Evangelho

Data de publicação: 15/05/2015

Reflexão: Cônego Celso Pedro da Silva - celsopedro@uol.com.br
Arte: Sergio Ricciuto Conte - www.sergioricciutoconte.com.br


Ano B – 17 de maio de 2015
Ascensão do Senhor

At 1,1-11 – Depois da sua paixão, Jesus mostrou-se vivo.
Sl 46 (47) – Aclamai a Deus com vozes alegres.
Ef 1,17-23 (Ef 4,1-13) – Que ele illumine os olhos de vosso coração
Mc 16,15-20 – Ide pelo mundo, anunciai a Boa-Nova.

Com as festas da Ascensão e de Pentecostes, encerramos o Tempo Pascal. A Santíssima Trindade abre a segunda parte do Tempo Comum. Jesus sobe ao céu e envia o Espírito Santo, e a Igreja reunida proclama que Deus é Uno e Trino.
Como foi que Jesus deixou esta terra e foi para o céu? São Marcos diz apenas que, “depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu e sentou-se à direita de Deus”. São Mateus não diz nada. No Evangelho de João, Jesus diz a Maria Madalena no dia da ressurreição: “Vai dizer a meus irmãos: Subo a meu Pai, e vosso Pai; a meu Deus e vosso Deus”. O Evangelho de Lucas também é breve e diz que “enquanto os abençoava, distanciou-se deles e foi elevado ao céu”. Os Atos dos Apóstolos dizem um pouco mais. Jesus estava falando com os apóstolos e, quando terminou, “elevou-se à vista deles, e uma nuvem o ocultou a seus olhos”. E depois acrescenta: “Como fitassem o céu enquanto ele se ia, eis que apareceram junto deles dois homens vestidos de branco, que lhes disseram:  ‘Homens da Galileia, por que estais aí a contemplar o céu? Esse Jesus, que vos foi arrebatado, virá do mesmo modo que para o céu o vistes partir”.
Este Jesus que sobe ao céu tinha rezado antes: “Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estou, também eles estejam comigo para que vejam a minha glória”. Este é o desejo de Jesus. Quer que estejamos com ele aqui e lá, onde ele está agora, e que vejamos a sua glória. Ele vai à frente preparar um lugar para nós. Desaparece da vista, mas permanece no coração. Ao iniciar seu ministério como bispo de Roma em São João de Latrão, Bento XVI comentava que a ascensão de Jesus não significa que ele foi para um lugar longe dos homens e do mundo. Não se trata de uma viagem para o espaço em direção aos astros mais distantes, que são afinal, diz o Papa, elementos físicos como a terra. A ascensão significa que Jesus não pertence mais ao mundo da corrupção e da morte que condiciona nossa vida. Significa que ele pertence totalmente a Deus e com ele a nossa condição humana. Em Cristo, o ser humano foi levado ao interior da vida de Deus. Em outra oportunidade, na Abadia de Monte Cassino, o papa Bento lembrava que o céu não é um lugar acima das estrelas, mas indica o próprio Cristo. “O céu é o ser do homem em Deus.” Vamos entrando no céu na medida em que entramos em comunhão com Jesus.
Jesus abençoa, como novo e eterno sacerdote, seus amigos que o veem subir ao céu e os enche de alegria, como sempre quis. A separação traz tristeza, mas eles estão alegres porque sabem que o Senhor está com eles até o fim dos tempos. Partem alegres para anunciar ao mundo que é possível superar a tristeza e viver na alegria. Agora é hora de se dar conta da riqueza de glória que faz parte da nossa herança, do poder que Jesus ressuscitado exerce em nosso favor, de que há um só Corpo e um só Espírito, um só Senhor, uma só fé, um só batismo, uma só esperança a qual fomos chamados. É tempo de edificar o corpo de Cristo porque para isso ele nos capacitou, até chegarmos juntos à unidade da fé e do conhecimento do filho de Deus. É tempo de vivermos em comunidade uma espiritualidade séria, com bases sólidas que nos levam à estatura de Cristo em sua plenitude. É tempo de ascensão.


Leituras e Salmos (18 a 23 de maio)

2ªf.: At 19,1-8; Sl 67 (68); Jo 16,29-33.
3ªf.: At 20,17-27; Sl 67 (68); Jo 17,1-11a.
4ªf.: At 20,28-38; Sl 67 (68); Jo 17,11b-19.
5ªf.: At 22,30; 23,6-11; Sl 15 (16); Jo 17,20-26.
6ªf.: At 25,13b-21; Sl 102 (103); Jo 21,15-19.
Sáb.: At 28,16-20.30-31; Sl 10 (11); Jo 21,20-25.




Fonte: FC ediçao 952-ABRIL- 2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Evangelho na comunidade
Ano B – 8 de março de 2015 3º Domingo da Quaresma
7 pecados capitais
Paixões, desejos exacerbados, atitudes desordenadas, teólogos refletem sobre os 7 pecados capitais
Certas coisas
A arte e a espiritualidade não se restringem ao que pode ser traduzido em conceitos universais
Edição de fevereiro de 2015
Campanha da Fraternidade revela uma Igreja que cuida e envolve.
Edição de janeiro de 2015
Zilda Arns, a mulher que inventou o cuidado, ganha Museu da Vida em Curitiba (PR).
Início Anterior 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados