Pelos sertões da fé

Data de publicação: 19/03/2014

Capital nordestina da fé, Juazeiro do Norte atrai milhares de romeiros todos os anos e espera pela reabilitação canônica do Padim Ciço

José Paulo Borges
Fotos Jesus Carlos/ImagemGlobal


Para o sertanejo, Juazeiro do Norte (CE), no extremo sul do estado, a 550 quilômetros de Fortaleza, é o centro do mundo. Um lugar sagrado ao qual se deve ir em romaria, com muita fé e esperança no coração. Não uma vez na vida, pelo menos, como a Meca, mas, se possível, todo ano, para agradecer por graças alcançadas, fazer novas promessas, aconselhar-se com padres, rezar por uma vida menos dura e pedir chuva para o sertão. Em verdade, como sintetiza dom Fernando Panico, bispo da Diocese de Crato, mais que uma cidade do Sertão do Cariri, Juazeiro do Norte é uma “Nação Romeira”. Com 250 mil habitantes, a cidade dobra e a até triplica de população nas romarias.

Segundo cálculos da Secretaria de Turismo e Romarias de Juazeiro do Norte, as festas religiosas atraem a Juazeiro do Norte mais de 2 milhões de pessoas por ano. Gente como o alagoano Cícero Rodrigues, a cearense Rita Teixeira de Lira e a pernambucana Terezinha de Jesus Alencar, por exemplo. Sob um calor de 35 graus, Cícero e Rita subiram a pé até o cume da Colina do Horto, a 8 quilômetros do centro. Já Terezinha, por causa da idade, foi de carro. A Colina do Horto é destino obrigatório dos romeiros. Era lá que Padre Cícero Romão Batista descansava de suas andanças e pregações pelo Sertão do Cariri, microrregião localizada entre Juazeiro e os municípios de Crato e Barbalha. Hoje, uma imagem do Padim Ciço, como Padre Cícero é chamado, com 27 metros de altura – um dos maiores monumentos religiosos do País, acolhe os romeiros.

Graças e promessas – A movimentação na cidade começa logo em 2 de fevereiro com a Romaria das Candeias, um espetáculo de religiosidade iluminado pela luz de milhares de velas nas mãos dos peregrinos. Em seguida, entre 18 e 24 de março, vem a Semana do Padre Cícero, festa em comemoração ao seu nascimento, onde não faltam o bolo nem o Parabéns a você cantado à meia-noite. Em 15 de setembro acontece a Romaria da Mãe das Dores, manifestação vinda dos tempos em que o Padim Ciço ainda vivia. De 29 de outubro a 2 de novembro, celebra-se a romaria que alguns ainda chamam de Finados, porém para a maioria é a Romaria da Esperança, porque saúda a vida e não a morte. Finalmente, entre o Natal e o Dia de Reis, os fiéis lotam a cidade na Romaria do Ciclo Natalino, a mais longa de todas.Cícero Rodrigues viajou a Juazeiro do Norte em reconhecimento a uma graça recebida ao seu time de coração. Como promessa é dívida, ele não hesitou em pagá-la: colocou por breves instantes na cama pequena, estreita e simples onde o santo sertanejo dormia – preservada em um museu instalado no centro da cidade – a gloriosa camisa vermelha e branca do Comercial, bicampeão invicto do torneio de amadores do bairro de Olaria, em Canindé de São Francisco (SE). “Prometi isso ao Padim”, afirma.

Já a peregrinação de Rita de Lira não foi a primeira e, dependendo de sua imensa gratidão, não será a última. Há mais de 20 anos, ela sobe a Colina do Horto para agradecer a cura de um diabetes que estaria entrevando seu filho, Elivânio Teixeira. “Tenho certeza de que a cura do Elivânio foi uma graça obtida através de Padre Cícero”, contou a mãe, em meio a uma multidão que não parava de chegar ao Horto – chegava a pé, de moto-táxi, em peruas ou ônibus fretados –, para pagar promessas, suplicar por outra ajuda do santo sertanejo ou, simplesmente, rezar ao pé da sua imagem.
Por causa das dores provocadas pela artrose em um dos joelhos, Terezinha de Jesus Alencar, de 74 anos, moradora em Petrolina (PE), não fez em 2012, como sempre fez nos últimos 25 anos, a caminhada a pé da Matriz de Nossa Senhora das Dores, no centro de Juazeiro do Norte, até o alto da Colina do Horto. “Fui de carro, nem por isso fiquei menos feliz, pois participei de mais uma romaria”, conta. “Já estou me preparando para quando ter que ficar em casa, longe das romarias. Mas isso não tem importância, romaria a Juazeiro é uma coisa que está dentro do coração da gente. Ninguém vai tirar de mim essa lembrança”, desafia Terezinha.

Reabilitação canônica – “Padre Cícero é uma referência para a vivência cristã nesta imensa porção do Nordeste brasileiro conhecida como Nação Romeira. As romarias feitas a Juazeiro do Norte, em louvor à Virgem Maria Mãe das Dores, são manifestações da herança espiritual do Padre Cícero. O nordestino tem veneração e carinho pela figura do seu ‘padrinho’. Além disso, as romarias são portadoras de riqueza da religiosidade popular. No seu estado puro, as romarias permitem aos romeiros aprofundar o conhecimento de sua fé batismal recebida da Igreja Católica, da qual são autênticos filhos”, explica dom Fernando. “A Igreja tem a obrigação de valorizar, aprofundar e favorecer a romaria como vivência profunda de uma experiência de fé, na qual o romeiro é visto e reconhecido como sujeito e protagonista e não apenas objeto passivo”, conclui o bispo.

O Padre Cícero nasceu em Crato, no Ceará, em 1844. Ele seria outro pároco de aldeia não fosse um fato ocorrido em 1889. Durante a comunhão na capela de Nossa Senhora das Dores, ao receber a hóstia das suas mãos, a beata Maria de Araújo foi acometida por convulsões. Em sua boca, a hóstia vertia sangue. O fenômeno se repetiu, e o povo viu nele o sangue de Cristo. O fato arrastou multidões para a pequena vila de Juazeiro e rendeu ao Padre Cícero a cassação da sua ordem sacerdotal. “Seu processo de reabilitação canônica é estudado pela Congregação para a Doutrina da Fé desde 2006. Quem o incentivou foi o então cardeal Joseph Ratzinger, à época prefeito da Congregação e, hoje, o papa emérito Bento XVI. Caberá ao papa Francisco determinar a continuidade do processo. Desejamos que o fim do processo venha com resultado favorável”, enfatiza dom Fernando.










Fonte: Família Cristã 928 - Abr/2013
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Doença celíaca
Doença do intestino delgado, autoimune, crônica, causada por uma reação ao glúten
TOD à luz da escuta de Baco
Transtorno Opositivo Desafiador, conheça esta doença
Doenças autoimunes
Quando nosso sistema imunológico se desequilibra, entram em cena as doenças autoimunes
Você cuida bem da sua audição?
A saúde da nossa audição é também questão de bem-estar
Sinusite ou rinite?
Tanto a sinusite como a rinite são inflamações que afetam as mesmas regiões do corpo.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados