De Calcutá para o mundo

Data de publicação: 23/11/2016

 

Teresa de Calcutá amou de fato, com obras e não por meio de discursos, foi ao encontro das pessoas, inclinando-se para acolher e resgatar a dignidade da pessoa caída


 

Por: Roseane Welter

Personalidade marcante do século 20, Santa Teresa de Calcutá, canonizada pelo papa Francisco, no dia 4 de setembro, cativa a todos, crianças, jovens e adultos pelo seu testemunho de fé e vida doada aos pobres e marginalizados da sociedade do seu e do nosso tempo. Madre Teresa, movida pela fé, se aproximava das pessoas sem medo, impulsionada pela coragem e pelo exemplo de Cristo. Uma mulher fascinante, mostrando com a vida que o amor é capaz de mover os ventos da solidariedade, da justiça e da dignidade. No seu rosto enrugado, no olhar profundo e fixo, em seu sorriso, veem-se as marcas de uma mulher extremamente simples, humilde e de profunda intimidade com Deus. O legado dessa religiosa irradia para o mundo seu jeito de ser e viver contemplativo na realidade cotidiana.  

Pobre junto aos pobres – Agnes Bojaxhiu nasceu em Skopje, hoje capital da Macedônia, em 26 de agosto de 1910. Ainda jovem, teve contato na Índia com os padres jesuítas missionários, que contavam como era a missão naquele país. Daí brota seu desejo de ser missionária na região. Aos 18 anos, Agnes sentiu o desejo de consagrar sua vida a Deus: “Foi aos pés de Nossa Senhora que ouvi pela primeira vez o chamado divino, que me convenceu de que eu tinha de servir a Deus e me colocar inteiramente a seu serviço”. Consagra-se como religiosa na congregação das Irmãs de Nossa Senhora de Loreto, partindo assim, em 1929, para a Índia, como missionária. Na congregação, após emitir os votos religiosos, Agnes passa a ser chamada de Teresa, uma homenagem a Santa Teresa de Lisieux. Em seguida, Irmã Teresa é transferida para Calcutá, onde por 15 anos se dedicou ao ensino como professora. Viveu nessa cidade anos de alegria e dedicação total à missão recebida, porém sentia em seu coração o anseio de estar junto aos pobres. Em 1946, por ocasião de um retiro espiritual, Irmã Teresa vai à Índia, onde vê mais de perto a realidade de pobreza. O apelo de doar-se em favor dos pobres era algo já emergente em seu coração e, ao deparar-se com pessoas, dentre elas crianças em situação de extrema pobreza, fome, doenças, implorando ajuda, tomou a firme decisão de se dedicar aos pobres. Consegue em 1948 a licença para deixar as Irmãs de Loreto. Mantendo sua condição de religiosa, muda-se para Calcutá, onde se empenha exclusivamente à sua nova missão, ajudando os mais necessitados naquilo que estava ao seu alcance. Dedicada aos pobres, vivia também sua vida de forma pobre, somente com o básico para sobreviver, mas tinha a graça de Deus e a certeza de que ele a chamava; na Eucaristia buscava as forças para manter-se fiel. Sua missão continua viva ainda hoje através da ação das Missionárias da Caridade, congregação que ela fundou com a intenção de se dedicar integralmente aos mais necessitados e excluídos no mundo.

Reconhecimento – Santa Teresa de Calcutá é mundialmente conhecida por sua vida de serviço aos pobres. Dentre os vários prêmios recebidos, destaca-se o de Nobel da Paz em 1979. Tudo o que ela recebia era direcionado aos beneficiados da sua obra: os pobres. Cabe ressaltar que ela veio ao Brasil em duas ocasiões, a primeira em 1979, a Salvador (BA), onde fundou a primeira comunidade das Missionárias da Caridade em terras brasileiras. Retornou em 1982, para o Rio de Janeiro (RJ), com o mesmo objetivo da sua primeira vinda.

 Madre Teresa já em vida era reconhecida pelo povo como santa. Porém, para ser canonizada a Igreja pede a comprovação de dois milagres, após a morte.  O primeiro milagre comprovado e reconhecido pelo Vaticano, em 2002, foi em Bangladesh.  Uma mulher, no vigor de seus 30 anos, sofria de um tumor no abdome; desenganada pelos médicos, pede em oração a intercessão de Madre Teresa e obtém a cura. No segundo milagre, em 2008, o brasileiro Marcílio Haddad Andrino, de 35 anos, sofria de múltiplos abcessos no cérebro e um quadro de hidrocefalia obstrutiva. Era um caso clínico considerado crítico e sem resultados de melhora. A família começa então a rezar pedindo a intercessão de Madre Teresa. E milagrosamente o homem recuperou sua saúde sem qualquer possibilidade de explicação médica. Dentre esses milagres reconhecidos, há outros que são relatados por fiéis que a ela atribuem graças recebidas, o que a faz ser considera também como a santa de todos.

Exemplo a ser seguido – Em sua homilia, no dia 4 de setembro, na Praça São Pedro, no Vaticano, papa Francisco, declara: “Madre Teresa, ao longo de toda a sua existência, foi uma dispensadora generosa da misericórdia divina, fazendo-se disponível a todos, através do acolhimento e da defesa da vida humana”. Diante de uma multidão de aproximadamente 120 mil pessoas que acompanhavam a missa da canonização, o papa, enfatiza que o exemplo de fé e humildade dessa mulher continua válido ainda hoje. “A sua missão nas periferias das cidades e nas periferias existenciais permanece nos nossos dias como um testemunho eloquente da proximidade de Deus junto dos mais pobres entre os pobres.” Irmã Isaac, da Congregação Missionárias da Caridade, que mora em São Paulo (SP), destaca que a canonização é um momento de “ação de graças à mãe Igreja pelo reconhecimento de Madre Teresa como a Mãe da Caridade, o que evidencia ao mundo a importância de em meio ao contexto em que vivemos nos voltarmos o olhar aos mais pobres e necessitados”. Dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, diz que “Teresa de Calcutá amou de fato, com obras e não por meio de discursos, foi ao encontro das pessoas, inclinando-se para acolher e resgatar a dignidade da pessoa caída”.

A vida de muitas pessoas é transformada através do testemunho de vida e doação de Santa Teresa de Calcutá, que se dedicou integralmente ao serviço ao Reino junto aos pobres. Bruna Marina, que ainda este ano consagra sua vida na Comunidade Aliança de Misericórdia, se emociona ao falar de madre Teresa: “Ela é minha madrinha de vocação; a exemplo dela me consagro para irradiar luz na vida das pessoas mais necessitadas; o testemunho dela ilumina meus passos, pois, ela ia aonde ia ninguém queria ir, ela ia com a missão de levar Jesus e resgatar a dignidade humana das pessoas em situação de extrema pobreza e risco”, afirma a jovem.

 




Box: Dica de Leitura – Madre Teresa – Uma Vida Maravilhosa

                                         Autor: Leo Maasburg – Paulinas Editora

                                         Número de páginas: 232

                                         Código: 52787-4

 






Fonte: FC ediçao 970-OUTUBRO 2016
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

A presença nas redes
O isolamento social proporcionou maior interatividade no ambiente digital
Uma vida nova em Cristo
O Círio Pascal recorda que Cristo é a luz do mundo
Evangelização, sim!
Para Francisco, a evangelização não pode confundir-se com o clericalismo nem com o proselitismo.
O Anjo Bom do Brasil
Irmã Dulce,a religiosa que conquistou o coração do povo brasileiro será canonizada.
Mesa da Palavra
13º. Domingo do Tempo Comum - Ano C • 30 de junho de 2019 - Solenidade de São Pedro e São Paulo
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados