Liturgia da Palavra

Data de publicação: 11/11/2016

Ano C – 13 de novembro de 2016 - 33º Domingo do Tempo Comum
Encerramento do Ano Santo da Misericórdia

Ml 3,19-20ª – O sol da justiça há de nascer.
Sl 97 (98) – Aclamai ao Senhor, terra inteira.
2Ts 3,7-12- Comam o seu próprio pão.
Lc 21,5-19 – “Não ficará pedra sobre pedra”
"Não ficará pedra sobre pedra"

Reflexão:
Cônego Celso Pedro da Silva
Arte: Sergio Riccuto Conte

Virá o dia, quente como uma fornalha, mas não tenham medo. De fato, estará nascendo o sol da justiça, que traz a salvação em suas asas. O calor abrasador vem do sol que poderá queimar os ímpios e os soberbos porque a justiça será feita. O Senhor virá julgar a terra inteira. Ele julgará o universo com justiça e as nações com equidade.
O rei Herodes, o primeiro, tinha mandado reformar o Templo, ampliá-lo e embelezá-lo. Os trabalhos de reconstrução prolongaram-se até 30 anos depois da morte de Jesus. Dizem os historiadores da época que o Templo era de grande beleza, revestido de placas de ouro e de pedras brancas bem trabalhadas. O ouro ofuscava a vista, e as pedras davam a impressão de uma construção feita de neve.
Este primeiro rei Herodes foi um grande construtor e morreu antes do nascimento de Jesus. Seu filho, Herodes Arquelau, governou por pouco tempo. O Herodes do tempo de Jesus é Herodes Antipas, também filho do primeiro Herodes. Antipas governou do ano 6 ao ano 39 da nossa era.
Naquele tempo, diz o Evangelho, algumas pessoas comentavam a respeito do Templo, enfeitado com belas pedras e com ofertas votivas. Foi quando Jesus disse que tudo seria destruído e não ficaria pedra sobre pedra. De fato, no ano 70 foi tudo destruído pelos romanos, comandados pelo general Tito, filho do imperador Vespasiano. Esse acontecimento terrível marcou a vida dos judeus e dos cristãos, que começavam a escrever os Evangelhos. Quando falavam do fim dos tempos ou do fim do mundo, lembravam-se da destruição de Jerusalém e do Templo. O que aconteceu era como se fosse o fim do mundo!
   
Destruição do Templo, fim dos tempos, mas quando será o fim? Não sabemos. “Ainda não será o fim”, diz Jesus neste Evangelho. O que sim sabemos é que, nos tempos de crise e também nos tempos normais, aparecem falsos profetas anunciando calamidades e destruições, e anunciando a vinda de Jesus. Não perder a calma nem acreditar em tudo, recomenda Jesus. O que vai acontecer e acontece sempre é que os seguidores de Jesus serão perseguidos, não serão compreendidos, serão barrados, serão excluídos e preteridos. Há mil maneiras de perseguição. Alguns povos levantaram templos cristãos magníficos e povoaram o céu de mártires.
Quantos mártires ainda nos nossos tempos. Para pôr de lado a religião, fala-se hoje de Estado laico visando à marginalização da fé, e sempre em primeiro lugar da fé cristã. Não importa, não é preciso ter medo. Não perderemos um só fio de cabelo. É permanecendo firmes que iremos ganhar a vida.
O que importa é não viver ociosos. Que nossa vida seja exemplo a ser seguido. O que fazemos enquanto o Senhor não vem? O que fazemos enquanto esperamos o fim dos tempos? Simplesmente trabalhamos. Quem não quer trabalhar, também não deve comer. Trabalhamos para que não falte a ninguém o pão de cada dia, e trabalhamos anunciando o Reino com o nosso modo de viver e com as nossas palavras. Não podemos estar ocupados em fazer nada.
Quando o Senhor vier nos encontrará trabalhando e comendo na tranquilidade o nosso pão. Mas, atentos aos ímpios e aos soberbos que perturbam a paz instaurando a injustiça. A batalha de cada dia é também um trabalho. O mesmo apóstolo que nos manda trabalhar, dirá de si mesmo: “Combati o bom combate”.

Leituras e Salmos (14 a 19 de novembro)
2ªf.: Ap 1,1-4; 2,1-5a; Sl 1; Lc 18,35-43.
3ªf.: Ap 3,1-6.14-22; Sl 14 (15); Lc 19,1-10.
4ªf.: Ap 4,1-11; Sl 150; Lc 19,11-28.
5ªf.: Ap 5,1-10; Sl 149; Lc 19,41-44.
6ªf.: Ap 10,8-11; Sl 118 (119); Lc 19,45-48.
Sáb.: Ap 11,4-12; Sl 143 (144); Lc 20,27-40.




Fonte: FC ediçao 970 -OUTUBRO 2016
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Evangelização, sim!
Para Francisco, a evangelização não pode confundir-se com o clericalismo nem com o proselitismo.
O Anjo Bom do Brasil
Irmã Dulce,a religiosa que conquistou o coração do povo brasileiro será canonizada.
Mesa da Palavra
13º. Domingo do Tempo Comum - Ano C • 30 de junho de 2019 - Solenidade de São Pedro e São Paulo
Mesa da Palavra
A fé cristã professada pela Igreja Católica é de tal forma complicada, que só pode ser verdadeira.
Mesa da Palavra
Solenidade de Pentecostes.Quando ele vier, conduzirá os discípulos à plena verdade.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados