Liturgia da Palavra

Data de publicação: 09/03/2018

4º Domingo da Quaresma 
Ano B  11 de março de 2018

2Cr 36,14-16.19-23 – Do exílio da Babilônia para a Terra Santa.
Sl 136 (137) – Cantai para nós um cântico de Sião!
Ef 2,4-10 – Fomos criados em Jesus para as obras boas.
Jo 3,14-21 – O Filho do Homem deve ser levantado.

Quem pratica o mal odeia a luz
    Deus é rico em misericórdia e sua bondade se manifesta mesmo quando deve corrigir, porque não corrige para punir, mas para levantar o ser humano decaído. No deserto, Moisés levantou a serpente de bronze para proteger o povo do veneno das serpentes que começaram a aparecer por toda parte. As serpentes vieram para corrigir os erros do povo, que encontrou a bondade de Deus na serpente de bronze. Assim também, diz Jesus conversando com Nicodemos, o Filho do Homem deve ser levantado para que todos os que nele creem não morram, mas tenham a vida eterna. Ele veio salvar o mundo e não condená-lo. Condena-se a si mesmo aquele que não quer crer. Quem nele crê não é condenado. Quem não crê já está condenado. O julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas, porque suas obras eram más.
Diz o Segundo Livro das Crônicas que o povo e os sacerdotes tinham aderido a práticas pagãs e profanaram o Templo. Deus tem pena do povo e envia mensageiros para admoestá-lo, mas o povo zomba dos mensageiros e de suas palavras. Nabucodonosor, o rei da Babilônia, torna-se então o instrumento da ira de Deus. Ele invade a cidade, destrói o Templo e leva o povo cativo para a Babilônia. Mais tarde, Ciro, o rei dos persas, permitirá que os judeus voltem para a sua terra e reconstruam o Templo em Jerusalém. “Que minha mão fique seca”, diz o salmista, “se de ti, Jerusalém, eu me esquecer.”
Somos todos pecadores e estávamos mortos por causa do pecado. Deus, porém, nos deu a vida com Cristo. Fomos salvos de graça, mediante a fé. Que ninguém se orgulhe. Tudo é dom de Deus. A salvação não vem das obras, mas fomos criados para as obras boas que Deus preparou para que as praticássemos. Aqueles cujas obras são más preferem as trevas para que elas não sejam vistas. Por isso, as boas obras mostram em que e em quem acreditamos. Mostram a nossa fé. As boas obras não salvam. Elas mostram a salvação que vem pela fé em Jesus Cristo. Para muitos a fé na pessoa de Jesus pode não ser clara. Ela também é um dom de Deus. Não pode, porém, deixar de ser clara a prática das boas obras, porque estas estão na luz. Se estiverem nas trevas é porque não são boas. Nossas ações devem ser feitas segundo a verdade para não serem denunciadas pela luz. Quem pratica o mal odeia a luz.
    Deus viu as lágrimas do povo que chorou à beira dos rios da Babilônia com saudades de Sião e dele se compadeceu. Assim como enviou Nabucodonosor como instrumento de correção, enviou Ciro, rei da Pérsia, para libertar o povo e enviou, enfim, seu próprio Filho ao mundo para que o mundo seja salvo por ele. Jesus colocou sobre si mesmo, em seu próprio corpo crucificado, a maldade do mundo para libertar o mundo do mal. A violência é um mal.
É preciso, pois, descobrir as causas que geram pessoas violentas e os meios para um processo restaurativo. A educação continua sendo fundamental na construção dos relacionamentos entre os seres humanos. Temos inclinações e tendências nem sempre voltadas para o bem, e construímos estruturas e sistemas geradores de preconceitos e desentendimentos. Quando qualquer desentendimento se resolve logo no braço e na paulada, algo básico está faltando na educação dos envolvidos.

Leituras e Salmos (12 a 17 de março)
2ªf.: Is 65,17-21; Sl 29 (30); Jo 4,43-54.
3ªf.: Ez 47,1-9.12; Sl 45 (46); Jo 5,1-16.
4ªf.: Is 49,8-15; Sl 144 (145); Jo 5,17-30.
5ªf.: Ex 32,7-14; Sl 105 (106); Jo 5,31-47.
6ªf.: Sáb 2,1ª.12-22; Sl 33 (34); Jo 7,1-2.10.25-30.
Sáb.: Jr 11,18-20; Sl 7; Jo 7,40-53.




Fonte: FC edição 986 Fevereiro 2018
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Liturgia da Palavra
24 de Junho - 12º Domingo do Tempo Comum - Natividade de São João Batista - Ano B
Liturgia da Palavra
17 de Junho - 11º Domingo do Tempo Comum Ano B - Liturgia da Palavra
Os pobres, a “carne de Cristo”
O desafio é promover um verdadeiro encontro com os pobres
Liturgia da Palavra
10 de junho de 2018- 10º Domingo do Tempo Comum - Ano B - Liturgia da Palavra
Novo olhar para iniciação à fé
Bispos do Brasil reuniram-se em Aparecida, com foco na iniciação cristã
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados