Tristeza ou depressão

Data de publicação: 20/03/2018

                                            Tristeza ou depressão


Você já se sentiu triste em alguma fase de sua vida? Com certeza sim! Seja por uma briga, perda de um ente querido, demissão de um trabalho de que você gostava, frustração amorosa ou por qualquer outro motivo. Independentemente da situação, cabe ressaltar que a tristeza é uma condição passageira.
E a famosa frase “Acho que estou depressiva” você também já deve ter ouvido pessoas próximas prenunciando-a ou até mesmo você já a tenha dito. É comum as pessoas confundirem tristeza com depressão. Por isso é importante diferenciar uma da outra para evitar rótulos e tratamentos inadequados. Uma vez que a palavra depressão está sendo banalizada.
A psicóloga Aline Carvalho Monteiro destaca as principais características da patologia e do sentimento, o primeiro passo, segundo a profissional, é identificar em qual condição a pessoa se encontra.
Tristeza
•Sentimento comum vivido por qualquer ser humano em diversos momentos da vida.
•Normalmente provém de um evento externo real, como a perda de algo ou alguém significativo na vida da pessoa.
•Uma pessoa que sofre de uma tristeza intensa e não dispõe de recursos internos para dar significado a esse sentimento pode desenvolver um quadro depressivo.
•Por não se tratar de doença e sim de um sentimento, não tem cura.
Depressão
•Doença caracterizada pela mudança de humor e perda de vontade em atividades do cotidiano que em períodos anteriores eram fontes de prazer e dotadas de motivação.
•Fortemente relacionada a predisposições genéticas e disfunções neurológicas.
•Existe a depressão leve, moderada e profunda. Esta irá variar de acordo com a gravidade dos sintomas, período de permanência da doença e capacidade de resposta do paciente.
•A melancolia, para a psicanálise, é o estágio extremo da depressão, caracterizado por uma forte apatia e ausência de resposta a estímulos que antes mobilizavam o indivíduo.
Para identificar os primeiros sintomas da depressão, é importante que a pessoa se ajude, seja honesta consigo mesma e procure a ajuda de um profissional. “Quanto mais cedo o paciente perceber que pode estar sofrendo de depressão e procurar ajuda, mais facilmente irá reagir positivamente ao tratamento”, alerta a psicóloga. “ O que acontece é que muitas pessoas resistem em aceitar que podem estar doentes e relutam em procurar um psicoterapeuta, acreditando que resolverão seus conflitos sozinhos, e nem sempre isso é possível”, completa
Vale ressaltar que a tristeza é um sentimento como os demais. Todos estamos sujeitos a passar em qualquer momento da nossa vida por uma situação ou momento de tristeza. O sentimento tristeza ou qualquer outro nasce por um motivo e pode apresentar sintomas físicos, bem como aperto no peito, coração acelerado e choro, mas, de certa forma, é passageiro. A depressão é um estágio avançado, é uma doença e requer tratamento.

Tratando a depressão – A avaliação da depressão, segundo a especialista, leva em consideração os fatores genéticos que podem predispor o paciente a esse mal e também se observa os aspectos neurológicos. “É fundamental a investigação da presença da doença em familiares, sendo que também está relacionada com a disfunção de algumas substâncias químicas do cérebro, como o neurotransmissor chamado serotonina”, enfatiza a psicóloga. A avaliação de um profissional qualificado é de suma importância, pois o tratamento varia conforme o nível da doença, uma vez que a depressão se apresenta em três estágios: leve, moderada ou profunda. Aline Carvalho Monteiro esclarece que, “dependendo da gravidade, o tratamento deverá ser multidisciplinar, ou seja, medicamentoso, realizado por um psiquiatra e psicodinâmico comportamental através da psicoterapia que deverá ser realizada por um psicólogo”. Em um processo de psicoterapia, a profissional explica que é necessário identificar a qualidade do diálogo interno do paciente, que muitas vezes é improdutivo, cíclico e disfuncional. Uma das recomendações da psicóloga Aline para auxiliar no tratamento da depressão é a atividade física. Ressalta que os exercícios físicos são imprescindíveis para a nossa saúde e bem-estar. Se você estiver triste arregace as mangas e os exercícios físicos podem até lhe surpreender.

Por, Roseane Welter




Fonte: FC edição 986 Fevereiro 2018
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Sinusite ou rinite?
Tanto a sinusite como a rinite são inflamações que afetam as mesmas regiões do corpo.
O sonho de salvar vidas
Atendimento médico, odontológico, terapias alternativas e psicológicas etc. é o que propõe o Projeto Saúde de Solidária ao atender a população ribeirinha da região do Marajó (PA)
SAÚDE
A biotecnologia é uma ferramenta e, como tal, deve ser cuidadosamente examinada.
Curar com as mãos
Levar em consideração o corpo inteiro e tratar diretamente a causa do problema são as principais
Artrite, tendinite ou artrose
Qual a diferença e quais as características dessas patologias? Comecemos pela diferença entre artrite e tendinite. Ambas são inflamações
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados