Poemeto de Natal

Data de publicação: 09/12/2014

Padre Zezinho, scj*


“Vejo a bondade e a maldade e procuro por mais luz; e é nessa minha procura que eu descubro Jesus.”

Das bandas da Palestina, do outro lado do mundo, vem uma história divina e de conteúdo profundo: um filho de carpinteiro, que aos poucos se revelou, acabou crucificado, por conta do seu recado e das coisas que falou.

Ele queria igualdade, mais respeito pelos pobres, queria o direito à vida, queria o mundo mais nobre, mais nobreza de princípios, não nobreza de dinheiro. Era isso que pregava o filho do carpinteiro. Se Ele é Deus não sei dizer; eu somente posso crer, mas quem conviveu com Ele e ouviu o que Ele falava, os milagres que operava e os poderes que Ele tinha, saiu de lá convencido que tinha visto e vivido com alguém especial.

Era muito mais que humano! Jesus era o nome dele! Jesus era muito mais! Não era filho de rei, nem de rico, nem de nobre, de fato, Ele nasceu pobre, numa gruta em Belém. Dizem que a Mãe era virgem, eu não estava por perto; eu só posso acreditar! Há gente que não aceita e eu resolvi aceitar!

Humano eu sei que Ele era, porém não era comum. Também não sei quem é Deus, e nem como é que Deus é; mas se veio para a Terra, para morar entre nós, algum motivo Ele tinha! Desde os primeiros humanos, parece que não deu certo essa tal liberdade... Fez o homem muito esperto. Acha que sabe o que faz, mas sempre acaba sem paz. Não faz o que já sabia, não faz o que deveria e, quando a coisa não sai do jeito que foi pensada, o homem vai lá e mata, pra se livrar do problema, problema que quase sempre foi Ele quem começou.

Homem é bicho tinhoso, é cabeçudo, é teimoso, e mulher também o é. Gente quase ingovernável, confusa, de mente instável! Não sabe viver direito e não sabe conviver, e deve ser bem por isso que Deus veio aqui viver!

Dia do Deus presente − Diz o grande e santo livro que Ele veio nos salvar; assumiu a forma humana, a fim de nos libertar; chegou pra trazer mais luz, nasceu lá na Palestina e o nome d’Ele é Jesus. Mas o homem, que é tinhoso, não gostou do que Ele fez, não gostou do que Ele disse e matou Jesus na cruz. Mas hoje nós celebramos o dia do nascimento do filho do carpinteiro que se chamava Jesus.

Existe quem não crê n’Ele e quem não crê na sua cruz; e muito menos aceita o poder da sua luz. E eu aqui, sabendo pouco, procuro sempre a verdade. Vejo a bondade e a maldade e procuro por mais luz; e é nessa minha procura que eu descubro Jesus. Se Ele é Deus ou se não é, isso eu não posso provar; eu só posso acreditar. Aposto que Ele é do céu, e proclamo que Ele é Deus, que assumiu a forma humana. O Deus que é santo e perfeito nos mostrou que a humanidade, apesar de toda maldade, um dia pode ter jeito!

E eu vivo dessa esperança! O mundo ainda vai ser bom, pois Deus passou por aqui! Parece que foi embora, mas Ele não foi de vez; pois falou e garantiu que estaria bem presente, onde houvesse dois ou três pensando no que Ele disse, pensando no que Ele fez.

Por isso que o Natal é assim tão importante. É dia de recordar que Deus não está distante; é dia do Deus presente, que se importa com a gente!

*Escritor, compositor e cantor.






Fonte: Família Cristã 912 - Dez/2011
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Um canto negro
As mulheres da família de Soffia souberam educar e cultivar o amor à origem negra
Mãos ao alto
Jovens da periferia denunciam abuso na abordagem policial
As bases da fé
Método de evangelização pretende atingir principalmente quem está afastado da fé
Um livro tão antigo e tão novo
Mesmo sendo escrita há milhares de anos, a Bíblia ainda tem espaço no meio da juventude
Música e fé!
É quase impossível falar de espiritualidade da juventude sem falar de música cristã
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados