Cidade das Flores

Data de publicação: 04/05/2018


Por, Nathan Xavier
 
No interior de São Paulo, Holambra, cidade tranquila e de clima bucólico, é um pedaço da Holanda no Brasil.
A cidade das flores. Assim se auto define Holambra, a 130 quilômetros de São Paulo. O local, que hoje constitui a cidade era a Fazenda Ribeirão, antiga colônia neerlandesa. O nome veio da junção de Holanda, América e Brasil. É o destino perfeito para quem quer fugir da agitação e do barulho das grandes cidades. É verdade que o título de cidade das flores faz jus ao local, afinal, com mão de obra qualificada no setor agrícola, é o maior centro de produção de flores e plantas ornamentais da América Latina, sendo a principal atividade econômica do município. Só a cidade de Holambra é responsável por 80% da exportação e por 40% da produção do setor florícola do país. Mas a cidade revela-se uma boa surpresa também a quem se dispõe a ir além das flores para conhecer seus encantos. Em qualquer época do ano vale a pena passar um fim de semana inteiro para visitar seus principais pontos turísticos e conhecer suas peculiaridades e histórias que envolvem a colonização holandesa. A cidade destaca-se também por ter o 61° índice de qualidade de vida do Brasil e elevado Índice de Desenvolvimento Humano, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

História - Em consequência da devastação causada pela Segunda Guerra Mundial, o governo neerlandês estimulou a imigração de uma parte da população para diversos países, entre eles a Austrália, Brasil, Canadá e França. O Brasil foi o único a permitir a vinda de grandes grupos de católicos. Assim, a Associação Neerlandesa dos Lavradores e Horticultores Católicos envia uma comissão para o Brasil para coordenar a imigração de neerlandeses, fixando um acordo com o governo brasileiro. Um grupo de aproximadamente quinhentos imigrantes, provenientes da província de Brabante do Norte, imigram e estabelecem-se na antiga Fazenda Ribeirão, no estado de São Paulo. Eles fundam em 14 de julho de 1948 a colônia Holambra I e a Cooperativa Agropecuária Holambra, com o objetivo inicial de produzir leite e laticínios. Mas as coisas não saíram como planejado. O gado holandês, trazido pelos imigrantes, foi exterminado pelas doenças tropicais. Resolveram optar pela criação de suínos e galinhas. Tudo mudaria novamente com a vinda de um novo grupo de imigrantes neerlandeses, em 1951. Nesse mesmo ano inicia-se o cultivo de gladíolos, um tipo de flor que se adaptava às condições do solo e clima brasileiros. Com a expansão da produção, em 1972, cria-se o Departamento de Floricultura para a venda de grande variedade de flores e plantas ornamentais e em 1989 acontece o leilão de plantas e flores. Em 27 de outubro de 1991 98% da população vota a favor da emancipação do distrito, surgindo assim o município de Holambra.

Expoflora - No mês de setembro, a cidade dá boas vindas à primavera em alto estilo. A Expoflora, realizada anualmente desde 1981, é a maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina, atraindo aproximadamente 300.000 visitantes. O objetivo principal é o resgate de aspectos culturais e sociais da comunidade holandesa, além da divulgação do trabalho das atividades rurais no município. Toda a cidade se envolve direta ou indiretamente no evento que projetou nacionalmente o município de Holambra e contribuiu com o título de Estância Turística. Esse título é concedido pelo governo do estado de São Paulo a municípios que apresentem características turísticas e determinados requisitos como: condições de lazer, recreação, recursos naturais e culturais específicos, além de dispor de infra-estrutura e serviços relacionados à atividade turística. Durante a Exploflora o visitante pode conferir danças, culinária, artesanato holandês e música típica, além de exposições de arranjos florais, paisagismo, jardinagem, desfiles e a já tradicional chuva de pétalas, que encanta os turistas.
Mas se a Exploflora só acontece em setembro, não é motivo para você deixar de conhecer Holambra no restante do ano. Um dos programas mais famosos é a visita aos campos de produção, com as estufas e viveiros, o que pode ser feito o ano todo. É possível conferir de pertinho a beleza e o colorido de diversas flores, além de conhecer as etapas de plantio, garantindo fotos espetaculares. Mas Holambra não se restringe às flores. No centro há o Museu Histórico e Cultural, que relata um pouco da história da colonização holandesa no Brasil. Mantém um acervo de 2.000 fotos, filmes e utensílios domésticos. Na parte externa ficam máquinas e tratores utilizados pelos primeiros imigrantes, além de réplicas de casas de pau-a-pique e alvenaria que remontam a ideia de como viviam os primeiros moradores de Holambra. Outra dica de passeio é o Moinho Povos Unidos, um dos símbolos da cidade. A obra foi construída pelo arquiteto holandês Jan Heidra, que já fez outros 400 destes ao redor do mundo. Erguido em 2008 para celebrar o aniversário de sessenta anos da imigração holandesa, possui 38 metros de altura distribuídos por cinco andares abertos para a visitação. Considerado o maior moinho da América Latina, tem um mirante que proporciona uma bela vista dos campos de produção e dos municípios vizinhos. Ali, o moleiro Flores Welle explica como funciona a engenhoca e narra algumas histórias de sua família, uma das primeiras a desembarcar em Holambra.
As crianças gostarão de conhecer o Sítio Estrela do Leste Arurá, que mantém um projeto de conservação e preservação do jacaré do papo amarelo. Eles ensinam e colocam as pessoas em contato com filhotes, assim como outros animais silvestres. Na cidade também é possível fazer passeios a cavalo ou charrete. Já os adultos podem se divertir e aprender sobre destilação artesanal no Rancho da Cachaça, que também tem um restaurante de comida caseira. Não deixe de visitar a Cervejaria Schornstein, que produz na cidade sete tipos de cerveja artesanal: pilsen natural, pilsen cristal, weiss, IPA, bock, imperial stout e witbier. O bar Schornstein Krug, da própria cervejaria, possui cardápio repleto de petiscos e pratos holandeses. Já a rua Dória Vasconcelos concentra o centro de compras da cidade. Casas geminadas e coloridas compõem o local, misturando restaurantes, ateliês e lojas. Lá é possível encontrar souvenires, como os famosos tamancos e os moinhos em miniatura. É bom ficar atento a procedência dos materiais, pois existem objetos feitos de porcelana vinda da Holanda, mais significativo, em contraste com os que vem da China. Confira no box os endereços destas e outras atrações para toda família.







Fonte: FC edição 987, Março de 2018
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Fotografar em favor da vida
Pequenos gestos podem transformar a realidade de pessoas em situação de pobreza.
Um olhar que viu
Tatiana Belinky, nome importante no mundo da literatura no Brasil, celebra centenário de nascimento.
Marco Frisina no Brasil
O Brasil recebeu a visita do Monsenhor Marco Frisina, compositor e Maestro de música Sacra
Os doze profetas que encantam
As esculturas de Aleijadinho, em Congonhas do Campo (MG), fazem parte do maior museu a céu aberto
Arte e natureza
Visitantes têm experiências múltiplas em um dos maiores centros de arte contemporânea a céu aberto do mundo
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados