião
A proposta da transdisciplinaridade
As principais ameaças à existência sustentável da humanidade agora vêm de pessoas, não da natureza
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados