Sopas frias

Data de publicação: 13/03/2015

O Brasil em janeiro tem gosto de férias, praia, calor, e para darem mais sabor a essa alegria, as sopas frias são opções práticas e saudáveis que combinam com nosso país tropical

Nathan Xavier

Pouco consumida no Brasil, a sopa tem enorme importância na alimentação de outros países, sobretudo na Europa. Em Portugal, quase sempre as pessoas, ao referirem-se ao almoço ou jantar, falam da sopa e “o resto”, dando um caráter de prato principal à iguaria líquida. No país europeu, a sopa é também presença diária e obrigatória nas escolas infantis. Ela fornece porções consideráveis de fibras, vitaminas, proteínas, e é de fácil digestão e baixo valor calórico. Para crianças, é uma ótima forma de fazer com que consumam legumes e verduras de um jeito gostoso e prático. Para bebês e pessoas com problemas de mastigação, a sopa pode fornecer a quantidade correta de nutrientes e o consumo de carnes, por exemplo. A maior parte das sopas é fácil de fazer e de baixo custo. Os nutricionistas explicam ainda que, por conter muita água, o prato é um poderoso aliado para quem quer manter ou perder peso, ajuda a regular o intestino e o apetite, e recomendam o consumo diário.
Alguns historiadores colocam a sopa como um prato muito antigo, até mesmo antes de alimentos assados. Registros arqueológicos apontam que vegetais e pedaços de carne eram triturados com água para serem consumidos, e há vestígios em civilizações antigas, da Turquia e Américas. Desde aquela época até hoje, existem diversas formas de se fazer sopa. A base é feita, claro, de água, mas também costuma envolver um ingrediente principal sólido que se dissolve ou é batido com ela, que pode ser batata, feijão, mandioca, outras leguminosas ou mesmo pão. Feita essa “base”, fica a critério do chef acrescentar outros ingredientes como carnes cozidas; hortaliças diversas, como cenoura, tomate, abóbora, agrião; temperos, como alho, cebola, pimentas; entre outros. Tudo isso pode ser cozido junto, acrescentado aos poucos e, ainda, batido no liquidificador ou processador para restar um prato totalmente líquido ou servido com pequenos pedaços dos alimentos. Há quem goste de acrescentar ainda arroz ou alguma massa. Difícil encontrar um prato mais diversificado que esse.
É importante ressaltar que os nutricionistas não recomendam o consumo de preparados prontos de sopa, que são vendidos nos mercados em saquinhos, bastando misturar com água quente. Esse tipo de alimento industrial, apesar de prático, não possui valor nutricional significativo, além de conter muita gordura e muito sódio, ambos maléficos para o organismo se consumidos em excesso.

Vai bem no calor − Geralmente associadas a clima frio, no Brasil elas fazem sucesso no inverno nos festivais de sopas promovidos por diversas padarias da Região Sudeste, principalmente Rio de Janeiro e São Paulo. A capital paulista abriga um dos maiores: o Festival de Sopas do Ceagesp. Sucesso de público, é realizado normalmente entre os meses de maio e agosto e, por um valor fixo, o visitante consome diversas à vontade, sopas, que são trocadas semanalmente. Lá é possível experimentar a tradicional e famosa Sopa de Cebola, mas também sopas de frutos do mar, abóbora com carne-seca, alho-poró com fondue de queijo, sopa de rabada, caldo verde e até sopa de chocolate com frutas!
No entanto, apesar do senso comum associar sopa a dias frios, um dado do Kantar Worldpanel, multinacional líder em monitoramento de consumidores, aponta que as regiões Norte e Nordeste do Brasil são as campeãs no consumo de sopas, concentrando 28% do volume consumido! Esse dado mostra que calor não é empecilho para tomá-las, mas, de fato, tal consumo costuma se restringir ao período noturno, antes das pessoas dormirem. Então, que tal uma sopa no café da manhã? Não só no café da manhã, mas num dia quente, na praia, antes do almoço, por exemplo? Esses podem ser momentos ideais para consumir as sopas frias. Praticamente desconhecidas no Brasil, são tradicionais, principalmente, na Espanha, com o famoso gaspacho.
Gaspacho, também grafado como caspacho é uma sopa fria à base de hortaliças, com destaque para o tomate, o pepino e o pimentão, muito popular no sul de Portugal e no sul da Espanha. Produzida e consumida no verão, essa sopa permite o uso de diversos ingredientes criando variações que vão desde receitas picantes até algumas mais suaves. Na Espanha, onde é mais conhecida, todos os ingredientes, são triturados, resultando num caldo de cor vermelho intenso e líquido, podendo ser consumido sozinho ou com pequenos pedaços de pão.
Outra sopa fria de origem espanhola é a ajoblanco. Com uma consistência mais cremosa, leva pão triturado, amêndoa moída, alho, água, azeite, sal e, por vezes, vinagre. Pode ser acompanhada de uvas ou pedaços de melão.
Nutritivas, saudáveis e excelentes para o verão, as sopas frias agregam mais sabor e praticidade para as férias. Confira nas páginas 86 receitas deliciosas selecionadas e testadas por nossa Redação




Fonte: FC ediçao 949-JAN 2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Doenças autoimunes
Quando nosso sistema imunológico se desequilibra, entram em cena as doenças autoimunes
Você cuida bem da sua audição?
A saúde da nossa audição é também questão de bem-estar
Sinusite ou rinite?
Tanto a sinusite como a rinite são inflamações que afetam as mesmas regiões do corpo.
SAÚDE
A biotecnologia é uma ferramenta e, como tal, deve ser cuidadosamente examinada.
Curar com as mãos
Levar em consideração o corpo inteiro e tratar diretamente a causa do problema são as principais
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados