BUSCA

Notícias

Confissão

Data de publicação: 28/02/2019

PRECISA DE PAZ?

ENTÃO, FAÇA UMA BOA CONFISSÃO!


Pe. Cleiton Viana da Silva

Pe. Cleiton Viana da Silva é sacerdote da Diocese de Mogi das Cruzes, doutor em Teologia Moral e professor na Faculdade Paulo VI (Mogi das Cruzes). É pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo (César de Souza/Mogi das Cruzes) e assessor para a Animação Bíblico-Catequética no SP2/CNBB. Contato: silvacvs@hotmail.com

 

Sente que sua vida está sem rumo ou sem graça, sem cor? Tudo o que lhe dava alegria parece dar tédio ou mesmo decepção? Tem imaginado abandonar tudo e sumir do mundo? Até as pessoas mais importantes para você parecem ser a causa das suas angústias? Então, talvez você precisa se confessar...

Como assim?!

A confissão é o sacramento da reconciliação. Reconciliar significa colocar as coisas no lugar... Nossa vida fica sem rumo, sem graça, sem cor... nossa decepção com as coisas parece insuportável... nosso mundo parece sem sentido e que não vale a pena... as pessoas que mais amamos parecem ser a causa de todo nosso sofrimento... QUANDO NOSSA VIDA ESTÁ DESORGANIZADA.

Verifique algumas coisas: nos últimos tempos, quais pensamentos têm ocupado sua mente, seu coração? Com quais projetos ou atividades você tem usado maior parte do seu tempo? Quais atitudes consigo mesmo e com os outros têm sido constantes no seu dia a dia? O que tem sido mais importante para você e quais verdades têm sustentado sua luta? Com o que você tem alimentado sua vida, seu espírito?

Mas por que a confissão?

É verdade que a confissão não é ato mágico, pelo contrário, é um sacramento! Envolve fé, envolve pertença a uma comunidade e significa acima de tudo seguir Jesus Cristo, que nos chama à conversão. Mas o que gostaria de chamar a atenção é que a confissão desperta em nós uma força de revisão e reorganização da nossa vida. Veja esses elementos essenciais da confissão que podem nos ajudar a colocar em ordem nossa vida:

EXAME DE CONSCIÊNCIA: é o momento em que confrontamos nossa vida com o projeto de Deus, com nossa fé, com nossa esperança. Como tem sido minha vida? Quais têm sido minhas escolhas? Quais valores e “verdades” têm sustentado essas escolhas? Será que peguei algum caminho errado? Será que abracei a mentira como verdade? O exame de consciência nos deixa mais humildes diante da vida...

ARREPENDIMENTO: reconhecer os erros já é graça de Deus. Perceber os equívocos da vida, perceber as inversões de valor, perceber as negligências ou exageros é sempre situação libertadora. É verdade que muitos apenas se arrependem por medo das consequências, mas ainda assim é oportunidade de recomeçar. Felizes os que se arrependem porque tomam consciência da vida mais plena que os espera...

CONFISSÃO: é a narração (acusação) diante do sacerdote dos próprios pecados e arrependimentos. A palavra é sempre libertadora. Dizer ao outro me liberta da tirania do meu próprio pensamento: posso ser exigente demais comigo mesmo ou posso me enganar me sentindo sempre vítima das situações. A confissão é como bater à porta da misericórdia. O salmista diz: “Enquanto calei, meus ossos se consumiam, o dia todo rugindo... Confessei a ti o meu pecado, e meu erro não te encobri... E tu absolveste o meu erro, perdoaste o meu pecado (Sl 32,3.5).

CUMPRIR A PENITÊNCIA: a penitência que o sacerdote impõe é um caminho de libertação, é um remédio para as nossas fraquezas e se deve confiar neste remédio. Pode ser uma obra de misericórdia ou pode ser uma oração... seja o que for, deve ser recebido com a mesma confiança com que o enfermo recebe do seu médico o remédio.

Será que não é justamente de uma boa confissão que você precisa neste momento para recuperar sua paz? Na sabedoria da Igreja, perdão e paz são coisas que não se separam. A fórmula da absolvição diz exatamente isso. O destaque é nosso:

Deus, Pai de misericórdia, que, pela morte e ressurreição de seu Filho, reconciliou o mundo consigo e enviou o Espírito Santo para remissão dos pecados, te conceda, pelo ministério da Igreja, o perdão e a paz. E EU TE ABSOLVO DOS TEUS PECADOS, EM NOME DO PAI, E DO FILHO, E DO ESPÍRITO SANTO.

 

Prepare-se bem para sua confissão. Alguns conselhos:

  • Faça um bom exame de consciência. É bom ler algo que possa te ajudar mais a conhecer sobre a confissão.
  • Anote seus pecados ou pontos de reflexão que queira partilhar com o sacerdote. Evite ir despreparado, para que as emoções não atrapalhem você de dizer o precisa ser dito.
  • Finalmente, procure o sacerdote em momento adequado. Encontre o número do telefone da sua paróquia ou onde deseja se confessar e vá em horário conveniente para receber a atenção devida. Improvisos nem sempre ajudam.

Caso queira conhecer mais sobre este sacramento tão importante, você pode encontrar nas Livraria Paulinas meu livro CONFESSAR: O quê? Por quê? Como? Neste livro, fazemos uma apresentação passo a passo da confissão e propomos alguns modelos para exame de consciência que poderão lhe ajudar bastante.


Boa confissão!