O artista e a sua arte

Data de publicação: 20/12/2016


“A Arte tem a ver com festa; ela é muito mais do que uma mera mercadoria... A Arte é a continuidade da palavra; da palavra que é celebrada, da palavra que age.”
C. Pastro

                              
Por: Roseane Welter

A arte, com sua beleza, atrai o ser humano e o transporta ao mundo da imaginação, da contemplação, da transformação. Imersos na beleza que nos encanta, somos rodeados de ambientes que proporcionam um mergulho em nosso próprio eu, em Deus, na história. Espalhados pelo Brasil e pelo mundo há muitos artistas que com sua arte ressignificam o olhar do ser humano sobre a fé, a vida, o mundo... No último dia 19 de outubro o Brasil perdeu um de seus maiores representantes da arte sacra, Cláudio Pastro (1948-2016), que foi ao encontro do Artista Maior: Deus. Deixa para a Igreja um legado expressivo de obras em vários países, bem como Vaticano, Alemanha, França, Espanha. No Brasil suas obras estão presentes em várias igrejas, capelas, catedrais, mosteiros.
Cláudio Pastro nasceu em São Paulo (SP) no dia 16 de outubro de 1948. Desde pequeno, ainda aos cinco anos, pegava com sua mãe os papéis do pão para pintar. Em 1972, formou-se em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), cursou teoria e técnicas de arte na Abbaye Notre Dame, de Tournay (França), no Museu de Arte Sacra da Catalunha (Espanha), na Academia de Belas Artes Lorenzo de Viterbo (Itália), na Abadia Beneditina de Tepeyac (México) e no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Desde 1975 dedicou-se à arte sacra, assinando vários projetos arquitetônicos, pinturas, vitrais, azulejos, altares, peças litúrgicas e livros de sua autoria.
As suas primeiras obras estão localizadas na capela do Mosteiro Nossa Senhora da Paz, em São Paulo (SP). Em seguida as criações para o Colégio Santo Américo e aos poucos foi se tornando conhecido. Em 2007, recebeu, por sua relevante contribuição à arte sacra, o título de Doutor Honoris Causa pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Em 2013, criou as peças litúrgicas usadas pelo papa Francisco nas missas celebradas em Aparecida (SP) e no Rio de Janeiro (RJ), em sua vinda ao Brasil por conta da Jornada Mundial da Juventude.

O artista de Aparecida – O Santuário Nacional de Aparecida encanta a todos com as belas obras de arte espalhadas por todo o local. A imagem, a arte e a Palavra revelam o mistério do projeto de Deus para a humanidade. Em cada traço se percebe a delicadeza e a profundidade de Pastro conduzindo a uma experiência profunda e pessoal com o Senhor.  Desde 1999, Cláudio Pastro está à frente da criação dos painéis e vitrais da Casa da Mãe Aparecida. É autor do nicho que abriga a imagem da Senhora, da cúpula central, que se encontra em fase de finalização e idealizou a medalha dos 300 anos, cujas celebrações tiveram início no dia 12 de outubro e se estenderão até outubro de 2017. “Eu fico muito feliz pelo privilégio de ter sido escolhido e por ouvir que as pessoas mais simples e as mais sofisticadas têm o mesmo sentimento: ao entrar na Basílica não querem sair”, afirmou o próprio Pastro.



A beleza de sua arte –
Na maior capital do Brasil, São Paulo, sirene de ambulância, buzinas, pessoas apressadas são barulhos externos aos quais, de certa forma, o povo paulistano está habituado ao longo da jornada. Porém, ao entrar na capela Jesus Mestre, das Irmãs Paulinas, o barulho se torna ‘insignificante’ diante da beleza que os olhos contemplam na obra do renomado artista. Traços bem definidos, cores e imagens vivas, a centralidade na pessoa de Jesus Ressuscitado, na evidência o carisma das Irmãs Paulinas e tantos detalhes que convidam ao silêncio e à oração. Por meio da linguagem artística, a capela remete à tradição milenar da Igreja, apresentando de modo admirável a total comunicação de Deus aos homens no Filho Jesus.
Uma das marcas acentuadas na capela são as principais passagens da vida e missão do apóstolo Paulo, um dos pilares do carisma da Família Paulinas, criadas e pintadas pelo próprio Cláudio Pastro. São imagens fortes e ao mesmo tempo suaves, irradiando toda a força e ternura do apóstolo.
A simplicidade desse artista marca todos os que conhecem a sua obra, que impressiona pelo seu traço simples, leve e insubstituível. Deixa a certeza de que sua missão aqui na Terra foi cumprida com esmero e com certeza continuará pintando e desenhando lá no céu. “Arte sacra foi o seu foco, imagens invisíveis, foram o seu objetivo. Cláudio Pastro descobriu que deixar a arquitetura mais humana levaria o humano até o maior artista do Universo!”, destaca a artista plástica e irmã Natividade Pereira, fsp, que conheceu Pastro e seu trabalho. “Seus projetos de ambientação, seus painéis de arte sacra nas igrejas, catedrais, suas pinturas em vitrais, azulejos, suas letras e riscos transformados em palavras, continuarão falando por ele.”




Fonte: FC ediçao 971-NOVEMBRO 2016
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

RELIGIÃO
Em seu artigo, o Pe. Zezinho, scj fala sobre a nova "teologia do resultado".
Mesa da Palavra
Iniciamos o Tempo Comum da liturgia da Igreja celebrando o casamento de Deus com a humanidade.
Liturgia da Palavra
Jesus, sendo Deus, poderia se encarnar da maneira que quisesse, mas escolheu ser em tudo semelhante
Liturgia da Palavra
23 de dezembro de 2018 - 4º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
Liturgia da Palavra
9 de dezembro de 2018 - 2º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados