Deus é confiável

Data de publicação: 20/07/2017

Por Padre Zezinho, SCJ

Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis,
antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar


Deus é confiável e verdadeiro, não se contradiz. Nós é que muitas vezes não temos capacidade de falar sobre isso. Mas, se existe alguém em quem devemos confiar, porque Ele não mente e não engana, este alguém é Deus. Reflitamos sobre isso.
O Deus que não se contradiz é o Deus misericordioso. Pai, criador eterno, segundo o conceito que Jesus nos dá sobre ele, ele é um Deus que se importa com suas criaturas. É um Deus que ama e não engana. É o que diz a Bíblia, desde o Antigo Testamento, dos profetas aos salmos, aos provérbios e aos apóstolos. Deus é fiel, dizem muitas igrejas.
Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar. (1 Coríntios 10,13).
Quando Ele falou, está falado, não precisa falar duas vezes. Ele não pede desculpas pelo que disse. Quando Deus diz, Ele quis dizer aquilo mesmo. É verdadeiro, e é por isso que todas as religiões proclamam a veracidade de Deus. Jesus propõe aos discípulos que vivam essa veracidade entre si “Seja o vosso falar, sim, sim, não, não e o que não for fruto disso, é fruto da malignidade” -  disse Jesus a seus discípulos.
 
Autenticidade Nós também devemos ser positivos; devemos dizer e estar dito; não deveríamos ficar trocando de conceitos e dizendo: “não foi isso que eu quis dizer” – “juro que eu não quis dizer aquilo”.
Devemos ser tão positivos e tão claros a ponto de pensar antes de dizer. É a doutrina de Jesus. Tudo isso nasce da confiabilidade e da veracidade de Deus. 
Ele é verdadeiro, não há contradição. Não mentiria. Por isso, todas as vezes que falarmos de Deus, falemos de alguém que certamente não nos engana e não mente. Falou, está falado. Jesus disse que veio ao mundo trazer a palavra do Pai. Disse que deveríamos confiar na sua palavra, porque tudo o que ele dizia, vinha do Pai; suas obras justificavam suas palavras.
“Se não credes na minha palavra, credes ao menos no que eu faço.”
Este era Jesus, verdadeiro, veraz, não enganava, era “sim, sim, não, não”, nunca foi pego em mentira, nunca foi pego em contradição, porque ele vem do Deus que não se contradiz.  Ele é fiel e é por isso que não devemos desconfiar Dele. Dos profetas e pregadores, sim! São humanos! Mas Deus sabe o que faz.  Acostumemo-nos a orar para entendermos essas coisas!




Fonte: FC edição 965 - Maio 2016
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Liturgia da Palavra
23 de dezembro de 2018 - 4º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
Liturgia da Palavra
9 de dezembro de 2018 - 2º Domingo do Advento - Ano C - Liturgia da Palavra
Santos, beatos e mártires
Quanto mais leigos protagonistas, mais conhecido e amado será o Nosso Senhor Jesus Cristo
Liturgia da Palavra
2 de dezembro de 2018 - 1º Domingo do Advento - Ano C- Liturgia da Palavra
Converter-se
Aquilo que vem de Deus e visa verdadeiramente ao nosso bem, deixa dentro de nós um rastro bom
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados