Vencer o mundo

Data de publicação: 16/04/2018

Por, Andre Luís Kawahala e Rita Massarico Kawahala       

Não é preciso parecer diferente ou ter um estereótipo peculiar para ser casal em Cristo. Jesus é o modelo, mas não um molde. O casal tem sua própria identidade de discípulos
Há mais de dois mil anos, um homem que muitos acreditaram ser somente um grande profeta, um taumaturgo que passou fazendo o bem e, embora nada tivesse feito de mal, foi crucificado entre dois ladrões. Foi intriga política, foram ciúmes, foi por falar a verdade mais pungente a respeito da hipocrisia religiosa e sobre a exploração perversa de uma elite social, que se aproveitava da pobreza e discriminava quem vivia sob o peso dos erros e pecados, sem dar a eles a chance de se aproximarem da redenção divina. Já naquela época faziam do Templo e das sinagogas as alfândegas que não são, e supostamente queriam controlar quem estaria perto de Deus e mereceria o Reino. Com esses não havia diálogo, nem acolhida, nem discernimento e muito menos integração à vida dita “normal” do cotidiano daquelas vilas e cidades.
E mataram a Jesus também porque Ele não só denunciou, mas deu testemunho caminhando entre os marginalizados e excluídos, ouvindo-os, acolhendo-os, ensinando-os, curando e dando esperança. E o mataram. Aquele profeta morto, depois se soube, tomou consigo os pecados de todos, expiou-os diante de Deus, ressuscitou dos mortos em corpo glorioso, primícias dos salvos, e subiu aos céus para ocupar seu lugar de direito, de onde virá a julgar os vivos e os mortos. Era Ele, o “Eu Sou” de Moisés, o Leão de Judá, o Cordeiro de Deus, o Filho Único e amado, o Messias. E o Ressuscitado! E quem o reconhece e não o nega já está no Caminho, porque aceita a Verdade e deseja uma Vida plena iluminada pelo Espírito Santo.
Mas e o kico? - Como diz o povo: “o kico tenho a ver com isso”? Porque a seção Ser um deste mês começa com algo que todos já sabemos? E o que isso tem a ver com a vida conjugal? Primeiro, tudo o que já se sabe por definição e muitos falares, nem sempre é lembrado, quiçá refletido e, em raros casos, vivido. Quem conhece essa história verídica de amor e crê nela e, principalmente, acredita em seu protagonista – o Deus Uno e Trino – vive sua relação como espelho do amor divino. E o próprio Deus se espelha neles esse amor (cf. exortação apostólica Amoris Laetitia, 121) e se alegra com a alegria daquela filha e daquele filho que encontraram a Cristo olhando para o Céu, mas também olhando um para o outro.  Essa é a conversão de Páscoa que verdadeiramente se espera de cada casal, de cada família.
Viver Jesus Vivo - Não é preciso parecer diferente ou ter um estereótipo peculiar para ser casal em Cristo. Jesus é o modelo, mas não um molde. O casal tem sua própria identidade de discípulos.
Esposo e esposa que têm fé se reconhecem falhos e necessitados de Deus e de seu perdão. Por isso, perdoam-se mutuamente e também aos que os ofendem, juntos, como comunidade de amor. Perdoam os filhos, quando esses os desobedecem, sem deixar de educá-los.
Casal que se une em Jesus não é aquele que simplesmente segue regras e preceitos. Ele o faz, sim, senão tais regras e preceitos perderiam sua função. Mas eles estão sempre dispostos e disponíveis a curar em dia de sábado e a deixar diante do altar a oferta do sacrifício para fazer as pazes com alguém.
Não ensinam seus filhos com enganos e dão bom conselho a quem os pedir. Não julgam pecadores e supostos pecadores, porque essa não é sua função neste mundo. Sabem que todos merecem um olhar misericordioso de amor, um ombro amigo para chorar e um braço para se apoiar. E eles os oferecem.
Estão sempre a serviço de quem precisa, dentro e fora de casa, e não se negam a enxergar e a ajudar Jesus nos mais necessitados. Cuidam da vida humana, das criaturas e da criação. E ensinam que ser bom é fazer o bem à terra e à pedra, à planta e aos animais, e dedicar-se aos homens e mulheres numa ecologia integral, onde o humano também se reconhece parte do todo e não somente o consumidor dos bens dados por Deus.
Curar e construir - "Nós, cristãos, insistimos na proposta de reconhecer o outro, de curar as feridas, de construir pontes, de estreitar laços e de nos ajudarmos a carregar os pesos uns dos outros" (exortação apostólica Evangelii Gaudium, 67), disse o papa Francisco. E essa é a missão de cada casal em Cristo dentro e fora de seu lar. É preciso confiar e ter a esperança que brota da fidelidade a Deus, pois assim, apesar das dificuldades e das aflições do mundo, a coragem se renovará na certeza de que Jesus venceu o mundo (cf. Jo 16,33). Portanto, cada casal firme no amor é convidado pela Igreja, através do papa, a ser médicos de um hospital de campanha, onde importa ter o zelo pelas coisas de Deus, mas sabendo que, para vencer o mundo com o Messias, também são de Deus os que caem e precisam ser cuidados por casais samaritanos que doam a vida com caridade para transformar o mundo em um lugar mais fraterno.




Fonte: Fc edição 976, Abril de 2017
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

O melhor alimento para o bebê
O aleitamento materno é uma unanimidade mundial. Todos os profissionais de saúde reconhecem
Hora do pesadelo
Pesadelos são ruins em qualquer idade, mas os pais ficam mais angustiados quando são seus filhos.
Viver bem dentro de casa
Uma família unida enfrenta e supera os desafios da vida com maior facilidade.
Música
Além de estimular o bom convívio social, aprender música ajuda a desenvolver a fala E a respiração.
Bichos são família?
A humanização excessiva dos animais de estimação pode causar problemas a eles
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados