Modelo de discipulado

Data de publicação: 12/05/2017

Por Padre Reginaldo Carreira

Maria manteve-se fiel ao obedecer seu Filho na cruz e assumir a humanidade com sua maternidade sagrada


Temos em Maria o verdadeiro modelo de discipulado: mulher de fé que segue sempre aprendendo, é capaz de ouvir, silenciar e guardar em seu coração os acontecimentos. E ainda assumi-los e integrá-los à sua vida com força suficiente para seguir seu Filho até o calvário e ficar em pé diante dele, crucificado.
Maria manteve-se fiel em todos os sentidos da palavra. Fiel ao seu sim pessoal e fundamental para a história da salvação, dito ao anjo com a simplicidade de uma menina e com a convicção de uma mulher de fé! Manteve-se fiel assumindo até mesmo a espada que lhe transpassaria o coração, ao ver seu filho ferido, chagado e prostrado ante o peso da cruz. Manteve-se fiel nas reuniões em comum, na fração do pão e na vida comunitária com os apóstolos reunidos no cenáculo antes e depois de Pentecostes. Manteve-se fiel ao obedecer seu Filho na cruz e assumir a humanidade com sua maternidade sagrada. Foi fiel no amor, na alegria e na dor!
O verdadeiro discípulo, como Maria, mantém seu sim em todas as circunstâncias. O discípulo fiel sabe qual é a vitória que conquista o mundo. Consegue ver além da cruz, das aparências, da dor e do horizonte. Só o verdadeiro discípulo pode transcender! E transcendendo, pode confiar e amar como seu mestre amou! Assim fez Maria aos pés da cruz e ao lado da Igreja nascente. Assim faz Maria exercendo sua maternidade sagrada na vida da Igreja atuante no mundo de hoje!
Precisamos de discípulos marianos de fato! Precisamos de discípulos que, a exemplo de Maria, amem a Igreja e a Jesus até a cruz. Precisamos de discípulos que sigam o Mestre como Maria, despreocupados consigo mesmos e mais preocupados com o Mestre e os seus futuros discípulos.

Comunidades novas – A Igreja peregrina neste mundo e continua sentindo o cuidado materno e terno de Nossa Senhora. A Igreja peregrina neste mundo e precisa de muitos marianos e marianas para cuidar de Jesus menino e de Jesus sofredor, para cuidar da acolhida e do aconchego da casa da vida cristã, a comunidade cristã presente em cada paróquia onde esta mesma Igreja se faz presente. Em todos os tempos na Igreja, o Espírito Santo suscita carismas inspirados no amor e na devoção da Mãe de Jesus – como temos o belo exemplo daqueles que foram congregados marianos e daquelas que dizem com orgulho terem sido filhas de Maria. E hoje não é diferente!
A família cristã continua olhando para Maria como exemplo de mulher, mãe e esposa. A juventude cristã continua olhando para Maria como exemplo de santidade e alegria. Temos, por graça de Deus, o melhor modelo de discipulado: Maria, a mãe de Jesus e nossa mãe!
Que neste mês de maio o exemplo de Maria possa nos tocar mais profundamente e suscite novos grupos e comunidades inspirados em seu modo de vida. Sejam esses os marianos e marianas ou os consagrados e consagradas a Nossa Senhora, para amar melhor a Jesus neste tempo de mudanças.






Fonte: FC edição 953 - Maio 2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Um centro de conversão pastora
Trata-se de uma conversão pessoal e comunitária.
O temor de Deus
"Quando encontrei Deus, vi imediatamente que não poderia viver senão para Ele”.
Sintonia e sincronia
O Mistério Pascal não é somente “visto” ou “contemplado”, mas sobretudo “vivido".
Um convite
“O homem todo em Cristo, com pleno amor a Deus: mente, vontade, coração, forças físicas.
Liturgia da Palavra
17 de Setembro de 2017 - 24º Domingo do Tempo Comum, Ano A, Reflexão da Liturgia.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados