Liturgia da Palavra

Data de publicação: 31/08/2018

22º Domingo do Tempo Comum
Ano B – 2 de setembro de 2018


Dt 4,1-2.6-8 – Ouçam as leis que o Senhor ensina.
Sl 14 (15) – Quem anda com integridade pratica a justiça.
Tg 1,17-18.21b.22.27 – Religião pura e sem mancha diante de Deus e Pai.
Mc 7,1-8.14-15.21-23 – É de dentro do coração que saem as más intenções.

O que mancha o ser humano
1. Deuteronômio – Moisés diz ao povo: “Escutem e ponham em prática as orientações que estou dando a vocês. Cumprindo essas normas vocês vão entrar na Terra Prometida e viver nela. O que prescrevo são mandamentos do Senhor. Não mudem nada. Eles são fonte de sabedoria e inteligência. Nenhuma nação tem seu Deus tão perto como o nosso, nem leis tão justas como as nossas”.
2. Salmo – Quem entrará na Terra Prometida? Quem vai morar na casa do Senhor? Quem caminha sem pecado pratica a justiça e controla a sua língua, não prejudica nem insulta os outros, dá valor a quem merece, não empresta dinheiro com altos juros nem aceita suborno contra o inocente. Assim se cumpre a Lei do Senhor.
3. Tiago – Tudo o que há de bom, tudo o que temos de bom vem de Deus. O grande dom que Ele nos deu foi a sua Palavra, que devemos acolher com humildade. Devemos ouvi-la e praticá-la. Ela consiste em assistir os desprotegidos e não se deixar corromper pelo mundo.
4. Marcos – O texto paralelo encontra-se em Mateus capítulo15, versículos de 1 a 20. Fariseus e Mestres da Lei chegam de Jerusalém e se reúnem com Jesus. Viram que os discípulos de Jesus não faziam o rito de jogar água nas mãos antes de comerem alguma coisa. Perguntaram então a Jesus: “Por que os teus discípulos não seguem a tradição dos antigos e comem o pão ‘com mãos impuras’?”. Jesus responde citando o profeta Isaías, que distingue entre o que se diz e o que se quer de verdade, o que está nos lábios e o que está no coração. Jesus conclui fazendo a distinção entre o que é mandamento de Deus e o que é tradição humana. E acrescenta que o que torna o ser humano impuro é o que sai de dentro do coração.
5. A Lei de Deus é perfeita, é alegria para o coração. Ela nos orienta para não errarmos o caminho que nos leva ao fim que procuramos, que nos leva à perfeita realização de nossos desejos, à felicidade eterna, à salvação. Para ampará-la e fazer com que seja bem observada, os Mestres da Lei acrescentam preceitos e defendem os costumes, que são as tradições. Como, porém, entre nós é difícil manter a medida justa em todas as coisas, os preceitos humanos e as tradições acabam tendo mais valor do que o mandamento de Deus. As leis que nós mesmos criamos, com boa intenção e com boa vontade, deixam de ser favoráveis ao ser humano. O que devia ajudar as pessoas torna-se prejuízo. Não ajuda, antes prejudica. O Sábado, o Shabbat bíblico, foi feito para que todos tivessem o descanso necessário à fraqueza humana, patrões e empregados precisam descansar. Muitos preceitos se criaram para proteger o Shabbat, e as leis do Shabbat se tornaram um peso para o ser humano. Jesus foi fortemente ameaçado por ter curado doentes no Shabbat. Os Mestres da Lei criaram o que se chama de “impureza legal”. Você comete faltas contra preceitos humanos e tradições e se torna impuro. O legislador, que não é movido pelo Espírito Santo e não tem sensibilidade necessária para compreender o ser humano, acaba condenando o inocente. O sumo direito pode se tornar suma injúria.
6. O que torna uma pessoa verdadeiramente impura? O que a mancha? A resposta está no íntimo do ser humano, em suas opções e em seus projetos. Tanto brotam do coração humano os projetos de lei quanto sua aceitação ou rejeição.

Leituras e Salmos (3 a 8 de setembro)
2ªf.: 1Cor 2,1-5; Sl 118 (119); Lc 4,16-30.
3ªf.: 1Cor 2,10b-16; Sl 144 (145); Lc 4,31-37.
4ªf.: 1Cor 3,1-9; Sl 32 (33); Lc 4,38-44.
5ªf.: 1Cor 3,18-23; Sl 23 (24); Lc 5,1-11.
6ªf.: 1Cor 4,1-5; Sl 36 (37); Lc 5,33-39.
Sáb.: Mq 5,1-4a; Sl 70 (71); Mt 1,1-16.18-23.




Fonte: Fc edição 992, Agosto de 2018
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Liturgia da Palavra
05 de novembro de 2017 - 31º Domingo do Tempo Comum. Solenidade de Todos os Santos
Pecado e misericórdia
Somos corresponsáveis na culpa e necessitados da constante cooperação no processo de conversão.
Ritmo Eucarístico
Não é de qualquer jeito que se vive o momento celebrativo da Eucaristia.
O dom da ciência
"Lá no alto, existe o Deus do céu que revela os mistérios” (Dn 2,28a).
Restaurada e Aparecida
“A paz é dos milagres, o milagre mais bonito que se possa desejar”.
Início Anterior 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados