Liturgia da Palavra

Data de publicação: 04/05/2017

6º Domingo da Páscoa
Ano A – 21 de maio de 2017

At 8,5-8.14-17 – Filipe começou a anunciar o Cristo.
Sl 65(66) – Aclamai a Deus, terra inteira.
1Pd 3,15-18 – Cristo morreu por causa dos pecados.
Jo 14,15-21– Não vos deixarei órfãos.

Herdamos de Israel a fé num único Deus. Ouvimos no Deuteronômio que o Senhor é o nosso Deus e o Senhor é Um. Agora, depois de termos encontrado Jesus de Nazaré e termos descoberto que Ele é o Messias prometido, e que esse Messias não é apenas um homem, mas é também Deus, nós o ouvimos falar do Espírito Santo.
Jesus deve partir. Ele vai para o Pai e pedirá ao Pai que nos envie outro defensor que permaneça sempre conosco. Este defensor é o Espírito da Verdade. Ele permanece junto de nós e está dentro de nós. Paremos um pouco para meditar o que Jesus está dizendo. Ele vai pedir ao Pai outro defensor. Outro, porque Ele mesmo é o nosso defensor, mas deve voltar ao Pai. O outro vai permanecer sempre conosco e já está em nós. O Espírito da Verdade, o Defensor, está em nós e está conosco para sempre.
Não somos órfãos. Jesus vai e vem no Espírito Santo, porque onde está o Pai está o Filho e está o Espírito Santo. A Santíssima Trindade está em nós. Deus pediu ao povo de Israel que observasse os mandamentos dados por meio de Moisés como sinal de que aquele povo era o povo escolhido por Deus. Jesus pede de nós o mesmo sinal: que observemos os seus mandamentos como sinal de que o amamos e pertencemos a Ele, e então Ele se manifestará a nós.
Todos os mandamentos de Jesus se resumem no amor fraterno. Ele vai para o Pai e nos deixa essa recomendação: que nos amemos uns aos outros. Este é o sinal de que somos seus discípulos, e é o sinal por excelência de que o Espírito Santo está em nós. O Espírito Santo é o amor na Santíssima Trindade. Estando em nós, ele se manifesta nos atos de amor que fazemos. Peçamos a Deus a graça da coerência e multipliquemos os atos de amor efetivo, de solidariedade fraterna e de não violência ativa.
Sejamos verdadeiros construtores de um mundo novo, com muita coragem e sem nenhum medo, porque em nós está o Espírito da Verdade. O cristão que tem o Espírito da Verdade, o seu Defensor, é calmo, tranquilo, presente, corajoso, batalhador, solidário e, se for preciso, mártir por Jesus Cristo e seu Evangelho. Vivemos cada dia o martírio da paciência que constrói o mundo novo.
Filipe desceu a uma cidade da Samaria e anunciou-lhe o Cristo. Assim também nós hoje gritamos o Evangelho com a nossa vida no meio em que vivemos. Nós o anunciamos com palavras e obras. Filipe fazia maravilhas, e Pedro e João impunham as mãos sobre os novos cristãos para que recebessem o Espírito Santo.
Santifiquemos o Senhor Jesus em nossos corações. Que bela frase de São Pedro, mas o que significa? No Pai-nosso dizemos: “Santificado seja o vosso nome”. Aqui temos que santificar Jesus nos nossos corações. Uma interpretação entre outras seria que o nome de Jesus é bendito, que todos falam bem de Jesus pela vida que nós, os seus discípulos, levamos.
Nosso modo de viver dá a razão da nossa esperança. Por que sou cristão católico? Por que sou solidário com as necessidades de qualquer pessoa? Por que celebro a vida na liturgia com meus irmãos e irmãs de fé? Por que sou diferente e ao mesmo tempo estou perto de todas as pessoas? Por que santifico Jesus em meu coração. Se vocês me amam, disse Jesus, vocês guardarão os meus mandamentos. Nós o amamos e amamos todas as pessoas como Ele as amou.

Leituras e Salmos (22 a 27 de maio)
2ªf.: At 16,11-15; Sl 149; Jo 15,26 – 16,4a.
3ªf.: At 16,22-34; Sl 137 (138); Jo 16,5-11.
4ªf.: At 17,15.22 – 18,1; Sl 148; Jo 16,12-15.
5ªf.: At 18,1-8; Sl 97 (98); Jo 16,16-20.
6ªf.: At 18,9-18; Sl 46 (47); Jo 16,20-23a.
Sáb.: At 18,23-28; Sl 46 (47); Jo 16,23b-28.




Fonte: FC edição 976 - Abril 2017
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Ritmo Eucarístico
Não é de qualquer jeito que se vive o momento celebrativo da Eucaristia.
O dom da ciência
"Lá no alto, existe o Deus do céu que revela os mistérios” (Dn 2,28a).
Restaurada e Aparecida
“A paz é dos milagres, o milagre mais bonito que se possa desejar”.
Liturgia da Palavra
22 de Outubro de 2017 - 29º Domingo do Tempo Comum, Ano A, Reflexão da Liturgia.
Liturgia da Palavra
15 de Outubro de 2017 - 28º Domingo do Tempo Comum, Ano A, Reflexão da Liturgia.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados