O caranguejo e a raposa

Data de publicação: 29/05/2013


Por Programa Criança Certeza
Fotos: Centro de Promoção Humana
Ilustrações: Ricardo Corrêa

Um caranguejo do mar, que era muito querido entre os seus, queria exibir sua valentia e foi para a terra em busca de novos alimentos e distrações.

Uma raposa o encontrou antes do almoço. Fez do caranguejo um saboroso aperitivo.

Ela ficou contente de ter encontrado aquele fruto do mar.

O caranguejo, ao ser devorado, disse:

− Por que eu, que vivia tranquilo no fundo do mar, quis me aventurar nas praias do litoral?

Fábula de Esopo - Fábulas com moral de La Fontaine, Esopo e Samaniego. Publicadas no Brasil por Girassol Brasil Edições Ltda.




Fala galera


A galera do Centro de Promoção Humana Irmã Tecla Merlo, no bairro do Grajaú, zona sul de São Paulo (SP), após um caloroso debate sobre a fábula "O caranguejo e a raposa", resolveu escrever as opiniões que tiveram na discussão. Eles se questionaram sobre o consumo consciente e chegaram à conclusão de que todo excesso não faz bem.





Consumo exagerado é quando uma pessoa vê as coisas, compra, e não usa e deixa de lado. Depois  compra mais coisas. Isso é consumo exagerado. Eu não sou assim, eu compro uma coisa e uso até ficar velha. É assim que a pessoa tem que ser.

Carina Goes do Nascimento, 11 anos












Hoje, o consumismo muitas vezes acaba, muitas vezes, virando uma doença. Muitas pessoas sentem prazer em consumir. Algumas vezes, compram para deixar no guarda-roupa etc. Precisamos aprender a economizar.

Keila Pereira Franca, 12 anos












O consumo pode virar um vício porque você vai comprando as coisas,  vai ficando viciado, e quando você vai ver no fim do ano terá que pagar um monte de contas.

Gabriel Martins da Silva, 10 anos












Um dos problemas que atingem a nossa sociedade é o consumismo tanto de homens como de  mulheres. Porém as mais consumistas são as mulheres. Eu acho que o Brasil até seria melhor e menos pobre sem o consumismo.

Ketlin Ferreira Galindo, 11 anos














O consumo exagerado é quando uma pessoa quer comprar, e compra sem precisar. Tem gente que não precisa, mas ela compra porque sente que precisa comprar. Às vezes, o consumo exagerado pode virar uma doença e se tornar grave se não tratar.

Paloma Cristina da Silva Souza, 12 anos












Se a gente compra uma coisa, depois vai comprando cada vez mais, a gente acaba ficando mais endividado e não consegue pagar todas as contas. Muitas vezes, a gente compra só para ficar de enfeite, nem usa. Isso atrapalha muito e pode acabar causando um distúrbio e a pessoa ficar querendo consumir mais, mais e mais.

Larissa Bezerra dos Santos Carvalho, 12 anos




Fonte: Super + 129 - Mai/2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Criança tem direito
Uma galerinha antenada refletiu sobre os Direitos das Crianças. A Declaração Universal dos Direitos da Criança, criada com o fim de integrá-la na sociedade e zelar pelo seu convívio e interação social, cultural e até financeiro, dando-lhe condições de sob
A primavera na Igreja
No ano do jubileu do Concílio Vaticano II, 2012, a Revista Família Cristã iniciou reflexões e, a cada mês do ano jubilar, aborda um aspecto deste vasto acontecimento da Igreja, com especialistas no assunto
Sacramento e Sacramentos
No imaginário popular, quando se fala em sacramento, de imediato se pensa nos sete Sacramentos da Igreja, ou em algum Sacramento específico, como o Batismo, a Crisma, a Eucaristia etc...
Início Anterior 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados