Poemeto de Natal

Data de publicação: 09/12/2014

Padre Zezinho, scj*


“Vejo a bondade e a maldade e procuro por mais luz; e é nessa minha procura que eu descubro Jesus.”

Das bandas da Palestina, do outro lado do mundo, vem uma história divina e de conteúdo profundo: um filho de carpinteiro, que aos poucos se revelou, acabou crucificado, por conta do seu recado e das coisas que falou.

Ele queria igualdade, mais respeito pelos pobres, queria o direito à vida, queria o mundo mais nobre, mais nobreza de princípios, não nobreza de dinheiro. Era isso que pregava o filho do carpinteiro. Se Ele é Deus não sei dizer; eu somente posso crer, mas quem conviveu com Ele e ouviu o que Ele falava, os milagres que operava e os poderes que Ele tinha, saiu de lá convencido que tinha visto e vivido com alguém especial.

Era muito mais que humano! Jesus era o nome dele! Jesus era muito mais! Não era filho de rei, nem de rico, nem de nobre, de fato, Ele nasceu pobre, numa gruta em Belém. Dizem que a Mãe era virgem, eu não estava por perto; eu só posso acreditar! Há gente que não aceita e eu resolvi aceitar!

Humano eu sei que Ele era, porém não era comum. Também não sei quem é Deus, e nem como é que Deus é; mas se veio para a Terra, para morar entre nós, algum motivo Ele tinha! Desde os primeiros humanos, parece que não deu certo essa tal liberdade... Fez o homem muito esperto. Acha que sabe o que faz, mas sempre acaba sem paz. Não faz o que já sabia, não faz o que deveria e, quando a coisa não sai do jeito que foi pensada, o homem vai lá e mata, pra se livrar do problema, problema que quase sempre foi Ele quem começou.

Homem é bicho tinhoso, é cabeçudo, é teimoso, e mulher também o é. Gente quase ingovernável, confusa, de mente instável! Não sabe viver direito e não sabe conviver, e deve ser bem por isso que Deus veio aqui viver!

Dia do Deus presente − Diz o grande e santo livro que Ele veio nos salvar; assumiu a forma humana, a fim de nos libertar; chegou pra trazer mais luz, nasceu lá na Palestina e o nome d’Ele é Jesus. Mas o homem, que é tinhoso, não gostou do que Ele fez, não gostou do que Ele disse e matou Jesus na cruz. Mas hoje nós celebramos o dia do nascimento do filho do carpinteiro que se chamava Jesus.

Existe quem não crê n’Ele e quem não crê na sua cruz; e muito menos aceita o poder da sua luz. E eu aqui, sabendo pouco, procuro sempre a verdade. Vejo a bondade e a maldade e procuro por mais luz; e é nessa minha procura que eu descubro Jesus. Se Ele é Deus ou se não é, isso eu não posso provar; eu só posso acreditar. Aposto que Ele é do céu, e proclamo que Ele é Deus, que assumiu a forma humana. O Deus que é santo e perfeito nos mostrou que a humanidade, apesar de toda maldade, um dia pode ter jeito!

E eu vivo dessa esperança! O mundo ainda vai ser bom, pois Deus passou por aqui! Parece que foi embora, mas Ele não foi de vez; pois falou e garantiu que estaria bem presente, onde houvesse dois ou três pensando no que Ele disse, pensando no que Ele fez.

Por isso que o Natal é assim tão importante. É dia de recordar que Deus não está distante; é dia do Deus presente, que se importa com a gente!

*Escritor, compositor e cantor.






Fonte: Família Cristã 912 - Dez/2011
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Música transforma
A música e suas influências na saúde mental, física, emocional e comportamental
Jovens nem-nem
Jovens na faixa etária dos 15 a 29 anos que nem trabalham nem estudam.
Das ondas ao altar
Se pregava, era de todo coração; se surfava, era para encarar as maiores ondas.
Somos peregrinos
A Jornada Mundial da Juventude, realizada na cidade do Panamá, país da América Central
Um chamado que faz chamar!
Um chamado que muitas vezes é questionado e rejeitado por um bom tempo, até que se percebe como o profeta Jeremias, que é uma luta desigual
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados