Liturgia da Palavra

Data de publicação: 15/06/2018

11º Domingo do Tempo Comum
Ano B - 17 de junho de 2018

Ez 17,22-24 – Todas as árvores saberão que eu sou o Senhor.
Sl 91 (92) – O justo crescerá como a palmeira e o cedro do Líbano.
2Cor 5,6-10 – Nós nos empenhamos em ser agradáveis ao Senhor.
Mc 4,26-34 – O Reino de Deus é como uma planta que cresce.

O Reino de Deus está acontecendo
1. Fazendo comparações, Jesus fala às multidões sobre  o Reino de Deus. Reino de Deus é uma expressão que a gente ouve, mas não entende logo. É um reino no qual Deus é o rei? É um povo, uma nação, um país que tem Deus como governante? Jesus não diz o que é, mas diz como acontece. Jogue na terra uma semente de milho ou de trigo ou um grão de arroz. Supondo que a terra esteja preparada, vai aparecer uma plantinha que cresce, produz folhas e espigas cheias de grãos. No tempo da colheita, recolhem-se os frutos. Como tudo isso acontece, o semeador nem sempre sabe. Um estudioso de botânica pode entender o processo. Quanto ao semeador, o que ele faz é jogar água na planta e algum insumo. Jesus está dizendo que alguém tem que jogar a semente na terra para algum fruto aparecer. O Reino de Deus supõe um semeador, uma semente e uma terra preparada. Outra comparação é feita com o grão de mostarda. Um grão pequeno que produz uma hortaliça grande e que dá sombra aos passarinhos. Assim também, o que fazemos pelo Reino de Deus pode parecer muito pouco, até sem muita importância. Mais tarde, alguém agradecerá o bem que lhe fizemos, a sombra que lhe proporcionamos. Sem percebermos, nossa ação se expandiu e se tornou muito útil para muita gente. Jesus falava ao povo com pequenas histórias chamadas de parábolas. As parábolas são didáticas e críticas. Elas mudam o pensamento de quem as ouve.
2. Na profecia de Ezequiel, há também uma comparação com uma árvore. Deus pega uma muda de cedro e a planta num monte alto. O monte é Israel. O cedro cresce, se torna majestoso e, à sua sombra, os pássaros vêm se abrigar e fazer ninhos. Todas as árvores ficam sabendo que Deus é o Senhor. Ele faz secar a árvore verde e brotar a árvore seca. Ele diz e faz. Ele diz e as coisas acontecem. Assim é o Reino de Deus entre nós. Ele vai acontecendo. Acontece aqui, acontece ali. Não acontece todo de uma vez. Ele será pleno e perfeito na eternidade, quando estaremos todos no Reino definitivo que Deus preparou para nós e onde Ele é o governante.
3. São Paulo ensina aos coríntios que, enquanto estamos nesta terra, caminhamos na fé e não na visão clara. Não vemos a semente germinar, mas sabemos que ela está se desenvolvendo. Podemos não saber como acontece, mas vemos a árvore crescer. Assim, sempre cheios de confiança, esperamos estar um dia na plenitude do Reino de Deus. Por isso, diz São Paulo, nós nos empenhamos em ser agradáveis a Deus, porque prestaremos contas do que fizemos ao longo da nossa vida corporal. Paulo fala em prêmio e em castigo. Queremos que todos vão para o céu, que todos possam se abrigar à sombra da grande árvore do Reino, mas também queremos justiça. Nosso desejo de justiça às vezes se confunde com a vingança. Deus disse: “A mim pertence a vingança” (Rm 12,19), por isso é melhor deixar a vingança nas mãos dele. Se queremos a justiça e somos justos, vamos crescer como a palmeira e florir como o cedro, anunciando pela manhã a bondade de Deus e seu amor fiel a noite inteira. Assim cantamos com o salmista. Que se abriguem à nossa sombra todos os seres da terra. Somos o resultado de uma semente feliz, que torna tudo melhor, que produz frutos até na velhice para alimentar o faminto e dar sombra ao cansado.

Leituras e Salmos (18 a 23 de junho)
2ªf.: 1Rs 21,1-16; Sl 5,2-7; Mt 5,38-42.
3ªf.:1Rs 21,17-29; Sl 50 (51); Mt 5,43-48.
4ªf.: 2Rs 2,1.6-14; Sl 30 (31); Mt 6,1-6.16-18.
5ªf.: Eclo 48,1-15; Sl 96 (97); Mt 6,7-15.
6ªf.: 2Rs 11,1-4.9-18.20; Sl 131 (132); Mt 6,19-23.
Sáb.: 2Cr 24,17-25; Sl 88 (89); Mt 6,24-34.





Fonte: Fc edição 989, Maio de 2018
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

RELIGIÃO
Em seu artigo, o Pe. Zezinho, scj fala sobre a nova "teologia do resultado".
Mesa da Palavra
Iniciamos o Tempo Comum da liturgia da Igreja celebrando o casamento de Deus com a humanidade.
Liturgia da Palavra
Jesus, sendo Deus, poderia se encarnar da maneira que quisesse, mas escolheu ser em tudo semelhante
Liturgia da Palavra
23 de dezembro de 2018 - 4º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
Liturgia da Palavra
9 de dezembro de 2018 - 2º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados