Liturgia da Palavra

Data de publicação: 27/09/2018

26º Domingo do Tempo Comum
Ano B – 30 de setembro de 2018
Nm 11,25-29 – Quem dera que todo o povo do Senhor fosse profeta.
Sl 18 (19) – O Senhor torna sábio o simplório.
Tg 5,1-6 – O salário que não pagastes aos está clamando.
Mc 9,38-43.45.47-48 – Quem não está contra nós está a nosso favor.

Oxalá todo o povo fosse profeta
1. Números – A vida não foi fácil para o povo de Deus no deserto. Não foi fácil também para Moisés, que via o sofrimento de sua gente e se sentia sozinho. Numa ocasião em que o povo tinha fome, Deus mandou que Moisés se reunisse com setenta anciãos na Tenda da Reunião. Deus então tomou do Espírito que repousava sobre Moisés e o colocou nos setenta anciãos e eles profetizaram. Deus disse a Moisés: “Assim levarão contigo a carga deste povo e tu não a levarás mais sozinho”. O Espírito também repousou sobre dois homens que estavam na lista dos setenta, mas não tinham ido à Tenda. Eles começaram a profetizar no acampamento, onde estavam. Josué, ajudante de Moisés, pediu que ele mandasse os dois homens se calarem. Moisés, porém, respondeu: “Quem dera que todo o povo do Senhor fosse profeta e que o Senhor lhe concedesse o seu espírito”. Moisés, grande homem de Deus, cheio do Espírito, não se deixou prender por esquemas legais.
2. Salmo – Os julgamentos do Senhor são corretos e são justos. Quem é instruído por eles se empenha em guardá-los. Com a presença do Senhor em sua vida, o servo humilde se torna sábio e não é dominado pelo orgulho.
3. Tiago – São Tiago tem uma visão muito clara sobre a riqueza do pobre e a pobreza do rico. A riqueza do rico não pode ser fruto da miséria do pobre. Quem tem dinheiro e poder e condena o justo inocente não será aprovado por Deus no dia do juízo. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra, dizemos. O equilíbrio revela a presença do Espírito de Sabedoria em nós. Não nos escravizamos aos bens deste mundo. Não deixamos que eles nos tornem dominadores e opressores dos mais fracos. O que temos é para ser partilhado e socorrer aqueles que nada têm. Sobretudo, não queremos ter nada que seja fruto da desonestidade.
4. Marcos – Os discípulos viram alguém expulsar demônios em nome de Jesus e o proibiram. Por quê? Porque não pertencia ao grupo dos discípulos. É natural vermos o mundo com os nossos olhos, e vê-lo a partir do lugar onde estamos. Por isso é bom mudar de lugar de vez em quando. Sentar-se do outro lado, sair de si mesmo, sair do próprio grupo, sair do pequeno mundo que vive com normas que nós mesmos criamos. Rejeitar o que não entra no meu esquema, o que não cabe em minhas medidas, é limitar a existência e torná-la medíocre. Se você for movido pelo Espírito, será capaz de parar, de pensar, de estudar o contexto, de situar cada pessoa em sua história. Caso contrário, você poderá ser um ótimo enxadrista, jogador de xadrez, que move peças no tabuleiro. Se houver gente dependendo de suas decisões, que Deus nos guarde e nos livre de você. Atenção ao que faz a sua mão quando assina um documento, atenção a seus pés, para onde eles o levam, atenção a seus olhos, não sejam causa de mau- olhado.
5. O que importa é não ser contra Jesus e seu Evangelho. Jesus orienta os discípulos a não reduzirem o mundo a seu próprio grupo, mas valoriza cada um deles. Eles são de Cristo, e quem lhes der um copo de água será recompensado por isso. Novamente Jesus coloca os “pequeninos” no centro de suas considerações. Tais pequeninos são tanto os discípulos de Jesus quanto as pessoas indefesas. Diante do poder de quem manda, você pode se sentir muito pequeno.

Leituras e Salmos (1 a 6 de outubro)
2ªf.: Jó 1,6-22; Sl 16 (17); Lc 9,46-50.
3ªf.: Ex 23,20-23; Sl 90 (91); Mt 18,1-5.10
4ªf.: Jó 9,1-12.14-16; Sl 87 (88); Lc 9,57-62.
5ªf.: Jó 19,21-27; Sl 26 (27); Lc 10,1-12.
6ªf.: Jó 38,1.12-21; 40,3-5; Sl 138 (139); Lc 10,13-16.
Sáb.: Jó 42,1-3.5-6.12-16; Sl 118 (119); Lc 10,17-24.




Fonte: Fc edição 992, Agosto de 2018
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

RELIGIÃO
Em seu artigo, o Pe. Zezinho, scj fala sobre a nova "teologia do resultado".
Mesa da Palavra
Iniciamos o Tempo Comum da liturgia da Igreja celebrando o casamento de Deus com a humanidade.
Liturgia da Palavra
Jesus, sendo Deus, poderia se encarnar da maneira que quisesse, mas escolheu ser em tudo semelhante
Liturgia da Palavra
23 de dezembro de 2018 - 4º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
Liturgia da Palavra
9 de dezembro de 2018 - 2º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados