Evangelho

Data de publicação: 19/03/2015



Ano B – 22 de março de 2015

5º Domingo da Quaresma

Jr 31,31-34 − Concluirei uma nova aliança
Sl 51 − Criai em mim um coração que seja puro
Hb 5,7-9 – Cristo tornou-se causa de salvação eterna
Jo 12,20-33 − Quem se apega à sua vida, perde-a

 “Queremos ver Jesus”, foi o que alguns gregos disseram a Filipe na festa da Páscoa em Jerusalém. Filipe falou com André, seu constante companheiro de ministério, e ambos foram falar com Jesus. Jesus estava sendo procurado por muita gente e agora chegam estes pagãos que aceitaram o judaísmo, ou judeus de origem grega que querem ver Jesus. Era mera curiosidade? Tinham ouvido falar dele e se interessaram por ele e seus ensinamentos? Na resposta dada aos dois apóstolos Jesus diz que vai atrair todos a ele quando for elevado da terra porque então o mundo será julgado e o chefe deste mundo será expulso. Jesus não é objeto de curiosidade nem se expõe nas vitrines do mundo. Quem quiser vê-lo, vai vê-lo crucificado. Para produzir fruto, o grão de trigo que cai na terra precisa morrer. Jesus aceita perder a sua vida para recuperá-la depois, na sua ressurreição. Quem quer vê-lo e segui-lo estará onde ele estiver, tanto nesta terra quanto na eternidade. Satanás, com quem Jesus se defrontou no deserto, será expulso, não, porém, sem que se trave uma batalha. Jesus se angustia, deseja livrar-se dessa hora, mas permanece firme porque se trata de glorificar o nome do Pai.
Esta é a história do nosso batismo, cujos compromissos queremos renovar na vigília da Páscoa juntamente com aqueles que serão batizados. Alguém nos falou de Jesus e quisemos vê-lo. Não podemos vê-lo com os olhos do corpo, mas o vemos com os olhos da fé esperando um dia poder vê-lo na visão da glória. Decidimos seguir Jesus com firmeza permanente e entusiasmo. Como o grão de trigo que cai na terra e morre para produzir frutos, entramos nas águas, morremos para as obras do demônio e saímos nova criatura, que já não pode morrer. A partir de então vivemos para glorificar o nome do Pai, o que não se faz sem as angústias da luta contra satanás que leva ao pecado e introduz a morte na história humana. A partir de então nossa vida consiste em mostrar que o chefe deste mundo foi expulso, que a morte já não tem poder de destruição; ao contrário, na morte, o grão caído por terra produz muito fruto.
Que serviço podemos prestar à humanidade, uma vez que existimos para servir? Anunciar Jesus Cristo para que todos queiram vê-lo, sem dúvida alguma, e em primeiro lugar. No entanto, como diz Paulo aos tessalonicenses, nosso trabalho evangelizador não pode estar contaminado com o “dolo”, que é a astúcia. Não podemos anunciar Jesus Cristo enganando as pessoas. Ele atrai a todos quando está na cruz. Quem o aceita e é nele batizado recebe a força do Espírito para superar a angústia, todas as angústias que nos sobrevêm nesta vida. Não seguimos Jesus para ter vida fácil e sem problemas. Não vendemos ilusões. Apresentamos Jesus crucificado e ressuscitado. Prestamos serviço quando ajudamos as pessoas a terem a Lei do Senhor impressa em seu coração. Essas pessoas não vão olhar para fora, para os mandamentos esculpidos na pedra, para os textos sagrados, para os documentos da Igreja. Que olhem para o seu coração e digam a si mesmas o que querem da vida, explicitem uma opção que seja fundamental em sua vida porque do coração brotam os projetos bons e maus. Prestamos serviço ajudando as pessoas a saberem tratar com o sofrimento seu e dos outros.

Leituras e Salmos (23 a 28 de MARÇO)
2ªf.: Dn 13,1-9.15-17.19-30.33-62; Sl 22, 1-3a. 3b-4. 5. 6 (R. 4a); Jo 8,1-11
3ªf.: Nm 21,4-9; Sl 101, 2-3. 16-18. 19-21 (R. 2); Jo 8,21-30
4ªf.: Is 7,10-14; 8,10; Sl 39(40),7-8a.8b-9.10,11 (R. 8a.9a); Hb 10,4-10; Lc 1,26-38
5ªf.: Gn 17,3-9; Sl 104, 4-5. 6-7. 8-9 (R. 8a); Jo 8,51-59
6ªf.: Jr 20,10-13; Sl 17, 2-3a. 3bc-4. 5-6. 7 (R. Cf. 7); Jo 10,31-42
Sáb.: Ez 37,21-28; Jr 31, 10. 11-12ab. 13 (R. Cf. 10d); Jo 11,45-56




Fonte: Familia Crista ed. 950/fevereiro de 2015
Postado por: Família Cristã




Comentários


Comente





Compartilhe este conteúdo:


Veja Também

Amor que não se mede
Quem já teve ou tem um familiar dependente de drogas ou álcool se identifica com a situação
Às crianças o que é delas
A criança é vulnerável, em raras ocasiões verbaliza suas angustias e medos, mas sinaliza com reações
Avós e netos, belas histórias
Escutar com o coração e com todos os sentidos é uma arte afetiva a ser desenvolvida na criança
Desatando os nós
Lara,nasceu com síndrome de Down e esta sua alteração genética tem sido instrumento para para ajudar
Educação que vem de casa
Delegar a educação dos filhos às escolas se tornou comum nos dias de hoje
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Próximo Final

Termos mais pesquisados

Busca avançada
Copyright © Pia Sociedade Filhas de São Paulo - Brasil - Direitos Reservados