Liturgia da Palavra

Data de publicação: 16/12/2015

Ano C – 20 de dezembro de 2015 - 4º Domingo do Advento
Mq 5,1-4a − Ele próprio será a paz.
Sl 79 (80) – Deus, faze brilhar o teu rosto.
Hb 10,5-10 – Vim para fazer a tua vontade.
Lc 1,39-45 –
Bendita és tu entre as mulheres.

“Feliz aquela que acreditou, pois o que foi dito por parte do Senhor será cumprido”(Lc 1,45)

Reflexão: Cônego Celso Pedro da Silva
Arte: Sergio Ricciuto Conte

Maria, grávida de seu Filho Jesus, vai às pressas até Ein Karem, nas montanhas de Judá, ao lado de Jerusalém, para estar com sua prima Isabel, também ela grávida de seu filho João, que será chamado de Batista. Isabel e Zacarias eram idosos, por isso Maria se apressa em ir ter com eles para servir-lhes de ajuda no que precisassem. É claro que ela viajou com José, que não é mencionado, mas se supõe. Há uma grande alegria nessa visita. O ambiente se torna cheio do Espírito Santo.
Isabel fica cheia do Espírito Santo, e o menino pula no seu ventre. Isabel e seu filho estão diante de Maria que traz em si o Menino Jesus. Isabel está diante da Arca da Aliança, por isso exclama: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. (...) Bem-aventurada a que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. Isabel reconhece em Maria, a Mãe do seu Senhor. Bem antes do Concílio de Éfeso e de São Cirilo de Alexandria, Maria é proclamada por Isabel, nas Escrituras Sagradas, Mãe do Senhor. Por que saltou João Batista no ventre de sua mãe? Sem dúvida alguma, por se encontrar diante de Jesus que estava em gestação no seio de Maria. Não há como não venerar Maria por Deus tê-la escolhido para Mãe de seu Filho, o Verbo encarnado.
 Os bispos da Igreja, reunidos em Concílio no século 5º, deram a Maria o título de Mãe de Deus e para a profissão de fé comum foi elaborada uma fórmula de união na qual se professava crer em Nosso Senhor Jesus, Cristo, Filho unigênito de Deus, perfeito Deus e perfeito homem, com alma racional e corpo, gerado desde sempre pelo Pai, segundo a divindade; o mesmo em nosso tempo, nascido da Virgem Maria, segundo a humanidade, por nós e por nossa salvação; da mesma substância do Pai quanto à divindade e conosco segundo a humanidade. Porque as duas naturezas se uniram numa só pessoa, professaram a fé  num só Senhor e num só Cristo. Por causa dessa inconfundível união, confessaram também que a Virgem santa é a Mãe de Deus, porque o Verbo de Deus se fez carne e se fez homem nela, desde sua própria concepção.
O profeta Miquéias vê a parturiente que dá à luz como um sinal na história do povo eleito. Depois que uma mãe der à luz, o povo se reunirá, não estará mais abandonado, viverá em paz, porque aquele que foi dado à luz é a própria paz. Isso tudo acontece em Belém de onde sairá de Maria aquele que tem suas origens em tempos remotos. Do corpo de Maria, o Pai deu ao Verbo eterno um corpo humano, substituindo todas as vítimas e sacrifícios oferecidos até então. Aos seres humanos é dado alguém, também humano, um novo Adão, que veio para fazer a vontade do Pai. Dele, Maria é Mãe. Mãe de Cristo, Mãe de Deus, Mãe do Verbo encarnado, sempre Mãe.
Nós, no dia de hoje, vivemos a alegria da casa de Isabel e Zacarias, pulamos com o Batista, cantamos com Maria, contemplamos tudo em silêncio com José. É um momento em que não precisamos fazer propósitos nem tirar conclusões práticas. Não precisamos fazer nada. Basta entrar no ócio da contemplação e participar da alegria da presença de Jesus em Maria. Podemos rezar o terço nos mistérios gozosos e repetir com o Anjo: “Ave, cheia de graça”. E com Isabel: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre”.

Leituras e Salmos (21 a 26 de dezembro)
2ªf.: Ct 2,8-14 ou Sf 3,14-18a; Sl 32 (33); Lc 1,39-45.
3ªf.: 1Sm 1,24-28; Cânt.: 1Sm 2,1.4-8; Lc 1,46-56.
4ªf.: Ml 3,1-4.23-24; Sl 24 (25); Lc 1,57-66.
5ªf.: 2Sm 7,1-5.8b-12.14a.16; Sl 88 (89); Lc 1,67-79.
6ªf.: Is 52,7-10; Sl 97 (98); Hb 1,1-6; Jo 1,1-18.
Sáb.: At 6,8-10; 7,54-59; Sl 30 (31); Mt 10,17-22.




Fonte: Edição 959,novembro de 2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

A presença nas redes
O isolamento social proporcionou maior interatividade no ambiente digital
Uma vida nova em Cristo
O Círio Pascal recorda que Cristo é a luz do mundo
Evangelização, sim!
Para Francisco, a evangelização não pode confundir-se com o clericalismo nem com o proselitismo.
O Anjo Bom do Brasil
Irmã Dulce,a religiosa que conquistou o coração do povo brasileiro será canonizada.
Mesa da Palavra
13º. Domingo do Tempo Comum - Ano C • 30 de junho de 2019 - Solenidade de São Pedro e São Paulo
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados