Um convite

Data de publicação: 28/08/2017

Por Patrícia Silva, fsp *

Viver a espiritualidade paulina é colocar Jesus Mestre, Pastor, Caminho, Verdade e Vida no centro da vivência cristã

Na adoração noturna a Jesus Mestre Eucarístico, na passagem do século (1900-1901), o jovem Alberione sentiu forte o convite de Jesus: “Vinde a mim todos!” (Mt 11,28). A raiz era, portanto, eclesial: a encíclica Tametsi Futura, o convite do papa Leão XIII; e Eucarística: adoração na passagem do século 20 a 21. Foi o próprio Alberione que contou sua profunda experiência intitulada “Noite de luz: a missão particular”.
“A noite que dividiu o século passado do presente foi decisiva para a missão específica e o espírito particular em que nasceria e viveria a Família Paulina. Houve adoração na Catedral (Alba), depois da missa solene da meia-noite, diante de Jesus exposto. Os seminaristas do curso de Filosofia e Teologia estavam livres para permanecer o tempo que quisessem. Realizara-se, pouco antes, um congresso (o primeiro a que assistiu); entendera bem o discurso calmo, mas profundo e cativante de Toniolo (um dos maiores mestres do pensamento social católico). Lera o convite de Leão XIII para rezar pelo século que se iniciava. Tanto um como outro falavam das necessidades da Igreja, dos novos meios do mal, do dever de opor imprensa a imprensa, organização a organização, de fazer o Evangelho penetrar nas massas, das questões sociais…
Uma luz especial veio da Hóstia, compreendeu melhor o convite de Jesus: “Vinde a mim todos…” (Mt 11,28). Pareceu-lhe entender o coração do grande papa, os convites da Igreja, a missão verdadeira do sacerdote. Pareceu-lhe evidente o que Toniolo dizia a respeito do dever de ser apóstolo de hoje, usando os meios empregados pelos adversários; sentiu-se profundamente obrigado a preparar-se para fazer algo pelo Senhor e pelos homens do novo século com os quais viveria.
Teve a percepção bastante clara do seu nada, e ao mesmo tempo sentiu: “Estarei convosco até o fim dos séculos’ (Mt 28,20) na Eucaristia, e que em Jesus-Hóstia se podia conseguir luz, alimento, conforto, vitória sobre o mal”, padre Alberione deixa escrito no livro Abundantes divitiae (AD), ou Abundantes graças, nº 33-35.

Oração que marca − Essa forte experiência de oração marcou profundamente a mente e a vida do bem-aventurado Tiago Alberione, que fez dela orientação de sua vida espiritual e apostólica, a ponto de dizer: “Não tenho ouro nem prata, mas lhes dou o que tenho: Jesus Mestre Caminho, Verdade e Vida”. Em 1901, introduziu-se  a devoção a Jesus Mestre no Seminário onde Alberione estudava, em Alba na Itália.

Tornou-se padre − Chegou a ordenação sacedotal de Tiago Alberione, celebrada em 1907. A primeira síntese elementar da espiritualidade a Jesus Mestre encontrou-se num caderno dos anos 1911-1912, com uma série de anotações catequéticas sobre o Creio, onde Alberione anotou:
“Por que creio? – Porque me foi revelado um homem chamado Jesus Cristo, que os amigos chamavam de Mestre, mas que se apresentou também como Deus, o autor da Verdade, aquele que não engana. E quem é Jesus Cristo? Ele é o Filho de Deus e o nosso Mestre, o qual confirmou a sua doutrina com milagres. De quem recebeu a autoridade de Mestre? Do Pai, no Batismo e sobre o Tabor. O que ensinou? A Verdade, a Vida e o Caminho  para o Paraíso. (Alberione, cadernos inéditos,1913).
Em 1932, foi introduzida a dedicação do primeiro domingo do mês ao Divino Mestre. Organizaram-se as festas do Evangelho e as semanas bíblicas. Eram respostas que  se davam aproximando as pessoas  da Palavra e do relacionamento  com o Mestre, que continuava a fazer o convite: “Vinde a mim todos!”. Esse convite de  Jesus continuou sendo feito de diferentes formas. Tudo, todo, pleno, totalidade e integralidade são palavras que  remetem ao núcleo da espiritualidade paulina.
“O homem todo em Cristo, com pleno amor a Deus: mente, vontade, coração, forças físicas. Tudo, natureza, graça e vocação, pelo apostolado (AD 100). Este é o centro da espiritualidade que estimula cada filho de  padre Alberione no esforço concreto e na completa doação de si a serviço da evangelização. Essa espiritualidade  será retomada muitíssimas vezes pelo fundador, nos numerosos encontros de animação que ele dirigia pessoalmente.

Box
Vivenciando a espiritualidade paulina, rezamos com Alberione, oferecendo o trabalho de cada dia:
Jesus Mestre, eu vos ofereço o meu trabalho
com as mesmas intenções com que pregastes o Evangelho.
Seja tudo, só e sempre, para a glória de Deus e a paz dos homens.
Jesus Verdade, que todas as pessoas vos conheçam!
Jesus Caminho, que todas as pessoas sigam vossas pegadas!
Jesus Vida, que todos vivam em vós!
Jesus Mestre, inspirai-me com a vossa sabedoria
para que eu possa transmitir palavras de salvação.
Que meus pensamentos se inspirem no Evangelho,
e se tornem fontes de vossa luz
a iluminar as pessoas, nossos irmãos.
Amém.

* Patrícia Silva é Irmã Paulina e fez curso de aprofundamento da espiritualidade paulina, em Roma.






Fonte: FC edição 940- abril 2014
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Evangelização, sim!
Para Francisco, a evangelização não pode confundir-se com o clericalismo nem com o proselitismo.
O Anjo Bom do Brasil
Irmã Dulce,a religiosa que conquistou o coração do povo brasileiro será canonizada.
Mesa da Palavra
13º. Domingo do Tempo Comum - Ano C • 30 de junho de 2019 - Solenidade de São Pedro e São Paulo
Mesa da Palavra
A fé cristã professada pela Igreja Católica é de tal forma complicada, que só pode ser verdadeira.
Mesa da Palavra
Solenidade de Pentecostes.Quando ele vier, conduzirá os discípulos à plena verdade.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados