Amor que promove

Data de publicação: 24/01/2015

A Pastoral da Pessoa Idosa visita mensalmente 141 mil pessoas, está espalhada por 834 municípios e presente em 4.635 comunidades

Por Karla Maria

Exército do bem há dez anos promove qualidade de vida e saúde à pessoa idosa. Dona Regina visitava diariamente duas pessoas idosas lá pelas terras do Paraná. Membro da Pastoral da Pessoa Idosa levava consigo, além de sua disposição, carinho e sabedoria de seus 82 anos, um caderno de indicadores da pastoral, no qual registrava, com detalhes de uma letra que pouco visitou o banco escolar, a situação de cada um dos 40 idosos que visitava mensalmente.
Não se sabe o sobrenome de dona Regina, mas é uma lenda da pastoral, a ponto de ter conquistado a admiração da coordenadora nacional, irmã Terezinha Tortelli. “Ela dizia que visitava um pela manhã e outro à tarde, e no dia seguinte a mesma coisa. Dizia que tinha encontrado a razão para viver. O testemunho de dona Regina me faz lembrar uma sábia palavra de dom Helder Câmara: ‘O segredo de ser sempre jovem – mesmo quando os anos passam deixando marcas no corpo – é ter uma causa a que dedicar a vida’”, diz sobre dona Regina, a religiosa da Congregação Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo.
O exemplo de dona Regina espalhado pela irmã Terezinha personifica bem a missão desta pastoral, que acaba de completar dez anos de atividades no Brasil e atingir o último estado que faltava: Amapá. Agora, presente em todo o País, a pastoral conta com mais de 18 mil voluntários, a grande maioria com idade entre 40 e 59 anos (40,4%), seguidos pelos de 60 a 70 anos (23,5%) e pelos que já passaram dos 70 anos (12,3%).
Esse exército do bem chega mensalmente a mais de 141 mil pessoas, espalhadas por 834 municípios, em 4.635 comunidades, 1.327 paróquias e 191 dioceses. Leva, além da presença e da escuta, orientações para uma vida mais saudável, como a necessidade da realização de atividades físicas, a ingestão de líquidos, a prevenção de quedas e o cuidado em manter a carteirinha de vacinação atualizada.
 “Ainda é uma gota d’água se olharmos o universo que temos, que é de 24 milhões de pessoas idosas no Brasil. É menos de 1%, mas nesta gota d’água nós nos damos conta de como há necessidade cada vez mais de que se organizem os serviços de acompanhamento e atendimento à pessoa idosa. Falta uma rede de atendimento a estas pessoas”, revela a coordenadora, que defende a criação de outras modalidades de cuidado à pessoa idosa, como Centro Dia (uma espécie de creche para pessoas idosas), Residência Temporária, Residência Coletiva, entre outras.
Mas não é só o Estado que falha no cuidado com as pessoas idosas. As famílias, garante irmã Terezinha, também precisam rever suas posturas. “Dentro das famílias, a gente percebe que há abusos, principalmente financeiros. São filhos e netos que se aproveitam daquele dinheirinho da aposentadoria, daquele salário mínimo, e este pouquíssimo dinheiro que seria para alimentação e medicamentos está quase que totalmente comprometido com empréstimos feitos pelos familiares. É um desastre”, denuncia a irmã.

Viver com qualidade  −
Lucia Seccoti também conhece essa realidade. É coordenadora da pastoral em cidades do estado de São Paulo, nas dioceses de Amparo, Bragança Paulista, Campinas, Limeira, Piracicaba e São Carlos, há cerca de três anos. Atualmente capacita os líderes que fazem as visitas mensais. “Nosso trabalho quer assegurar a dignidade e a valorização integral das pessoas idosas, através da promoção humana e espiritual, respeitando seus direitos, num processo educativo de formação continuada destas, de suas famílias e de suas comunidades, sem distinção de raça, cor, profissão, nacionalidade, sexo, credo religioso ou político, para que elas possam conviver respeitosamente com as pessoas idosas, protagonistas de sua autorrealização”, explica.
As visitas mensais do líder valorizam a história de vida da pessoa idosa e a sabedoria por ela adquirida ao longo dos anos. Algumas são acompanhadas por chimarrão, café ou açaí, dependendo da região do País. Em outras, nas casas mais simples, onde a vulnerabilidade social é maior, a água refresca a boa conversa, enquanto o líder registra tudo em seu caderno de indicadores, assim conta dona Erothedes Souza Ferrari, a dona de Ted,78 anos.
“Viver bastante é interessante, mas viver com qualidade é melhor, e é isso que orientamos em nossas visitas. Nós nos capacitamos e passamos à frente para os idosos”, conta dona Ted, casada há 60 anos com Donato Ferrari. Juntos participam da pastoral na Diocese de Paranaguá, no estado do Paraná, desde 1994.
“Começamos na Diocese de Jundiaí e, quando nos mudamos, continuamos o trabalho aqui na pastoral, e fazemos porque é uma missão, um chamado de Deus. Quantos idosos não têm a necessidade de alguém ficar por perto uma meia hora, que seja só para ouvir. O que eles precisam mais que tudo é do nosso tempo, do nosso ouvido”, afirma dona Ted.


Nasce com as crianças 
A Pastoral da Pessoa Idosa surgiu da sensibilidade da sanitarista Zilda Arns Neumann (1934-2010), que já havia combatido a fome e a desnutrição de crianças no Brasil com o trabalho da Pastoral da Criança. Nas visitas às famílias, Zilda e seus líderes observaram que os idosos eram também vulneráveis e até esquecidos. A partir daí surgiu o programa dentro da Pastoral da Criança e o desejo de se criar a Pastoral da Pessoa Idosa, que em 1999 ganhou força por ocasião do Ano Internacional do Idoso. Essa força, junto à mobilização das lideranças da Pastoral da Criança, levou à realização da Campanha da Fraternidade em 2003, com o tema Fraternidade e pessoas idosas e o lema “Vida, dignidade e esperança”. Em 2004, iniciava oficialmente o trabalho da Pastoral da Pessoa Idosa.




Fonte: Familia Crista ed. 948
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Doação de Leite Humano
O leite materno humano é o mais complexo entre todos os mamíferos, diz recente pesquisa publicada
Plantas como medicamentos
O manejo de recursos vegetais de florestas, corretamente, são fundamentais para evitar a extinção
Uso correto das plantas
A importância do cuidado necessário no uso de plantas medicinais: saber nomenclatura botânica e etc
Saúde verde
Importância da identificação correta de plantas como ferramenta segura de práticas terapêuticas
Refluxo. Como prevenir
Não ignore o seu corpo quando ele dá o alerta para um problema no seu aparelho digestivo!
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados