Criança tem direito

Data de publicação: 08/11/2012

SUPER+ EDIÇÃO DE OUTUBRO 2012

Uma galerinha antenada refletiu sobre os Direitos das Crianças. A Declaração Universal dos Direitos da Criança, criada com o fim de integrá-la na sociedade e zelar pelo seu convívio e interação social, cultural e até financeiro, dando-lhe condições de sobrevivência, foi aprovada em 20 de novembro de 1959, pela Assembleia Geral da Organização das Naçoes Unidas (ONU). A história  O patinho feio, escrita por Hans Christian Andersen em 1843, ajuda a ilustrar os direitos das crianças. Isso porque ele foi rejeitado e permaneceu por um certo tempo nem nenhuma proteção, correndo riscos.

O patinho feio

Estava tão bonito lá fora! Era verão, os campos estavam verdes e aí passeava a cegonha com suas longas pernas vermelhas, falando egípcio, língua que aprendeu com sua mãe. Em redor dos campos e dos prados havia bosques grandes, carregados de belas flores e, no meio deles, fundos e límpidos lagos. Sim, estava tudo verdadeiramente lindo! Ao centro, iluminado pelo sol, via-se um velho solar com fundos canais à volta, cresciam grandes folhas de bardanas, as crianças brincavam. Era tão emaranhado aí como no bosque, e se encontrava uma pata no seu ninho. Devia chocar seus patinhos, mas estava bem cansada disso, chocar demorava muito e ninguém a visitava.


Plaft! Finalmente rebentou um ovo após outro. Cascas quebradas e da gema saíram criaturinhas pondo a cabeça para fora e dos biquinhos, o som: “Piu! Piu!”. A mãe pata incentivava-os a olharem para fora do ninho. E todos achavam o mundo grande demais.

Ao olhar ao seu redor, a mãe percebeu que não estavam todos, o ovo maior ainda permacia ali, inteirinho. Ela acreditou ser um ovo de peru que veio parar em seu ninho. Depois de um tempo o grande ovo se rompeu. A pata olhou para ele e percebeu que era um patinho grande e terrivelmente diferente, feio.

No dia seguinte, ela apresentou sua ninhada. Entram no pátio dos patos. Lá disputavam por comida.

− Vejam! Vamos ter agora mais aquela ninhada! Como se já não fôssemos muitos! Ai! Que aspecto estranho tem aquele patinho! Não podemos tolerar isso. 

− É demasiado grande e demasiado estranho! – disse uma pata e o bicou. – Por isso tem de apanhar!

O grande patinho tomado de medo abandonou o grupo e saiu sem rumo, não tinha casa, comida, com quem brincar e nem uma família. Em sua fuga passou por lugares horríveis, sentiu muita tristeza, foi ameaçado, ninguém o compreendia.

Então, certo dia ergueu de uma vez as asas e voou para bem longe. Chegou a um lugar muito bonito, jardins, flores, lagos. A distância percebeu, da moita saindo, três lindos cisnes brancos.
− Vou voar para eles e me bicarão de morte, porque sou tão feio, mas melhor ser morto por eles do que ser bicado pela pata, espicaçado pelas galinhas ou levar pontapés das pessoas.

Mergulhou para perto das outras aves e com muito medo tirou a cabeça para a superfície da água à espera de novamente ser rejeitado. Mas, quem ele viu na água bem clara? Viu a própria imagem e se percebeu, era um cisne. Os cisnes grandes nadavam à sua volta e o acariciavam com o bico. Ao jardim chegaram crianças que lançaram pão e milho na água e se alegravam com a chegada de um novo cisne.

− O novo é o mais bonito de todos! Tão jovem e tão belo!

Os cisnes velhos curvaram-se, reverenciando-o. As crianças  batiam palmas e dançavam à roda. Ele se sentiu profundamente feliz, as penas agitaram-se, o pescoço elevou-se e alegrou-se de todo o coração.

Fala, galera
 


Toda criança tem direito à vida, liberdade, respeito, lazer, cultura, educação, brincar e praticar esportes, dignidade, profissionalização, saúde, convivência familiar e comunitária. Mas também temos deveres a cumprir, que é obedecer e respeitar pais e mais velhos, estudar e preservar o meio ambiente.
Karina Fernandes Guimarães, 12 anos






Toda criança tem direitos, mas vou falar de um que é bem importante: brincar e praticar esportes. E praticar esportes é muito importante, faz bem para a saúde. Você se diverte e nem percebe que está melhorando sua saúde.
Joder Pia Silva dos Santos, 12 anos






As crianças têm que respeitar os outros, principalmente os mais velhos. Temos que estudar, e isso é uma das coisas mais importantes da nossa vida. As crianças precisam ter cultura, praticar esportes e brincar, aproveitar a vida enquanto é criança.
Alice Sena de Almeida, 11 anos







Não só eu, mas todas as crianças e adolescentes têm direito à vida, à saúde, à liberdade, à educação, ao respeito. A vida é muito importante. Ninguém tem direito de tirar a vida de alguém. Todos podem ter saúde. Se você cuidas do seu corpo e ir ao médico, será saudável. Liberdade todos têm que ter, mas com limites. Respeito todos podem e devem ter aos mais velhos e ao próximo.
Alex Campos da Costa, 12 anos




Fonte: Família Cristã
Postado por: Administrador




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Oração dos cardeais brasileiros
As orações dos cardeais brasileiros, Odilo Pedro Scherer e Raymundo Damasceno, antes de entrarem em Conclave
As cinco ervilhas
Em uma vagem verde, viviam cinco ervilhas. A vagem e as ervilhas foram crescendo e ficando amarelas. Mas logo elas acabaram dentro da jaqueta de um homem.
A primavera na Igreja
No ano do jubileu do Concílio Vaticano II, 2012, a Revista Família Cristã iniciou reflexões e, a cada mês do ano jubilar, aborda um aspecto deste vasto acontecimento da Igreja, com especialistas no assunto
Sacramento e Sacramentos
No imaginário popular, quando se fala em sacramento, de imediato se pensa nos sete Sacramentos da Igreja, ou em algum Sacramento específico, como o Batismo, a Crisma, a Eucaristia etc...
Início Anterior 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados