A Hora e a vez da Berinjela

Data de publicação: 10/04/2017

Por Silvia Torreglossa


A berinjela faz parte do cardápio dos brasileiros e tem várias propriedades nutricionais que incentivam cada vez mais o seu consumo


Hoje tem berinjela? Tem sim senhor! Este vegetal da família botânica das solanáceas, fruto da planta cientificamente chamada Solanum melongena, é tão comum na alimentação dos brasileiros que muita gente atribui à cor roxa ao nome do fruto, embora a berinjela também possa ser encontrada, em menor proporção, com a casca nas cores branca ou vermelha escura.
O fruto é originário da Índia e pertence à família do pimentão, a princípio ficou conhecida como planta ornamental e há mais de 2.500 anos que é consumida. Da Índia foi para a China, existe um tratado chinês de cerca de 500 a.C. que menciona o uso do alimento. Chegou à Europa no século XIII trazido pelos árabes.
Mas, será que este alimento foi sempre tão apreciado assim? Não, ao ser introduzido no Ocidente não tinha uma boa fama, tanto é que em italiano chama-se melanzane que significa “maçã não saudável”, existe até uma lenda italiana antiga que dizia que ao comer berinjela a pessoa poderia ficar louca.
Do babaganuche árabe à moussaka grega, passando pelo ratatouille francês e a caponata italiana, receitas a base de berinjela são conhecidas e apreciadas no mundo todo.
No Brasil, esta iguaria chegou trazida pelos portugueses no século XVI e, no final do século XX ganhou a chancela de planta que cura.

Características nutricionais – Rica em proteínas, nas vitaminas A, B1, B2, B6, niacina e C, minerais como, por exemplo, potássio, fósforo, magnésio, ferro, zinco e cálcio e alcaloides, que auxiliam na diminuição da pressão sanguínea. É nutritiva, digestiva e laxante, indicada em casos de desnutrição, indigestão e prisão de ventre.
A nutricionista Jacqueline Moniz Anversa, membro da equipe Hevoise F Papini Nutrição e Educação, diz que esta solanácea é tão associada às dietas de emagrecimento porque contém alto teor de fibras, “que prolonga a sensação de saciedade e mantém a glicemia (nível de açúcar no sangue) mais estável, evitando picos”.
Ela diz ainda que o consumo regular deste alimento está associado à diminuição dos níveis elevados de colesterol e triglicerídeos, “devido a uma substância presente na casca da berinjela, chamada antocianina, que confere sua cor característica”. A antocianina também é encontrada em uvas roxas, amoras, jabuticabas, casca de batata doce, cebola roxa, repolho roxo, vinho. Dessa forma, a berinjela contribui para a prevenção de doenças cardiovasculares, além de possuir efeitos diurético, anti-inflamatório e antioxidante, diminuindo a incidência de doenças degenerativas e cataratas no globo ocular de indivíduos diabéticos.
A nutricionista explica que os estudos conclusivos sobre os efeitos do alimento foram realizados em animais e indicaram significativa redução do colesterol total ou do LDL, “porém, em humanos, os benefícios ainda não foram comprovados”, diz.

De olho na berinjela – As melhores são as de estrutura firme e casca escura e brilhante, as opacas e amolecidas já estão perderam um pouco as propriedades nutricionais e podem não ser tão saborosas. Deve ser guardada inteira em local fresco, se for em geladeira deve estar em saco plástico com alguns furos, isso evita que a solanácea fique enrugada.
Jacqueline adverte que não se deve consumir berinjela crua, pois contém solanina, que é uma substância que pode acarretar problemas gastrointestinais, como diarreia, vômitos e desconforto gástrico. “A recomendação é consumir o alimento com a casca, cozido, assado ou aferventado”, explica.
No preparo, para evitar que escureça, o ideal é cortar o fruto com faca inoxidável e deixar de molho em água e vinagre até o momento de usá-lo na receita. Mesmo com o cozimento, lembra a nutricionista, a berinjela perde uma porcentagem de suas vitaminas e minerais. “Cozinhar em altas temperaturas pode causar a perda de até 50% da vitamina C e 25% da B, o preparo em micro-ondas faz com que as antocianinas percam suas propriedades”, adverte. Por isso, deve-se evitar fritar, pois aumenta cerca de 200 calorias, já que a berinjela absorve muita gordura.
Consumir berinjela dentro de uma rotina saudável é benéfico para a saúde, além de ser saborosa contém apenas 19 calorias em 100 gramas.




Fonte: FC edição 939 - Março 2014
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

A igreja em foco
Depois de 2 mil anos, o Concílio Vaticano II colocava a Igreja diante do espelho
Evangelho na comunidade
Maria escutava a palavra de Jesus – O evangelista destaca a atitude de Maria
Evangelho na comunidade
No mundo de hoje não falta ocasião para os cristãos imitarem o bom samaritano
Formação litúrgica
Quando se fala em sacramento, se pensa nos sete Sacramentos da Igreja
Evangelho na comunidade
A partir do batismo os Anjos levaram seu nome para o céu e o escreveram no Livro da Vida
Início Anterior 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados