Não tire nem deseje

Data de publicação: 05/06/2014

Padre Zezinho, scj*


“Não se aposse do que não lhe pertence nem deseje o que não é seu.” Poderíamos assim resumir o sexto, o sétimo, o nono e o décimo mandamentos, segundo são conhecidos pelos católicos. A raiz está no decálogo, contido entre outros livros, no do Deuteronômio (cf. Dt 5,1-21). Por razões pedagógicas, sendo que é muito extenso, a Igreja o resumiu em dez frases fundamentais.

Os três primeiros levam ao dever de louvar e aceitar a autoridade de Deus; o quarto, a reconhecer as autoridades deste mundo, a começar pelos pais; o quinto, e o sexto, ao controle e direcionamento dos instintos; o sétimo, ao respeito pelo direito de posse ou de compromisso do outro, o oitavo, ao bom nome e à honra do outro; e o nono e o décimo exigem que se controle inclusive o desejo por quem já se deu a uma outra pessoa ou pelos bens que já pertencem a outro.

É disso que trata a lei de Deus, dada aos judeus e a nós, seguidores de Jesus Cristo. O outro está presente em cada uma dessas leis.

O Outro? − O grande Outro, ou seja, Deus, deve ser amado e respeitado, nossos pais e as outras autoridades na terra precisam ser reverenciados. A vida e o sexo, que sempre envolvem um ao outro, devem ser protegidos e respeitados, nunca destruídos ou conspurcados. Os bens do outro não devem ser tomados nem às escondidas nem à força. O nome do outro, assim como o nome de Deus, merece respeito. A pessoa amada pelo outro e os bens do outro não precisam nem mesmo ser cobiçados. É que, alimentando tais desejos, a pessoa acaba por se apossar do que desejava. É melhor fugir até do desejo.

Jesus não faz por menos. Quando os apóstolos pediram a Ele que lhes ensinasse a orar, ao ensinar o Pai-nosso Mateus resumia assim os dez mandamentos. Se você nunca percebeu isso compare Deuteronômio 5,1-21 e  Mateus 6,9-13. Já falamos e ainda falaremos dessa doutrina. O que por ora precisamos lembrar é que o exercício da fé e da cidadania passa pelo controle das ações e dos desejos. 

O ser humano é rebelde. Se não controlar, o seu riacho vai transbordar errado, no lugar errado e nas pessoas erradas. Rios controlados dão água, luz, energia e vida para o povo. Sem controle, não servem nem mesmo para o lazer.  Deus nos quer controlados e disciplinados. Até porque o rio não perde a sua liberdade quando lhe armam um dique. Apenas corre diferente e de maneira mais útil!


*Escritor, compositor e cantor.





Fonte: Família Cristã 913 - Jan/2012
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

O socioambientalismo
O socioambientalismo parte do princípio: articulação entre a biodiversidade e a sociodiverside
Quando cai um forte
A morte de personalidades arrebata as multidões pois ajudaram a alterar o rumo da história
Interceder pelo futuro
Oremos por quem algum dia beberá do que dissemos ou ensinamos, pois quem converte é Deus
Nossa previdência
A carga tributária deve servir prioritariamente para a preservação da dignidade humana
Inconformados
A violência e os vícios estão já há muito tempo ceifando vidas cada vez mais jovens
Início Anterior 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados