Liturgia da Palavra

Data de publicação: 26/06/2017

14º Domingo do Tempo Comum
Ano A – 9 de julho de 2017

Zc 9,9-10 – Sua palavra é de paz para as nações
Sl 144 (145) – Grande é o Senhor e digno de todo louvor
Rm 8,9.11-13 – Vós não viveis segundo a carne, mas segundo o Espírito
Mt 11,25-30 – Vinde a mim, todos vós que estais cansados

    As coisas de Deus são reveladas aos pequenos e humildes. São eles os verdadeiros sábios. Os soberbos e pretensiosos não são sábios. Não são sábios aqueles que querem saber mais do que Deus. Pedro era um homem simples, pescador na Galileia. A ele o Pai revelou quem era Jesus para que ele pudesse confirmar com segurança a fé de seus irmãos e de suas irmãs, não a partir da sua sabedoria, a sabedoria da carne, mas com a sabedoria de Deus.
Hoje, Jesus louva o Pai, que é o Senhor do céu e da terra, por ter escondido essas coisas aos sábios e entendidos e tê-las revelado aos pequeninos. Que coisas são essas? As coisas de Deus e as coisas dos homens. O sentido da nossa vida, por exemplo. O sentido dos acontecimentos de cada dia. O sentido do sofrimento e da dor. A vida depois da morte. Tudo isso o Evangelho de São Mateus chama de “mistérios do Reino”. Em última análise, trata-se de conhecer o Pai, e é Jesus quem conhece o Pai, e ele revela o Pai a quem ele quiser.
Ele chama a si os cansados deste mundo que procuram descanso e não encontram. Seu fardo é pesado. Jesus os convida a estar com ele. São os que necessitam de alguém e de alguma coisa e encontram o que precisam em Jesus. Os fartos, saciados, autossuficientes não acreditam em Deus e acham que não precisam de nada e de ninguém. Não fazem parte dos pequeninos.
A passagem do Evangelho de Mateus que estamos lendo fala primeiro da revelação dos mistérios do Reino aos pequeninos. No fim fala dos cansados que carregam pesados fardos. E no meio afirma que o Pai entregou tudo ao Filho e quem conhece o Pai é o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. E assim o Evangelho diz que o Filho revela o Pai aos pequeninos e aos cansados que carregam pesados fardos em suas vidas. Ele os chama para que se acheguem a ele e encontrem descanso. É preciso, porém, que aprendam com Jesus a serem mansos e humildes de coração, para encontrarem descanso. Os mansos possuirão a terra, já tinha dito Jesus nas bem-aventuranças. Se entendermos descanso como harmonia nos relacionamentos, serão de fato os mansos e humildes a construírem uma nova sociedade. Tarefa nada fácil, porque a mansidão e a humildade são vistas como características dos fracos. Na realidade, sabemos que são virtudes dos fortes.
    Cansados com o peso da vida, estamos todos de alguma maneira, mas o convite de Jesus está feito: “Venham a mim...” O que significa na prática ir até Jesus? Tudo o que for sobrenatural na resposta dependerá de Deus e não de nós. De nós dependerá o que for natural. Nós somos humanos. Nossa resposta se dá no nível da vida humana. Nossa parte consiste em conhecer Jesus na oração, na meditação do Evangelho, na caridade fraterna. Ler os Evangelhos com calma prestando atenção no que Jesus diz e no que ele faz. Conversar com ele no silêncio da oração. Criar relacionamentos de amor e bondade, sobretudo com os menos amados e os mais esquecidos, sejam eles de que classe social forem, sem levar em consideração origem e religião.
    O Messias apresentado hoje pelo profeta Zacarias é humilde, vem montado num jumento e anuncia a paz. Na Carta aos Romanos, São Paulo nos exorta a viver segundo o Espírito de Deus, que é amor, e não segundo as paixões da carne, que são egoístas e interesseiras.

Leituras e Salmos (10 a 15 de julho)

2ªf.: Gn 28,10-22a; Sl 90 (91); Mt 9,18-26.
3ªf.: Gn 32,23-33; Sl 16 (17); Mt 9,32-38.
4ªf.: Gn 41,55-57; 42,5-7a.17-24a; Sl 32 (33); Mt 10,1-7.
5ªf.: Gn 44,18-21.23b-29; 45,1-5; Sl 104 (105); Mt 10,7-15.
6ªf.: Gn 46,1-7.28-30; Sl 36 (37); Mt 10,16-23.
Sáb.: Gn 49,29-32; 50,15-26a; Sl 104 (105); Mt 10,24-33.

Reflexão: Cônego Celso Pedro da Silva, sacerdote e professor de Sagrada Escritura.
Arte: Rebeca Souza Venturini
Indicações bíblicas:
Bíblia Sagrada – Tradução da CNBB – 2ª edição





Fonte: FC edição 978 - Junho 2017
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

O sentido pascal da vida
A dinâmica pascal da vida faz parte fundamental de nossa proclamação da fé cristã.
Sacramento da penitência
Tudo começa pela consciência que os cristãos tinham de terem sido salvos e reconciliados.
Liturgia da Palavra
19 de novembro de 2017 - 33º Domingo do Tempo Comum, Ano A, Reflexão da Liturgia
Liturgia da Palavra
12 de novembro de 2017 - 32º Domingo do Tempo Comum, Ano A, Reflexão da Liturgia
Liturgia da Palavra
05 de novembro de 2017 - 31º Domingo do Tempo Comum. Solenidade de Todos os Santos
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados