Revista Família Cristã - Edição de Março de 2013

Data de publicação: 08/03/2013

Homem de fé
Bento XVI foi um papa autêntico, seu gesto foi de humildade e coragem para o bem da Igreja

Por Maria Antonieta Bruscato, fsp

O gesto de Bento XVI foi de fato uma notícia que abalou o mundo inteiro e suscitou surpresa, dor e comoção e, ao mesmo tempo, nos fez reconhecer e admirar ainda mais a sua fé, sabedoria e humildade. A tenacidade, audácia, coerência que manifestou como professor, bispo, cardeal e papa construíram a base para esta profunda e certamente sofrida decisão. As comoventes palavras com que comunicou a sua renúncia são a chave de leitura de sua personalidade: veraz, lúcida, inteligente e, ao mesmo tempo, consciente da própria fragilidade física e das grandes responsabilidades no governo da Igreja.

“Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, pela idade avançada, já não são mais aptas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem ciente de que este ministério, por sua essência espiritual, deve ser feito não apenas com obras e palavras, mas também sofrendo e orando.” Não se faz vítima do sofrimento e da debilidade física, mas com humildade declara-se impotente.

“... No mundo de hoje, sujeito a mudanças rápidas e agitado por questões de grande importância para a vida de fé, para guiar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor tanto do corpo como do ânimo, vigor que, nos últimos meses, diminuiu de tal forma, que reconheço a minha incapacidade de gerir bem o ministério que me foi confiado.”

Um gesto corajoso e inesperado, o de Bento XVI. Mas não abalou a Igreja, porque é Deus que a dirige, o papa é apenas “um simples e humilde operário na vinha do Senhor”, como ele disse logo após a sua eleição, em 19 de abril de 2005. Temos a profunda certeza de que a Igreja continua além das pessoas; a coragem de Bento XVI foi um sinal de fé e abertura para a Igreja na sua sublime tarefa de guia ética e espiritual no mundo.

A notícia, que se espalhou como um raio, teve o apoio e a aceitação dos fiéis. Seu gesto, que denota fé, audácia, humildade, sabedoria, foi elogiado por muitos. Algumas declarações:

“Manifestou que é de fato uma pessoa sábia, pois não considerou o seu prestígio, mas chegou à conclusão de que para o bem da Igreja era o momento de se retirar”.

“Eu não esperava, foi um duro golpe, esperamos que o seu sucessor esteja à altura dos tempos e das necessidades da Igreja”.

“Foi um papa autêntico, corajoso, encarou e enfrentou problemas difíceis na Igreja”.

“Quando vi a notícia na internet não queria acreditar, pensei que fosse uma ‘pegadinha’ de mau gosto, mas desse papa se podia esperar uma atitude dessas, pois foi sempre muito autêntico e verdadeiro”.

“É de fato um homem de Deus, certamente terá rezado e refletido muito antes de tomar esta decisão, e o fez com grande sofrimento”.

Além do seu testemunho de autêntico homem de Deus, não podemos esquecer o grande empenho e trabalho de ensinamento sólido e profundo em assuntos teológicos, e sua avaliação positiva e não ingênua às novas tecnologias da comunicação. Foram sempre profundas e práticas as suas reflexões para as jornadas mundiais de comunicação.

O papa e as redes sociais digitais − Na mensagem deste ano, sentimos o valor e a força que atribui às redes sociais. “O espaço das redes sociais, quando bem e equilibradamente valorizado, contribui para favorecer formas de diálogo e debate que, se realizadas com respeito e cuidado pela privacidade, com responsabilidade e empenho pela verdade, podem reforçar os laços de unidade entre as pessoas e promover eficazmente a harmonia da família humana. A troca de informações pode transformar-se numa verdadeira comunicação, os contatos podem amadurecer em amizade, as conexões podem facilitar a comunhão. Assim as redes sociais tornam-se cada vez mais parte do próprio tecido da sociedade, enquanto unem as pessoas na base destas necessidades fundamentais. Por isso, as redes sociais são alimentadas por aspirações radicadas no coração do homem.” (Mensagem de Bento XVI, no 47o Dia Mundial das Comunicações Sociais)

Ele próprio estava atento às redes sociais digitais e presente no microblog Twitter e outras, ouvindo e comunicando-se com o grande público das mais variadas tendências, conhecimentos e posições sociais.

Nosso agradecimento sincero e nosso afeto ao amado pontífice, que certamente continuará a estar presente na vida da Igreja, como ele próprio afirma na conclusão de sua declaração de demissão: “Quanto a mim, também no futuro desejo servir a Igreja de Deus de todo o coração com uma vida dedicada à oração”.

A Revista Família Cristã, que levou e leva a milhares de assinantes os seus valiosos ensinamentos, agradece e continuará a segui-lo, desejando-lhe momentos de muita paz e serenidade.

Maria Antonieta Bruscato, fsp
Superiora-geral da Pia Sociedade Filhas de São Paulo
Irmãs Paulinas
familiacrista@paulinas.com.br



Destaques desta edição

Entrevista
O futuro chegou
O sociólogo Domenico De Masi  fala sobre o potencial brasileiro diante da nova configuração econômica e cultural do mundo


Reportagem de capa
A era Bento XVI
Ao renunciar, o papa Bento XVI surpreende progressistas e conservadores, aponta ter chegado ao fim a era dos papas pré-conciliares e abre, a seu sucessor, o caminho para uma Igreja mais mística


Alimentação
A dupla brasileira
Feijão e arroz, riquíssimos em nutrientes, podem ser consumidos separados, de diversas maneiras, mas, quando consumidos juntos, formam uma combinação perfeita


Reportagem
Mulheres do Vale 
Mulheres do Vale do Jequitinhonha falam em força, vontade, orgulho, coragem, persistência, sofrimento e capacidade de superação diante dos desafios vividos em decorrência da migração de familiares para fins de trabalho


Perfil
Dalva Tenório, uma nota maior
“Sou muito grata a Deus pelos meus filhos, pelo meu marido, que também é meu amigo, meu parceiro, e alguém que acredita no que eu faço e confia em mim”


Panorama
A vida nas águas
Pescadores do litoral catarinense, resistem, derrubando barreiras, pescando liberdade, sonhos e simbolizando a luta de milhares pescadores artesanais de todo o Brasil


Ano da fé
Os pais na fé
Assim foi com Abraão e Sara, assim é com a gente. A fé nas Sagradas Escrituras, no povo da Bíblia




Fonte: Família Cristã 927 - Mar/2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Viver bem dentro de casa
Uma família unida enfrenta e supera os desafios da vida com maior facilidade.
Música
Além de estimular o bom convívio social, aprender música ajuda a desenvolver a fala E a respiração.
Bichos são família?
A humanização excessiva dos animais de estimação pode causar problemas a eles
Amor condicional
A pessoa amada precisa crescer e se desenvolver por si mesma, por seus próprios modos
Reconhecer e aceitar os erros
Que nossos erros sejam experiências e lições que impulsionem o crescimento das rosas da liberdade
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados