Simplesmente mulheres

Data de publicação: 08/03/2016

Nas mulheres há uma identidade comum: a contemplação, a intuição e o cuidado

Por: Cleusa e Alvício Thewes *

Zizi, 90 anos ─
Ela relata sua experiência feminina, serena e feliz. O seu projeto de vida foi simples: constituir família e ter um lugar seu para abrigá-la, uma casa. Sobre a adolescência, que recorda faceira, declarou: “Eu gostava de dançar e fui Rainha do Carnaval”. Narra orgulhosa que gerou 12 filhos, todos nascidos de parto natural e amamentados nos seus seios. Zizi é comunicativa. Gosta de contar a história de sua vida, embora já seja um tanto repetitiva, devido à idade avançada.  Seu aprendizado resume-se a criar filhos, cuidar da casa e rezar. “Trim, Trim”, celular da Zizi tocando! Ela tira o aparelho do bolso e conversa com a filha que reside no estado do Espírito Santo. Ao concluirmos a entrevista, sorridente, afirma: “O celular foi a melhor coisa que inventaram. Com ele posso bater papo com meus filhos”.

Aracelli, 28 anos ─ Empresária casada e graduada. Administra, com sucesso, sua própria empresa de cosméticos. Mas o encanto pela carreira profissional não lhe bastou. Faltava realizar também o instinto da maternidade, ter filhos. Há dois meses, nasceu Isadora, uma menina linda. É ela quem está ensinando Aracelli a ser mãe em tempo quase integral, com a ajuda e os ensinamentos de sua incansável mãe. A mãe dela lhe transmite a sabedoria dos cuidados iniciais de um bebê: as mamadas, o repouso, o banho e até a bênção e a prece ao anjo de Isadora. Neste amoroso encontro trigeracional das três mulheres (avó, filha e netinha), é transmitida e vivenciada a sabedoria da arte do amar, do rezar e do cuidar.

Dia Internacional da Mulher ─ Dia dedicado a comemorar e agradecer conquistas e direitos, enaltecendo o papel da mulher na família, no trabalho, na sociedade e na humanidade. Esta deve muito à mulher. É uma conta impagável, que vem de bilhões de anos. Antes de levantar as mãos a uma mulher, o homem devia se lembrar de onde veio e de onde virão seus filhos, netos e bisnetos. Deus não criou a mulher para apanhar. Ele a criou para servir de companheira ao homem e perpetuar a criatura. Ele não disse matai-vos e sim “multiplicai-vos”. É a mulher que dá sentido à vida humana, a dela e a de sua família.  O que significa dar sentido à existência? Significa determinar e imprimir uma direção à vida. E uma mulher vocacionada e assumida sabe fazer isso muito bem. E o faz com coerência, serenidade e comprometimento.

Beleza não se compra ─ O pensamento contemporâneo passa pela onda ideológica do consumismo, do materialismo e da coisificação do ser.  Incontáveis técnicas seduzem a mulher, prometendo-lhe, por exemplo, um rosto lindo, com a remoção dos sinais do tempo. E isto ocorreu com dona Mariazinha. Aos 85 anos, ofereceram-lhe um tratamento para alisar o rosto, no valor de 5 mil reais. Sem dinheiro, socorre-se de um empréstimo para poder fazer o “milagroso” tratamento. Ficou esticadinha por alguns dias. E só por alguns dias. A natureza, implacável no seu curso, trouxe-lhe as preguinhas de volta, em maior número, ao que parece. Ela disse: “Aprendi que não podemos comprar a jovialidade e a beleza, mas podemos cultivá-las no espírito, no sentimento e no jeito de viver”.

Bela é toda mulher ─ Quais são os atributos da bela mulher? O atributo principal é sua semelhança com o Criador, que a fez bela e com qualidades peculiares à sua identidade feminina. Esta se reconhece no cultivo e desempenho de dons e habilidades. Descobre-se a cada dia; reinventa-se a cada desafio; faz-se flexível às durezas da vida; acolhe os fatos que não pode mudar; amadurece com a dor; torna-se sábia pelas decisões tomadas; fica doce e suave, após a cura da amargura interior, se a tiver, é claro. Quando se sente envelhecida e cansada, sintoniza a sonhadora adolescente ainda pulsante dentro de si. A fraqueza não a vence. Ela a afasta orando. E a guerreira adormecida na fortaleza do coração ressurge com força.
Na calada da noite, acessa a intuição e a luz divina que ilumina seu espírito e ora.
Nas madrugadas do medo, do vazio e da solidão, mergulha em sua cela interior e ali se nutre do Amor Maior. Na contemplação de Deus, encontra a beleza, o brilho, o espelho e o impulso para continuar sua missão.
Mãe Maria, cuide das mulheres. Amém!
* Cleusa e Alvício Thewes





Fonte: FC ediçao 963-MAR 2016
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

A infertilidade no casamento
A infertilidade atinge oito milhões de pessoas no Brasil e cerca de setenta milhões no mundo.
Medo do doutor?
Como ajudar as crianças a superarem o receio de consultas médicas e odontológicas.
Navegue com segurança
Viver no ambiente digital abre novos horizontes e possibilidades, mas requer cuidados
O melhor alimento para o bebê
O aleitamento materno é uma unanimidade mundial. Todos os profissionais de saúde reconhecem
Hora do pesadelo
Pesadelos são ruins em qualquer idade, mas os pais ficam mais angustiados quando são seus filhos.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados