Fun Zone para peregrinos

Data de publicação: 23/07/2013

Por André Bernardo

Com capacidade para receber até 300 pessoas, espaço batizado de “Fun Zone” oferece música ambiente, internet gratuita e jogos eletrônicos a jovens do mundo inteiro.

A segunda-feira, dia 24 de julho, começou cedo para Natanael Josué Silva, 20 anos. Às 6h, ele já estava no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Galeão, para acolher os peregrinos que chegavam de todas as partes do Brasil e do mundo para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Numa área de 700 metros quadrados e com capacidade para acolher até 300 pessoas, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), estatal que administra os aeroportos do país, montou a “Fun Zone” (“Zona de Diversão”, em livre tradução).

Na “Fun Zone”, o peregrino vai encontrar música ambiente, jogos eletrônicos, internet gratuita e lanchonete 24 horas. “Ao mesmo tempo em que ajuda a desafogar o saguão do aeroporto do elevado número de visitantes, a “Fun Zone” é um espaço destinado a abrigar os peregrinos que chegam cansados ao Brasil. Muitos deles, por questões de segurança, têm optado por pernoitar no aeroporto, depois das 22h”, explica Natanael, que é nascido em São Paulo, mas já mora no Rio há seis anos.

No dia da chegada do Papa Francisco ao Rio de Janeiro, o “Fun Zone” estava repleto de peregrinos dos mais diferentes países, como Venezuela, Equador, Chile, EUA e República Dominicana. Um grupo de 61 pessoas, vindo de Guadalajara, no México – país da América do Norte onde 88,3% da população são compostos por católicos – era um dos mais animados. Vestindo o tradicional “sombrero” mexicano e cantando músicas típicas de seu país, eles aguardavam com ansiedade o desembarque de Sua Santidade.

“A alegria de encontrar o representante de Jesus Cristo na Terra é indescritível. Queremos levar uma palavra de fé e esperança aos nossos irmãos que ficaram no México”, disse Diego Hernandez, 30 anos. Segundo estimativa da Infraero, os dois aeroportos do Rio, Galeão (voos internacionais) e Santos Dumont (domésticos), devem receber, durante a JMJ, uma média de 70 mil passageiros por dia. Na segunda, dia 29, após o encerramento do evento, esse número deve subir para 100 mil.

Para atender a essa demanda, cerca de 100 voluntários estão trabalhando nos dois aeroportos. A cada turno de seis horas, eles se revezam para dar suporte a que vem ao Rio para participar da JMJ. Como o Padre Ricardo Lazo, 50, que desembarcou na manhã de segunda, vindo de Guayaquil, no Equador. “Papa Francisco já mostrou ser um pastor sensível, humano e carismático. Estou muito curioso para ouvir o que ele tem a dizer para seu povo”, afirma ele, que veio acompanhado de uma pequena delegação de seis pessoas.

Ou, então, o leigo consagrado Adriano Brasil, 36. Membro da Comunidade Católica Doce Mãe de Deus, de João Pessoa (PB), Adriano já participa de sua 5ª JMJ. “Graças a Deus, tive a felicidade ir às edições de Toronto, no Canadá, em 2002; Colônia, na Alemanha, em 2005; Sydney, na Austrália, em 2008, e Madri, na Espanha, em 2011. Mas essa tem um gostinho todo especial. Afinal, estamos em casa”, sorri ele, que integra um grupo formado por 156 fiéis, de quatro estados: Paraíba, Alagoas, Tocantins e Pará.

Ao ser eleito, em março deste ano, o novo pontífice escolheu o nome de Francisco, em homenagem ao santo dos pobres. A primeira viagem internacional do Santo Padre desperta a curiosidade de membros da Ordem dos Frades Menores (OFM), fundada pelo religioso italiano. Em companhia de outros cinco frades, Frei José Aécio, de Uberlândia (MG), chegou ao Rio na segunda, dia 22, e só vai embora no domingo, 28. “De um Papa chamado Francisco, o mundo pode esperar a busca pela radicalidade evangélica e pelo diálogo inter-religioso”, garantiu.




Fonte: Família Cristã
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Entradas e acompanhamentos
Quer um novo cardápio? O pepino, apesar de levar a fama de ser indigesto, podem ser uma boa opção.
Bolos de liquidificador
Não há quem não se renda ao cheirinho de um bolo caseiro sendo assado.
Caldos, sopas e consumês
Neste inverno, além dos cuidados com a pele, é importante se preocupar com a alimentação.
Conservas caseiras
Resgate o antigo hábito de fazer conservas caseiras. Além da economia, aproveitando os legumes.
Páscoa
Na Páscoa, é muito comum as famílias se reunirem para uma confraternização.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados