Uma vida pelos migrantes

Data de publicação: 25/10/2014

Mãe dos órfãos e dos migrantes agora é beata

Por Karla Maria - Fotos Karla Maria e Rafael Alberto


Nos jardins do Abrigo Casa Madre Assunta, na Vila Prudente, em São Paulo, uma imagem de bronze, vinda da Itália, foi inaugurada ontem  (24) por crianças da região. Crianças carentes, atendidas por projetos do abrigo.

O sol era forte e os espectadores, inúmeros: além das crianças, moradores do bairro, padres, freiras, gente de todo lugar. Todos estavam lá para homenagear aquela que dava forma ao bronze e trazia consigo uma história de amor e gratuidade: madre Assunta, hoje beatificada pela Igreja Católica.

Batizada pelos seus pais de Maria Assunta Caterina Marchetti, a italiana, missionária scalabriniana, chegou ao Brasil em 1895 a pedido do irmão, padre José Marchetti, missionário de São Carlos. Por aqui permaneceu por 50 anos realizando trabalhos de acolhida e amparo às crianças migrantes que chegavam desacompanhadas. “Madre Assunta acolhia os órfãos, as crianças dos migrados que vinham da Europa para o Brasil, no final do século 19 e início do século 20”, recordou o cardeal arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, que junto às crianças participou da entrega da imagem à cidade de São Paulo e ao Brasil.

E não eram poucas as crianças que chegavam. Estudo do Núcleo de Estudos de População (Nepo) da Unicamp aponta que, apenas entre 1886 e 1902, os menores de 12 anos representavam mais de 30% do conjunto de migrantes que chegavam ao Estado de São Paulo, cerca de 350 mil crianças.

Para a Superiora-Geral da Congregação das irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas, Irmã Neusa de Fátima Mariano, a beatificação de madre Assunta representa a emergência e atualidade em continuar acolhendo com carinho e dignidade o migrante que ainda chega. “Para nossa congregação, sem dúvida, a beatificação nos dá um grande impulso para vivermos com maior vitalidade, com maior empenho a nossa vocação a serviço dos migrantes”.

Irmã Neusa recorda que a missionária (madre Assunta) é muito atual. “Nós vemos que o fenômeno das migrações é atualíssimo, por isso o carisma recebido da Igreja pelo beato João Batista Scalabrini - fundador da Congregação - continua vivo e atual na ação e na presença das irmãs e dos missionários scalabrinianos, das missionárias seculares, de tantos e tantas leigas que se inspiram no carisma de Scalabrini”, concluiu.

Para o Conselheiro-Geral da Congregação dos Missionários de São Carlos - Scalabrinianos, padre José Alfredo Gonçalves, o  Alfredinho, a beatificação de Madre Assunta é a resposta da Igreja que quer caminhar junto com seu povo, e os migrantes são este povo em caminho. “Sua beatificação é sinal de que é preciso nos preocupar e agir em solidariedade com estas pessoas que se espalham pelo mundo”, disse padre Alfredinho, olhando de longe para a movimentação em torno da imagem da agora beata Assunta.
A imagem que veio da província de Lucca, na região da Toscana, permanece no jardim do abrigo, e sua história pode ser desvelada. No abrigo há um memorial, recém-inaugurado, e nele há objetos pessoais, relíquias como uma faixa que usava na cintura como parte do hábito religioso; agulhas de tricô que utilizava para fazer meias e agasalhos para os órfãos; um relicário de Nossa Senhora; lenços e o anel recebido na profissão de seus votos perpétuos. Na capela também recém-reformada estão guardados os restos mortais da madre.


O milagre

O caminho para a beatificação de madre Assunta começou quando a postuladora da Causa de Beatificação, irmã Leocádia Mezzomo, apresentou à Congregação das Causas dos Santos a suposta cura milagrosa ocorrida em Porto Alegre, em 1994, quando Heráclides Teixeira Filho foi diagnosticado com morte cerebral e após oração de uma missionária scalabriniana e a esposa à madre Assunta o paciente recobrou os sentidos e ficou curado sem sequelas.

Serviço
A visita ao Abrigo Casa Madre Assunta é gratuito, como sempre foi seu trabalho.
Local: Rua do Orfanato, 883 – Vila Prudente, São Paulo.




Fonte: FC
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Caldos, sopas e consumês
Neste inverno, além dos cuidados com a pele, é importante se preocupar com a alimentação.
Conservas caseiras
Resgate o antigo hábito de fazer conservas caseiras. Além da economia, aproveitando os legumes.
Páscoa
Na Páscoa, é muito comum as famílias se reunirem para uma confraternização.
A fruta do mês
Para se alimentar melhor e ainda economizar, os nutricionistas orientam o consumo de frutas
Sabor mineiro
A arte culinária é uma das tradições mais significativas de Minas Gerais.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados