Liturgia da Palavra

Data de publicação: 03/01/2018

Epifania do Senhor
Ano B – 7 de janeiro de 2018

Is 60,1-6 – Virão de Sabá trazendo presente e proclamando a glória de Deus
Sl 71 (72) – Virão os reis de Társis e das ilhas trazendo seus presentes
Ef 3,2-3a.5-6 – Os pagãos são admitidos à mesma herança
Mt 2,1-12 – Vimos sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo

Viram o Menino com Maria, Sua Mãe

O evangelista São Mateus deixou por escrito que, depois que Jesus nasceu em Belém, alguns magos do Oriente chegaram a Jerusalém, perguntando: “Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”. O rei naquela época era Herodes. Ele ficou muito alarmado, assim como muita gente na cidade, e foi perguntar aos sacerdotes e aos escribas onde o Cristo deveria nascer. O profeta Miqueias tinha dito que de Belém sairia um príncipe, e ele seria o pastor do povo de Israel. Então Herodes chamou, em segredo, os magos, perguntou-lhes quando exatamente a estrela tinha aparecido e os enviou a Belém.
Herodes pediu que os Magos lhe dessem informações exatas sobre o menino, porque ele também queria adorá-lo. Disse ele aos Magos: “Ide e procurai obter informações exatas sobre o menino. E, quando o encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-lo”. Os Magos partiram guiados pela estrela que parou sobre a casa onde estava o Menino. Eles ficaram muito alegres quando viram a estrela. É que ela tinha desaparecido quando chegaram a Jerusalém. Entraram na casa e viram o Menino com Maria, sua Mãe. Ajoelharam-se e o adoraram e lhe ofereceram ouro, incenso e mirra. Durante a noite, foram avisados em sonho para não procurarem Herodes. Voltaram então para sua terra por outro caminho.
O evangelista conhecia as Escrituras e viu nos magos do Oriente a realização ampliada das profecias de Isaías. O profeta canta, num poema, o triunfo da luz que brilha sobre Jerusalém e ilumina o caminho dos povos que a ela se dirigem. Uma luz começa a brilhar na escuridão. Os filhos de Israel dispersos põem-se a caminho de volta para casa. São ajudados por povos estrangeiros. Uma multidão de camelos entra na cidade com muitos tesouros, com ouro e incenso, anunciando os louvores do Senhor. No relato de Mateus, os Magos do Oriente não são judeus que voltam para casa e a luz da estrela não brilha em Jerusalém. Eles também conheciam as profecias, mas as de Balaão, profeta pagão que viu um astro nascendo de Jacó e um cetro levantando-se de Israel. O astro é a estrela que iluminou o caminho dos Magos até a casa onde estava o Menino. De lá sai a luz que ilumina os caminhos da humanidade.
A Carta aos Efésios vê todos esses acontecimentos como a revelação de um mistério que está se realizando: os pagãos são admitidos à mesma herança que os judeus. Se não são membros do povo de Israel pela carne e pelo sangue, são, no entanto, beneficiários da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho. Podem fazer parte do Corpo de Cristo, com todos aqueles que aceitaram Jesus como o Messias prometido. Os Magos do Oriente são pagãos, que procuram Jesus e quando o encontram se ajoelham e o adoram. Seus presentes reconhecem que Menino é rei, e lhe dão o ouro, que o Menino é Deus, e lhe dão incenso, que ele é homem, e lhe oferecem mirra.
O Menino Jesus recebeu dos Magos do Oriente três presentes, por isso a piedade cristã falou de três Reis Magos com os nomes de Gaspar, Belchior e Baltazar, representantes da Europa, da Ásia e da África, os continentes conhecidos na época. Com eles celebramos a Epifania, palavra grega que significa “manifestação”. A manifestação de Jesus nos tira da escuridão e ilumina todos os nossos caminhos.

Leituras e Salmos (8 a 13 de janeiro)
2ªf.: Is 55,1-11; (Sl) Is 12,2-6; Mc 1,7-11.
3ªf.: 1Sm 1,9-20; (Sl); 1Sm 2,1.4-8; Mc 1,21b-28.
4ªf.: 1Sm 3,1-10.19-20; Sl 39 (40); Mc 1,29-39.
5ªf.: 1Sm 4,1-11; Sl 43 (44); Mc 1,40-45.
6ªf.: 1Sm 8,4-7.10-22a; Sl 88 (89); Mc 2,1-12.
Sáb.:1Sm 9,1-4.17-19; 10,1a; Sl 20 (21); Mc 2,13-17.




Fonte: FC edição 984 Dezembro 2017
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Mesa da Palavra
A refeição e a pesca são dois acontecimentos unidos na mesma narrativa
Mesa da Palavra
Jesus se entregou para que o mundo fosse salvo.
RELIGIÃO
Em seu artigo, o Pe. Zezinho, scj fala sobre a nova "teologia do resultado".
Mesa da Palavra
Iniciamos o Tempo Comum da liturgia da Igreja celebrando o casamento de Deus com a humanidade.
Liturgia da Palavra
Jesus, sendo Deus, poderia se encarnar da maneira que quisesse, mas escolheu ser em tudo semelhante
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados