Ter saúde é cuidar da vida

Data de publicação: 11/12/2017

Por Karla Maria


Alimentar-se bem, exercitar-se, conhecer-se a si mesmo, ter fé e amar são alguns dos passos para uma vida mais saudável

Saúde! É o que prega a mãe ao ouvir o espirro do filho e é o que desejamos aos amigos e familiares ao celebrar mais um ano de vida, o que nos leva a pensar que se estamos livres de doenças estamos com saúde, certo? Não, totalmente. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter saúde significa estar em completo bem-estar físico, mental e social, e isso o caro leitor há de convir, seria a vida perfeita.
Como conquistar esta saúde? Primeiro é necessário rever pequenos hábitos diários que fazem do dia a dia um roteiro de filme de cinema, de sobrevivência com as inúmeras e diferentes atividades e compromissos. “A correria do mundo moderno muitas vezes é usada para justificar maus hábitos”, afirma a nutricionista Ana Cristina de Souza, e um deles certamente encontra-se na alimentação.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular, atualmente 65,3% da população brasileira se alimenta fora de casa. Os dados apontam um baixo consumo de frutas, verduras e legumes e elevada ingestão de bebidas com adição de açúcar, sucos, refrigerantes, além de citar que mais de 70% da população consome quantidades superiores ao valor máximo de ingestão tolerável para o sódio, assim como também há um consumo excessivo de gordura saturada (82%).
Para Ana Cristina, ainda que o dia a dia imponha a alimentação fora de casa, é possível fazer escolhas acertadas. “Mesmo diante do balcão de um self-service podemos fazer escolhas saudáveis. Como comemos com os olhos, uma boa dica é começar a montar o prato pela salada, pode ser bem colorida com folhas e legumes, e nada de dizer que não gosta disso ou daquilo sem antes experimentar”, lembra a nutricionista, que sugere a troca de molhos por azeite e limão ou vinagre para o tempero. Para os pratos quentes, indica a antiga combinação do “velho e bom arroz com feijão” e uma fonte de proteína (carne, frango ou peixe), sempre dando preferência aos assados ou grelhados, longe de frituras.
“Através da alimentação, obtemos o ‘combustível’ para todas as atividades realizadas pelo nosso corpo. O café da manhã, dispensado por várias pessoas, é muito importante”, afirma a nutricionista Andreia Bergmann.

Atividades físicas − Enquanto Andreia sugere boa alimentação para a queima do combustível, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registra que 80% dos brasileiros são sedentários e, portanto, reservem essa gordura, o que preocupa o educador físico Caio Vinícius de Souza, da Assessoria Esportiva Marcos Paulo Reis. “Na busca por qualidade de vida, a atividade física se encontra num grau de grande importância, porque seus aspectos se relacionam. Numa escala de valores, coloco em 33%.”
Hábitos diários, como o uso de escadas e em vez de elevadores, levantar-se para trocar o canal da televisão, trocar o carro pelo tênis nos pequenos percursos até a padaria ou mercado. Atividades físicas oferecem vários benefícios: além de melhorar o visual, melhora a postura e combate o excesso de peso que hoje, também segundo o IBGE, atinge 50,1% dos homens e 48% das mulheres brasileiras. Também previne doenças, pois melhora o sistema imunológico, afastando e reduzindo efeitos de cardiopatias, estresse, obesidade, osteoporose, hipertensão arterial, deficiências respiratórias, problemas circulatórios, diabetes e alterações das taxas de colesterol.

Fé, bom para a saúde − Para falar sobre a saúde do coração, procuramos Roque Marcos Savioli, cardiologista e clínico geral que, na busca por uma vida saudável, orienta que se deve nutrir o cuidado com o lado espiritual, além de uma boa alimentação e atividade física.
Dr. Savioli desenvolve uma pesquisa no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo (SP), na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que compara o índice de espiritualidade, a escala de depressão e os índices de qualidade de vida em pacientes do ambulatório de cardiogeratria, e as notícias enfim, são boas, ao menos aos que têm fé. “Os resultados iniciais revelam que pessoas com fé apresentam menores índices de depressão e melhor qualidade de vida. As pesquisas que comparam indivíduos com fé e evolução de doenças são categóricas em afirmar que a fé tem grande importância na saúde”, conclui o médico.
Segundo o especialista, as emoções tanto positivas como negativas exercem efeitos sobre a saúde, podendo levar à doença cardiovascular – infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral. Mas como encontrar equilíbrio nas emoções e viver a fé no dia a dia, em meio ao barulho e agito das cidades e dos problemas? Como encontrar a tal paz interior? Para o Jesuíta André Luís de Araújo e Vanessa Araújo Correia, ambos do Centro de Juventude e Vocações Anchietanum, é necessário ter uma disposição interna. “Silenciar-se, procurando ouvir os apelos que vêm ao coração, tendo em conta que somos afetados todo o tempo por sentimentos e acontecimentos que não deveriam determinar, necessariamente, nossas ações.”
Silenciar-se... Especialistas sugerem uma parada ao longo dia, por cinco minutos, para o encontro pessoal com a força superior e interior. Aos católicos, além do encontro no Sacramentos, uma parada para o encontro com Deus: um diálogo silencioso ao contemplar a natureza, ou ainda parado no trânsito. Um tercinho na bolsa, no bolso, também garante companhia, diálogo e paz.
“Vale lembrar que a prática da espiritualidade não pode estar a serviço da eficácia e da busca de resultados meramente individuais e voluntários. Pede, isso sim, que todas as dimensões da vida da pessoa estejam implicadas nessa tarefa”, recordam André e Vanessa Araújo.

A saúde e o outro − Para Márcia Elizabeth dos Santos, psicóloga e psicodramatista, o diálogo em sociedade, a troca de ideias, o convívio com o próximo também é imprescindível para o bem-estar do indivíduo. “As relações e interações sociais são fundamentais para o desenvolvimento e a manutenção da saúde mental e física da pessoa, pois o ser humano é um ser social, relacional. Ele não nasceu para estar sozinho, isolado, mas para estar e ser com o outro.”
Depressão e isolacionismo são características presentes na sociedade. No País, 12% da população, cerca de 23 milhões de pessoas, necessita de algum atendimento devido a depressão, ansiedade e transtornos de ajustamento. Márcia lembra que pesquisas científicas realizadas em mamíferos apontam que, quando isolados, os mamíferos adoecem e morrem. “Conosco, seres humanos, o mesmo acontece. Quando visitamos abrigos de crianças que foram deixadas pelos pais ou de idosos vemos, tristemente, a autoestima ferida, a tristeza transparecendo no semblante de algumas dessas pessoas. Isso acontece porque queremos e necessitamos do amor do outro, do seu carinho, de acolhida, aceitação.”

Box 1
Para uma vida saudável, se alimente bem

Por Ana Cristina Zilotti de Souza, nutricionista

Não pule as refeições
Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e jantar).

Consuma fontes de cálcio
Consuma diariamente três porções de leite e derivados (queijo, iogurtes e requeijão).

Diminua o consumo de gordura
Retire a gordura aparente das carnes e peles de aves antes de preparar; restrinja o consumo de salames, mortadelas, linguiças e bacon.

Controle o consumo de açúcar
Evite o consumo diário de refrigerante, sucos industrializados, prefira água (2 litros por dia). Evite também bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas, chocolates e outras guloseimas.

Consuma fibras
Dê preferência aos cereais e massas integrais, como arroz, milho, trigo, pães e massas. Consuma frutas e verduras diariamente.

Box 2
Mova-se para o bem

Por Caio Vinícius, educador físico

Caminhe mais
Ande mais durante o dia, evite escadas rolantes, elevadores, controle remoto de aparelhos eletrônicos. Troque seu carro pelo seu tênis.

Alongue-se
Realize alongamentos durante o dia.

Alimente-se bem
Tenha uma boa alimentação de três em três horas, alimentos mais saudáveis sem frituras, gorduras, doces etc...

Durma bem
Durma diariamente no mínimo seis horas e no máximo oito horas

Leia mais
Leia pelo menos um livro por mês

Box3
Cuide do seu coração
Por Roque M. Savioli, cardiologista
Coma bem
Tenha uma alimentação saudável.

Exercite-se
Faça atividade física com regularidade e segundo orientação do seu médico.

Tome seu remedinho
Tome religiosamente as medicações prescritas pelo seu médico

Faça check-up
Realize check-up anual após os 40 anos de idade.

Box4
Descubra-se para si e para o próximo
Por André Luís de Araújo e Vanessa Araújo Correia – Centro de Juventude e Vocações Anchietanum

Silencie
Agradeça, primeiramente, os dons recebidos e silencie-se. Procure ouvir os apelos que vêm ao coração, tendo em conta que somos afetados o tempo todo por sentimentos e acontecimentos que não deveriam determinar, necessariamente, nossas ações.

Seja generoso
Aprenda a cultivar a esperança que nos moverá a realizar um processo honesto de verificação dos movimentos internos que vão surgindo em nós, à medida que nos propomos a sonhar com um projeto de vida.

Conheça a si mesmo
Tenha clareza e distinção a respeito do que se quer – identificar e organizar o que se deseja, em função das decisões a serem tomadas e do discernimento feito.

Mude
Busque os recursos e as ajudas necessárias à efetivação das mudanças almejadas.

Avalie-se
Faça memória de toda a trajetória empreendida, cultivando o hábito de examinar-se afetivamente, para dar-se conta de como se está, agradecendo também os dons recebidos, todo o bem que aconteceu em você e no mundo, buscando e empenhando-se, de fato, para realizar o que for necessário.

 Reze
Cuide da sua vida espiritual.

Box5
Valorize a si e a vida
Márcia Elizabeth dos Santos, psicóloga e psicodramatista

Conheça-se
É fundamental que as pessoas enxerguem e conheçam não apenas a sua luz, mas a sua escuridão humana também, as características que as fazem sofrer. Somente encarando a sua própria escuridão é que serão capazes de serem mais luz do que escuridão, e mais saudáveis mental e emocionalmente, com condições de amar a si mesmas e o outro.

Escute-se
Saiba escutar seus sentimentos, necessidades. Conheça sua vocação, habilidades e talentos.

Valorize
Valorize as pequenas coisas e os pequenos acontecimentos no dia a dia.

Agradeça
Agradeça pela vida, pelo que se tem.

Conviva
Conviva e interaja com as pessoas, escute-as, conheça suas histórias.





Fonte: fc edição 929-maio 2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

O mundo não vai bem
Coloquemo-nos de joelhos e oremos pelas mulheres e pelos homens que posam nus em outdoors
Cuidado onde você pisa
Andar descalço,deixar os pés à mostra, livres, expostos, é lícito, mas cuidado onde você pisa
O que desejam as pessoas
Em se tratando de assistência e cuidados, o que você considera mais importante no final da sua vida?
Doação de Leite Humano
O leite materno humano é o mais complexo entre todos os mamíferos, diz recente pesquisa publicada
Plantas como medicamentos
O manejo de recursos vegetais de florestas, corretamente, são fundamentais para evitar a extinção
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados