Praticando capoeira

Data de publicação: 18/09/2013

Fernando Geronazzo

                                                                       


Na edição de julho de 2012 a revista Super + fala de capoeira. Um esporte ou uma arte do Brasil que tem muito ritmo, concentração e equilíbrio. Será que a capoeira pode ser praticada por crianças?  Eduardo dos Santos de Souza, de 7 anos, e Aline Rodrigues Guimarães, de 8 anos, praticam capoeira com o Grupo Massapê, no Centro de Promoção Humana Irmã Tecla Merlo, em São Paulo (SP), e contam um pouco sobre essa arte.

O Eduardo está na 2ª série e a Aline, na 3ª.  A matéria preferida dos dois na escola é Matemática. Eles começaram a aprender capoeira no ano passado e estão adorando. No começo era difícil, mas depois de muita dedicação eles já conseguem fazer vários movimentos desse esporte.

O que a Aline mais gosta de fazer na capoeira é a estrela e plantar bananeira, quando ela fica completamente de cabeça para baixo. Ela contou que no começo caía bastante, mas aos poucos foi aprendendo. “O que eu acho mais legal na capoeira é a ginga e um movimento chamado ‘cocorinha’”, completa Eduardo.

Depois de um tempo de treino e aprendizado, os dois participaram do chamado batizado na capoeira, quando receberam o cordão e mudaram de estágio da capoeira. “No batizado, temos que jogar capoeira com um adulto”, diz Aline. Como as faixas do caratê e do judô, os cordões marcam as etapas do aprendizado nesse esporte.

Os dois explicaram que, apesar da capoeira parecer uma luta, ela é um jogo, uma arte, uma verdadeira brincadeira. Por isso não tem violência e nem machuca. “Às vezes você perde a concentração e sem querer  bate na pessoa com o pé ou com a mão, mas é um jogo que não machuca”, explica Aline. Por isso, é preciso muita concentração e equilíbrio para praticar. 

Com apoio da família - Essas crianças gostam tanto de capoeira que querem continuar jogando até crescer. “Quando eu não posso ir à aula, eu sinto muita falta”, afirma Eduardo. Os dois admiram muito o professor de Capoeira deles, Washington. “Ele joga muito bem. Quando eu crescer quero jogar tão bem como ele”, revela Aline.

A família desses pequenos os apoiam muito. “No meu batizado de capoeira veio quase toda a minha família para me ver jogar com um adulto”, comenta Eduardo.

Além das aulas de capoeira no Centro Tecla Merlo, eles também têm aulas de Educação Física na escola, mas garantem que a capoeira é muito melhor. “Nós corremos, jogamos bola na escola, mas achamos a capoeira mais legal. É gostoso jogar capoeira, porque tem mais movimentos e música”, garante Aline. 

“Se você quiser aprender capoeira, é preciso muita dedicação e concentração. Tem que prestar atenção nos ensinamentos do seu professor. É muito legal! Eu me sinto bem feliz quando estou jogando”, afirma Eduardo.



 




Fonte: Super + 119 - Jul/2012
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Evangelização, sim!
Para Francisco, a evangelização não pode confundir-se com o clericalismo nem com o proselitismo.
O Anjo Bom do Brasil
Irmã Dulce,a religiosa que conquistou o coração do povo brasileiro será canonizada.
Mesa da Palavra
13º. Domingo do Tempo Comum - Ano C • 30 de junho de 2019 - Solenidade de São Pedro e São Paulo
Mesa da Palavra
A fé cristã professada pela Igreja Católica é de tal forma complicada, que só pode ser verdadeira.
Mesa da Palavra
Solenidade de Pentecostes.Quando ele vier, conduzirá os discípulos à plena verdade.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados