Edição de Setembro de 2013

Data de publicação: 28/08/2013

EDITORIAL


O direito de nascer, outra vez


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é campeão mundial na realização de partos cesarianos. Enquanto o percentual preconizado pela OMS é de 15% para tais procedimentos, o Ministério da Saúde registra que a média nacional passa dos 50%. O responsável pela elevação é a rede particular: até 84% segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), contra 38% do Sistema Único de Saúde (SUS). E a tendência é piorar. No ano 2000, 1,9 milhão de brasileiros nasceram em partos normais, contra apenas 1,2 milhão em 2012.

Em um País onde, explicitamente, se padece com a falta de médicos, essa excessiva medicalização dos partos, que muitas vezes poderiam acontecer naturalmente e com o acompanhamento de enfermeiras especializadas, causa perplexidade. Questões culturais e, ainda mais, a ganância de empresas privadas de prestação de serviços de saúde, aliado à omissão do poder público, jamais deveriam falar mais alto do que a segurança de seres humanos. No entanto, falam... Um País onde anda em falta a paciência e, principalmente, o respeito para esperar o tempo natural, quase sagrado, de uma gestante entrar em um trabalho de parto e de uma criança vir a este mundo parece enfrentar problemas éticos e morais. E profundos.

Afinal, o obstetra, o anestesista, o hospital, os fornecedores de material hospitalar e de medicamentos, sem falar nas entidades que mercantilizam nossa saúde – um bem que não pertence a elas –, precisam garantir sua fatia nesse aparentemente bom negócio de nascer cirurgicamente, onde se corta e se costura os ventres maternos independentemente dos riscos de infecção hospitalar, hemorragias e de morte para os bebês (até 10 vezes mais do que em partos naturais) e suas mães (até quatro vezes mais). O remédio? O Brasil precisa, urgentemente, aprender a nascer de novo, redescobrir a beleza e o encanto de entender o que há de divino no funcionamento da natureza humana. Como expressa, de forma comovente, a matéria da seção Filhos, à página 16 desta presente edição. Por favor, leia sem pressa.



Antônio Edson

Revista Família Cristã


Veja nesta edição:



ENTREVISTA

Uma reflexão sobre a mobilidade urbana
“Refletir sobre a questão da mobilidade urbana não é atributo exclusivo de políticos”, garante o arquiteto e urbanista Jorge Wilheim





COMPORTAMENTO

Simpatia é quase amor

Todo mundo já confundiu amizade com amor






FILHOS

Em respeito à mãe e o filho, um parto humanizado

Parto humanizado é o tratar com respeito a mãe e o bebê, sem acelerar o processo no nascimento nem induzir as contrações artificialmente sem justificativa






FAMÍLIA

O desafio de formar os filhos para a vida

O desafio das famílias para formar filhos para uma vida independente sem deixar de protegê-los




ENTRE JOVENS

Enfim, o Estatuto da Juventude

Sancionado em agosto, o Estatuto da Juventude entrará em vigor em fevereiro de 2014, para fortalecer políticas públicas para a juventude





DINÂMICA FAMILIAR

Mulher, mãe e provedora
Acreditar na força feminina, presente nas lágrimas silenciosas, na fala muda, diante do angustiante medo dos torturadores físicos e psicológicos, é indispensável à mulher




JUVENTUDE E FÉ

Ventos de Copacabana

“Ainda pareço sentir o vendo na Praia de Copacabana. Às vezes, pego-me cantando baixinho: ‘Cristo nos convida: Venham meus amigos! Cristo nos envia: Sejam missionários!’”, Padre Reginaldo Carreira




MATURIDADE

Extremos que se tocam

O relacionamento entre netos e avós contribui para a saúde física e mental dos avós, e, para as crianças, a demonstração de segurança e amor eleva a autoestima





ALIMENTAÇÃO

Coco na cabeça
A “Árvore do Bem-Estar” produz um fruto com 100% de aproveitamento, que vai desde a água de coco até a fibra para fabricação de capachos





SAÚDE

A vacina HPV
Um dos maiores causadores de câncer do colo de útero, o HPV pode ser evitado por meio de vacina aplicada já na adolescência





BIOÉTICA

O valor da hospitalidade (III)

“A hospitalidade não é somente um valor cristão, mas também um valor humano, que nossa sociedade plural e secularizada reconhece e está tão necessitada”, Léo Pessini




PAZ INQUIETA

A um casal em crise
“Ninguém se casa para se descasar. Não é procedimento de pessoa coerente. Segundo as leis da Igreja e de muitos países, casar-se com intenção de separar-se torna inválida a união”, Padre Zezinho




FORMAÇÃO LITÚRGICA

Eucaristia e ação de graças

“A Eucaristia é um encontro vivo, dinâmico e enriquecedor. A vida que circula o encontro eucarístico pede que eduquemos a nossa capacidade de sintonia, sensibilidade e admiração”, Frei Luiz S. Turra




CÁRITAS

Semana Social Brasileira

Em vários estados do Brasil, de 2 a 5 de setembro de 2013, acontece a 5ª Semana Social Brasileira, um espaço de debate e construção do Estado que queremos





IGREJA
 O povo clama por um País independente
Há 18 anos, a manifestação popular dá voz aos brasileiros que ainda clamam por um Brasil independente





MÊS DA BÍBLIA

Alegrai-vos comigo
Desde 1971, setembro foi escolhido no Brasil como o Mês da Bíblia. Neste ano, 2013, a proposta é o estudo do Evangelho segundo Lucas





SETE PECADOS

A ira
Segundo teólogos, a ira exacerbada afasta o homem de Deus e o torna inimigo de seu semelhante, a sabedoria popular aconselha contar até 10





REPORTAGEM

Lembranças de sangue
Sobrevivente da Chacina do Carandiru relembra detalhes de uma sexta-feira macabra e que ainda espera por um ponto final na Justiça





CIDADANIA
Direito de ir às ruas
“Os bens públicos são pertences estatais, destinando-se, no caso, ao uso de todas as pessoas”, Vidal Serrano Júnior





POLÍTICA
Os frutos das ruas

“Ações de violência são, em sua essência, contra os anseios de organização. Servem somente para desvirtuar o sentido de uma manifestação”, Rubens Diniz.





CULTURA

Cantos carro de boi

Do Brasil colônia aos dias atuais, os carros de boi contam e cantam a história da construção do País e do avanço da civilização





PÁGINA LIVRE
Prece do murmúrio

“Meu Senhor! Prometo não ficar triste se na velhice minha casa estiver repleta de ausências...”, Lázaro Piunti





CULINÁRIA
O coco vai à mesa

Além de possuir aroma e sabor delicioso, o coco é extremamente nutritivo






TRABALHOS MANUAIS

Vela na casca do coco
Ideal para festas ao ar livre











Fonte: Família Cristã 933 - Set/2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Viver bem dentro de casa
Uma família unida enfrenta e supera os desafios da vida com maior facilidade.
Música
Além de estimular o bom convívio social, aprender música ajuda a desenvolver a fala E a respiração.
Bichos são família?
A humanização excessiva dos animais de estimação pode causar problemas a eles
Amor condicional
A pessoa amada precisa crescer e se desenvolver por si mesma, por seus próprios modos
Reconhecer e aceitar os erros
Que nossos erros sejam experiências e lições que impulsionem o crescimento das rosas da liberdade
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados