Evangelho

Data de publicação: 30/04/2015

Reflexão: Cônego Celso Pedro da Silva - celsopedro@uol.com.br
Arte: Sergio Ricciuto Conte - www.sergioricciutoconte.com.br

Ano B – 3 de maio de 2015
5º Domingo da Páscoa   

At 9,26-31 – Pregava, corajosamente, no nome do Senhor.
Sl  21 (22) – Tu és o meu louvor na grande assembleia.
1Jo 3,18-24 – Amemos com ações e de verdade!
 Jo 15,1-8 – Eu sou a videira verdadeira.


Maria Santíssima, os apóstolos, os discípulos viram Jesus ressuscitado, tocaram nele, comeram com ele, conversaram juntos, ouviram atentos suas orientações e transmitiram às gerações seguintes o que viveram e experimentaram naqueles dias. Deixaram para nós um testemunho oral e um testemunho escrito. Nós não vimos, mas cremos como creram os que viram. Ele mesmo se mostrou um Bom Pastor e assim o retrataram as primeiras comunidades cristãs. Jesus ressuscitado é o Bom Pastor. Hoje ele se compara a uma videira, um pé de uva, revelando-nos com essa comparação a realidade nova em que vivemos depois da sua ressurreição. Ele é como uma videira, cheia de belos ramos e frutos saborosos. Ele é o todo, e nós somos as partes. Somos os ramos bem unidos ao tronco. Esta é a realidade depois da Páscoa.
 Agora existe um Cristo ressuscitado e todos nós unidos a ele formando uma só videira, que é a Igreja. São Paulo usa a comparação do corpo. Jesus é a cabeça, e nós somos os membros. A cabeça não se separa do corpo. Se isso acontecer, acontece também a morte. Os ramos que se separam do tronco secam e morrem. A Igreja de Jesus é muito simples na sua composição: ele e nós unidos a ele e unidos entre nós. A ordem é permanecer, ficar na unidade, perseverar com coragem. “Quem guarda os seus mandamentos permanece com Deus, e Deus permanece nele. Que ele permanece conosco, sabemos pelo Espírito que nos deu”.
São João nos recomenda amar com ações e de verdade e não com palavras e de boca, e diz que o nosso coração pode nos acusar. Do que nos acusaria a nossa consciência? De não amarmos de verdade e rompermos a unidade. Podemos romper a unidade com doutrinas divergentes, ensinamentos resultantes de convicções ou de conveniências. Inventamos uma nova religião e formamos grupos heréticos, com ensinamentos que contradizem a tradição apostólica. Podemos também romper a unidade achando-nos superiores aos outros. Não mudamos a fé, mas acreditamos que nós somos os verdadeiros católicos enquanto os outros o são mais ou menos. Formamos grupos cismáticos, separados dos outros.
A permanência na unidade supõe esforço e necessita de quem trabalhe para manter a unidade da videira e a unidade do corpo. Ideias opostas, preconceitos, invejas, concorrências, medos e tanta coisa mais contribuem para romper a unidade. Saulo foi de Damasco para Jerusalém e lá procurou se juntar aos discípulos. Exatamente o que deve ser feito, juntar-se com os outros. Os discípulos, porém, tinham medo de Saulo e não o queriam por perto. O grande mediador foi Barnabé, que rompeu as barreiras, aproximou os corações e introduziu na comunidade de Jerusalém aquele que seria o apóstolo Paulo. Barnabé lança pontes e encurta distâncias.
Assim a Igreja vivia em paz, consolidava-se, progredia e crescia em número com a ajuda do Espírito Santo. O diálogo ecumênico não pode faltar para que se respeite o desejo de Jesus de que todos permaneçam nele e sejam um. E assim também o diálogo dentro da Igreja com suas comunidades, espiritualidades, expressões diferenciadas. Que nada nos desvie do objetivo último que é Jesus. Que ele tenha primazia sobre Tronos, Principados Autoridades e Postestades.




Leituras e Salmos (4 a 9 de maio)
2ªf.: At 14,5-18; Sl 113B (115); Jo 14,21-26.
3ªf.: At 14,19-28; Sl 144 (145); Jo 14,27-31a.
4ªf.: At 15,1-6; Sl 121 (122); Jo 15,1-8.
5ªf.: At 15,7-21; Sl 95 (96); Jo 15,9-11.
6ªf.: At 15,22-31; Sl 56 (57); Jo 15,12-17.
Sáb.: At 16,1-10; Sl 99 (100); Jo 15,18-21.




Fonte: FC ediçao 952-ABRIL- 2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

O melhor alimento para o bebê
O aleitamento materno é uma unanimidade mundial. Todos os profissionais de saúde reconhecem
Hora do pesadelo
Pesadelos são ruins em qualquer idade, mas os pais ficam mais angustiados quando são seus filhos.
Viver bem dentro de casa
Uma família unida enfrenta e supera os desafios da vida com maior facilidade.
Música
Além de estimular o bom convívio social, aprender música ajuda a desenvolver a fala E a respiração.
Bichos são família?
A humanização excessiva dos animais de estimação pode causar problemas a eles
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados