Liturgia da Palavra

Data de publicação: 06/09/2018

23º Domingo do Tempo Comum
Ano B – 9 de setembro de 2018

Is 35,4-7a – O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua do mudo.
Sl 145 (146) – O Senhor protege o estrangeiro, o órfão e a viúva.
Tg 2,1-5 – Não concilieis a fé em Jesus Cristo com a opção de pessoas.
Mc 7,31-37 – Aos surdos Ele faz ouvir; e aos mudos, falar.

A vingança de Deus
1. Isaías – Digam a quem está com o coração agitado: “Não tenham medo, a vingança de Deus está chegando”. Qual é a vingança de Deus? Os cegos veem, os surdos ouvem, o coxo pula, o mudo fala, brota água no deserto.
2. Salmo – O Senhor é fiel. Faz justiça aos oprimidos, dá pão aos famintos, liberta os prisioneiros, abre os olhos dos cegos, endireita os encurvados, protege o estrangeiro, sustenta o órfão e a viúva. Ama os justos e confunde o caminho dos maus.
3. Tiago – Se acreditamos em Jesus, não podemos fazer diferença entre as pessoas. Não podemos tratar os ricos de um jeito e os pobres de outro. Ao rico oferecemos um assento, e o pobre, mandamos sentar no chão. Os pobres são ricos na fé e herdeiros do Reino. Deus os escolheu, e eles amam a Deus.
4. Marcos – Trouxeram a Jesus, em suas andanças, um homem surdo e gago. Pediram que lhe impusesse a mão. Jesus se retira com o homem e, em particular, toca em seus ouvidos e passa saliva em sua língua. Olhou para o céu, respirou forte e disse: “Abre-te”. Imediatamente o homem começou a escutar e a falar corretamente. Jesus pediu-lhe que não contasse nada a ninguém, mas ele contou, e todos diziam que Jesus fazia bem todas as coisas.
5. Jesus não faz propaganda de si mesmo nem de seus milagres e demonstra muita atenção para com as pessoas miraculadas. Ele se afasta da multidão com o homem surdo e gago. Faz alguns ritos, que alguém viu, contou, e o evangelista nos transmitiu. Jesus toca com os dedos nos ouvidos do surdo, cospe e toca a língua dele com a saliva. Depois olha para o céu, dá um gemido e diz uma palavra de ordem conservada em aramaico: “Éfata”, que quer dizer “abre-te”. E o milagre acontece. Por que faz todos esses ritos? Com o dedo abre os ouvidos, com a saliva cura a mudez, olha para o céu, onde está o Pai, e suspira como numa súplica.
6. O ser humano se comunica com gestos e sons. O corpo fala. Jesus é o Verbo de Deus encarnado. Ele assumiu a nossa humanidade e passou a ter um corpo como nós. Ele se comunica com os seres humanos à maneira humana. Os profetas se comunicaram com palavras e com gestos simbólicos. As mães se comunicam com os filhos através de inúmeros gestos de carinho. Dizem os estudiosos que 55% dos nossos sentimentos são expressos por comunicação não verbal, 38% pela voz e apenas 7% por palavras. Jesus usou apenas uma palavra “Abre-te”. Quando, ao tirar fotografia num grupo, alguém coloca a mão no ombro de uma pessoa e essa pessoa lhe diz “Tire a mão daí!”, temos um gesto silencioso de acolhida amiga e uma rejeição manifestada por algumas palavras sonoras. Tanto o gesto quanto a palavra são comunicações fortes, mas o gesto pode expressar muito mais do que a palavra, e até corrigir a má impressão deixada pela palavra mal colocada. Imagine-se, como se vê em alguns santinhos, você ao lado de Jesus e Ele com o braço sobre seu ombro. Imagine e sinta o calor desse abraço, o carinho dessa amizade, e escute as palavras que não são ditas, mas se ocultam no gesto: “Conte sempre comigo!”. Os sinais do Messias Salvador são o cego vendo, o mudo falando, o paralítico andando, a viúva e o órfão amparados. Essa é a vingança de Deus contra os que diminuíram o ser humano e os que não se alegraram com o seu bem.

Leituras e Salmos
(10 a 15 de setembro)
2ªf.: 1Cor 5,1-8; Sl 5; Lc 6,6-11.
3ªf.: 1Cor 6,1-11; Sl 149; Lc 6,12-19.
4ªf.: 1Cor 7,25-31; Sl 44 (45); Lc 6,20-26.
5ªf.: 1Cor 8,1b-7.11-13; Sl 138 (139); Lc 6,27-38.
6ªf.: Nm 21,4b-9; Sl 77 (78); Jo 3,13-17.
Sáb.: Hb 5,7-9; Sl 30 (31); Jo 19,25-27.




Fonte: Fc edição 992, Agosto de 2018
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Liturgia da Palavra
30 de setembro de 2018 - 26º Domingo do Tempo Comum - Ano B - Liturgia da Palavra
Liturgia da Palavra
23 de setembro de 2018 - 25º Domingo do Tempo Comum - Ano B – Liturgia da Palavra
Somos chamados a ser santos
O neognosticismo foca toda a vida no que pode levar a uma “fé fechada no subjetivismo”
Fé na paz
Quem diz matar em nome de Deus nunca, na verdade, o conheceu nem tem consideração por suas criaturas
Liturgia da Palavra
16 de setembro de 2018 – 24º Domingo do Tempo Comum – Ano B – Liturgia da Palavra
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados