Evangelho na comunidade

Data de publicação: 02/10/2015

Ano B – 4 de outubro de de 2015 - 27º. Domingo do Tempo Comum    

Gn 2,18-24 – É osso dos meus ossos e carne de minha carne
Sl 127 (128) – O Senhor abençoe o teu lar
Hb 2,9-11 – Todos procedem de um só
Mc 10,2-16 – Abraçava as crianças, as abençoava

"Os dois se tornaram uma só pessoa" (Gn 2,24)

Reflexão Cônego Celso Pedro da Silva
Arte Sergio Ricciuto Conte

Mês de outubro, mês das Missões. Leremos neste mês o capítulo décimo do Evangelho de São Marcos à luz do tema do mês missionário “Missão é servir”. A Igreja de Jesus está colocada no coração do mundo para prestar serviço a todas as pessoas. O capítulo décimo de Marcos nos orienta para tipos bem concretos de serviço. Há muitos a serem desenvolvidos, programados e espontâneos. O importante é ter consciência de que não somos uma comunidade de privilegiados e sim de responsáveis. Somos pessoas que procuram dar respostas às interrogações do mundo e às suas necessidades. A grande interrogação é sobre a vida eterna, que é também uma necessidade. Qual é o nosso destino, para onde nos encaminhamos, o que fazer para alcançar a felicidade perfeita depois da morte temporária?
O Evangelho de hoje nos fala da relação “homem, mulher e crianças” antes da constituição da família e na família. Como criaturas de Deus e filhos do mesmo Pai temos todos a mesma dignidade e, neste sentido, somos todos iguais. Esta passagem do Evangelho é continuação da discussão sobre quem é o maior. “Se alguém quiser ser o primeiro, seja o último e aquele que serve a todos”, ensina Jesus. Aqui está o tema da Campanha Missionária: aquele que serve a todos. Este é o nosso ideal e a nossa ambição. Não há maior nem primeiro entre nós. Há servidores. Entre nós, superiores são os primeiros servidores, os melhores e os que dão exemplo. Assim também, não há primeiro nem maior entre homens, mulheres e crianças. Imediatamente depois da discussão sobre quem é o maior, Jesus tomou uma criança e mostrou a todos o valor que ela tem, e o texto de hoje termina novamente com as crianças colocadas em destaque por Jesus.
No matrimônio entre os judeus, o homem podia separar-se de sua mulher e mandá-la embora. A mulher não podia fazer isso porque seu lugar social era inferior ao do homem. Note que, ao dizer que o homem que se separa e se casa com outra comete adultério contra a primeira esposa, Jesus diz que também a mulher comete adultério se repudiar o seu marido. Ora, como isso nunca acontecia, de a mulher repudiar o marido, Jesus está pondo os dois em pé de igualdade. A mulher e o homem têm os mesmos direitos e os mesmos deveres, cada um naquilo que lhe é próprio. São Paulo dirá na primeira aos coríntios (11,12) que, se a mulher foi tirada do homem, o homem nasce da mulher e tudo vem de Deus. E em seus litígios, não se esqueçam os pais das necessidades das crianças.
Eis um serviço missionário: respeitadas as diferenças, mostrar e defender a dignidade de cada pessoa para que ninguém viva numa sociedade de dominações. Jesus, o santificador, nos chama a todos de irmãos, situação que ele conquistou com o sofrimento. Não é, pois, sem sofrimento que aprendemos a nos respeitar, a dialogar, a construir um bom relacionamento. Se eu me ponho como superior e como quem sempre tem razão, não há entendimento possível. Pense que os outros também podem ter razão e que são tão capazes ou tão limitados quanto você mesmo.
Neste mês, o Sínodo dos Bispos tratará de assuntos relativos à família. Eis mais um serviço da Igreja em favor da humanidade. Defendamos a família e acolhamos o que for diferente para que ninguém se machuque.


Leituras e Salmos (5 a 10 de outubro)
2ª.f.: Jn 1,1-2,1.11; Ct 2,2-5.8; Lc 10,25-37.
3ª.f.: Jn 3,1-10; Sl 129 (130); Lc 10,38-42.
4ª.f.: Lc 1,26-55; Lc 1,26-38.
5ª.f.: Ml 3,13-20a; Sl 39 (40); Lc 11,5-13.
6ª.f.: Jl 1,13-15;2,1-2; Sl 9A (9); Lc 11,15-26.
Sáb.: Jl 4,12-21; Sl 96 (97); Lc 11,27-28.




Fonte: Família Cristã setembro de 2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Liturgia da Palavra
25 de novembro de 2018 - 34º Domingo do Tempo Comum - Ano B - Liturgia da Palavra
Liturgia da Palavra
18 de novembro de 2018 - 33º Domingo do Tempo Comum - Ano B - Liturgia da Palavra
Matrimônio e sua dimensão
Só quem ama de verdade compartilha com o outro seus sonhos e se sente envolvido pelos apelos
Possibilidades e desafios
É um desafio resgatar o protagonismo dos cristãos leigos e leigas numa Igreja paroquial concentrada
Liturgia da Palavra
11 de novembro de 2018 - 32º Domingo do Tempo Comum - Ano B - Liturgia da palavra
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados