Edição de Setembro de 2013

Data de publicação: 28/08/2013

EDITORIAL


O direito de nascer, outra vez


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é campeão mundial na realização de partos cesarianos. Enquanto o percentual preconizado pela OMS é de 15% para tais procedimentos, o Ministério da Saúde registra que a média nacional passa dos 50%. O responsável pela elevação é a rede particular: até 84% segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), contra 38% do Sistema Único de Saúde (SUS). E a tendência é piorar. No ano 2000, 1,9 milhão de brasileiros nasceram em partos normais, contra apenas 1,2 milhão em 2012.

Em um País onde, explicitamente, se padece com a falta de médicos, essa excessiva medicalização dos partos, que muitas vezes poderiam acontecer naturalmente e com o acompanhamento de enfermeiras especializadas, causa perplexidade. Questões culturais e, ainda mais, a ganância de empresas privadas de prestação de serviços de saúde, aliado à omissão do poder público, jamais deveriam falar mais alto do que a segurança de seres humanos. No entanto, falam... Um País onde anda em falta a paciência e, principalmente, o respeito para esperar o tempo natural, quase sagrado, de uma gestante entrar em um trabalho de parto e de uma criança vir a este mundo parece enfrentar problemas éticos e morais. E profundos.

Afinal, o obstetra, o anestesista, o hospital, os fornecedores de material hospitalar e de medicamentos, sem falar nas entidades que mercantilizam nossa saúde – um bem que não pertence a elas –, precisam garantir sua fatia nesse aparentemente bom negócio de nascer cirurgicamente, onde se corta e se costura os ventres maternos independentemente dos riscos de infecção hospitalar, hemorragias e de morte para os bebês (até 10 vezes mais do que em partos naturais) e suas mães (até quatro vezes mais). O remédio? O Brasil precisa, urgentemente, aprender a nascer de novo, redescobrir a beleza e o encanto de entender o que há de divino no funcionamento da natureza humana. Como expressa, de forma comovente, a matéria da seção Filhos, à página 16 desta presente edição. Por favor, leia sem pressa.



Antônio Edson

Revista Família Cristã


Veja nesta edição:



ENTREVISTA

Uma reflexão sobre a mobilidade urbana
“Refletir sobre a questão da mobilidade urbana não é atributo exclusivo de políticos”, garante o arquiteto e urbanista Jorge Wilheim





COMPORTAMENTO

Simpatia é quase amor

Todo mundo já confundiu amizade com amor






FILHOS

Em respeito à mãe e o filho, um parto humanizado

Parto humanizado é o tratar com respeito a mãe e o bebê, sem acelerar o processo no nascimento nem induzir as contrações artificialmente sem justificativa






FAMÍLIA

O desafio de formar os filhos para a vida

O desafio das famílias para formar filhos para uma vida independente sem deixar de protegê-los




ENTRE JOVENS

Enfim, o Estatuto da Juventude

Sancionado em agosto, o Estatuto da Juventude entrará em vigor em fevereiro de 2014, para fortalecer políticas públicas para a juventude





DINÂMICA FAMILIAR

Mulher, mãe e provedora
Acreditar na força feminina, presente nas lágrimas silenciosas, na fala muda, diante do angustiante medo dos torturadores físicos e psicológicos, é indispensável à mulher




JUVENTUDE E FÉ

Ventos de Copacabana

“Ainda pareço sentir o vendo na Praia de Copacabana. Às vezes, pego-me cantando baixinho: ‘Cristo nos convida: Venham meus amigos! Cristo nos envia: Sejam missionários!’”, Padre Reginaldo Carreira




MATURIDADE

Extremos que se tocam

O relacionamento entre netos e avós contribui para a saúde física e mental dos avós, e, para as crianças, a demonstração de segurança e amor eleva a autoestima





ALIMENTAÇÃO

Coco na cabeça
A “Árvore do Bem-Estar” produz um fruto com 100% de aproveitamento, que vai desde a água de coco até a fibra para fabricação de capachos





SAÚDE

A vacina HPV
Um dos maiores causadores de câncer do colo de útero, o HPV pode ser evitado por meio de vacina aplicada já na adolescência





BIOÉTICA

O valor da hospitalidade (III)

“A hospitalidade não é somente um valor cristão, mas também um valor humano, que nossa sociedade plural e secularizada reconhece e está tão necessitada”, Léo Pessini




PAZ INQUIETA

A um casal em crise
“Ninguém se casa para se descasar. Não é procedimento de pessoa coerente. Segundo as leis da Igreja e de muitos países, casar-se com intenção de separar-se torna inválida a união”, Padre Zezinho




FORMAÇÃO LITÚRGICA

Eucaristia e ação de graças

“A Eucaristia é um encontro vivo, dinâmico e enriquecedor. A vida que circula o encontro eucarístico pede que eduquemos a nossa capacidade de sintonia, sensibilidade e admiração”, Frei Luiz S. Turra




CÁRITAS

Semana Social Brasileira

Em vários estados do Brasil, de 2 a 5 de setembro de 2013, acontece a 5ª Semana Social Brasileira, um espaço de debate e construção do Estado que queremos





IGREJA
 O povo clama por um País independente
Há 18 anos, a manifestação popular dá voz aos brasileiros que ainda clamam por um Brasil independente





MÊS DA BÍBLIA

Alegrai-vos comigo
Desde 1971, setembro foi escolhido no Brasil como o Mês da Bíblia. Neste ano, 2013, a proposta é o estudo do Evangelho segundo Lucas





SETE PECADOS

A ira
Segundo teólogos, a ira exacerbada afasta o homem de Deus e o torna inimigo de seu semelhante, a sabedoria popular aconselha contar até 10





REPORTAGEM

Lembranças de sangue
Sobrevivente da Chacina do Carandiru relembra detalhes de uma sexta-feira macabra e que ainda espera por um ponto final na Justiça





CIDADANIA
Direito de ir às ruas
“Os bens públicos são pertences estatais, destinando-se, no caso, ao uso de todas as pessoas”, Vidal Serrano Júnior





POLÍTICA
Os frutos das ruas

“Ações de violência são, em sua essência, contra os anseios de organização. Servem somente para desvirtuar o sentido de uma manifestação”, Rubens Diniz.





CULTURA

Cantos carro de boi

Do Brasil colônia aos dias atuais, os carros de boi contam e cantam a história da construção do País e do avanço da civilização





PÁGINA LIVRE
Prece do murmúrio

“Meu Senhor! Prometo não ficar triste se na velhice minha casa estiver repleta de ausências...”, Lázaro Piunti





CULINÁRIA
O coco vai à mesa

Além de possuir aroma e sabor delicioso, o coco é extremamente nutritivo






TRABALHOS MANUAIS

Vela na casca do coco
Ideal para festas ao ar livre











Fonte: Família Cristã 933 - Set/2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

A paternidade
É um direito ter o nome dos pais na certidão de nascimento; mutirões são realizados para que a população tenha mais acesso ao registro de paternidade
Navegue com segurança
Viver no ambiente digital abre novos horizontes e possibilidades, mas requer cuidados
O melhor alimento para o bebê
O aleitamento materno é uma unanimidade mundial. Todos os profissionais de saúde reconhecem
Hora do pesadelo
Pesadelos são ruins em qualquer idade, mas os pais ficam mais angustiados quando são seus filhos.
Viver bem dentro de casa
Uma família unida enfrenta e supera os desafios da vida com maior facilidade.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados